Início / Viajei (relatos) / Cartão Postal / Bichinho-MG, vilarejo cultural e refúgio da arte em Prados

Bichinho-MG, vilarejo cultural e refúgio da arte em Prados

O interior de MG esconde destinos encantadores que nos surpreendem com a hospitalidade, riqueza cultural, gastronomia, natureza e sossego, próprio de Minas, uai.

Uma das novas descobertas do Muita Viagem em Minas Gerais foi o distrito de Vitoriano Veloso (escravo livre que ajudou na Inconfidência Mineira), vilarejo chamado carinhosamente de Bichinho, em Prados, MG.

 

A cidade desenvolveu-se quando bandeirantes buscavam jazidas de ouro no vale do Rio da Morte. Hoje, Bichinho-MG é distrito e atração turística de Prados, um dos povoados mais antigos da região, fundado em 1704.

Como chegar em Bichinho?

Encravada na Serra de São José, a cidade fica a 20 minutos de Tiradentes e 40 minutos de São João Del Rei por estrada de pedra, estreita e bela.

bichinho-mg

Desvio de trecho da estrada que leva a Bichinho-MG

Bichinho-MG é um destino para passar o dia, fazer comprinhas, contemplar a vida rural, comer, beber algo e voltar, geralmente para Tiradentes.

Um bate-volta cabe perfeitamente no roteiro de 3 dias em Tiradentes. Foi o que fizemos — road trip por cidades históricas de Minas, percorrendo trechos da Estrada Real.

Chalés e pousadas românticas em Tiradentes-MG

Apesar de sinalizada, é melhor evitar a estrada em dias de chuva ou à noite.

O que fazer em Bichinho?

Bichinho-MG é bucólica, com cara de interior de Minas

A partir das últimas décadas do século XVIII, com a decadência das minas de ouro, a economia da região contou com o comércio de artigos de couro, móveis, esculturas e artesanatos para progredir.

Hoje, Bichinho Prados, além de importante pólo na confecção de móveis de madeira de demolição, é também cidade turística que chama atenção por sua plácida simplicidade e ofício pela arte.

A Casa do Artesanato, no centro de Bichinho-MG

As principais atrações do distrito de Bichinho (Vitoriano Veloso-MG) são as construções coloniais preservadas, artesanato, igreja de Nossa Senhora da Penha, cafés, alambiques e a Casa Torta.

Há dezenas de ateliers e lojas de móveis rústicos espalhados ao longo da estrada que liga Tiradentes-MG ao centro de Bichinho-MG.

Artesanatos e móveis

Algumas sugestões de parada são o Artesanato Bicho de Terra, o Fuxico da Carmen (loja Ponto & Nó) e a Casa do Artesanato, na Rua Moisés Pinto de Souza; o Empório dos Móveis e a Lumar – Arte em Madeira Antiga, na Rua dos Inconfidentes; e a Oficina de Agosto, na Rua São Sebastião.

Esta última, do artista plástico Toti, famoso pelo trabalho de valorização do artesanato brasileiro em cidades como Embu das Artes, Ilhabela e Paraty.

Bichinho é um dos melhores lugares para comprar móveis perto de SP e BH

Há diversas galerias e escritórios de todo o Brasil que buscam os produtos das fábricas e ateliers de Bichinho, Santa Cruz de Minas e Prados-MG.

Muitas lojas aceitam encomendas para entregas em Belo Horizonte, São Paulo e no Rio de Janeiro. É preciso verificar os detalhes com cada fabricante.

Alguns móveis, esculturas e peças podem custar bem caro. Apenas o passeio e a contemplação das peças já inspiram na decoração de ambientes, mas é possível sair de lá com uma peça pequena sem gastar muito dinheiro.

A Casa Torta, Bichinho-MG

A Casa Torta é criação de 2 artistas plásticos brasileiros | Divulgação

Inaugurada em julho de 2016, a Casa Torta, em Bichinho-MG é um projeto que visa fomentar brincadeiras, ecologia e a artes para crianças e adultos.

No espaço funciona cafeteria, oficina de teatro, pintura e música, além de apresentações musicais e artísticas. Abre de quinta à domingo, e o ingresso custa R$5,00. O endereço é Rua São Bento, 637. Difícil deixar de notar.

Leia também: Capitólio-MG e roteiro pela Serra da Canastra

Onde comer?

O restaurante mais bem avaliado por lá é o Tempero da Ângela,na Rua Deputado José Bonifácio, 54. O self service sem balança custa R$25 durante a semana. No final de semana aumenta para R$28, e fica tão cheio que muitas vezes é preciso aguardar para conseguir uma mesa.

Chegue cedo e leve dinheiro, pois assim como muitos lugares do interior de MG não aceitam cartões de crédito ou débito.

Quando ir?

Faça a viagem no final de semana, entre sexta-feira e sábado, quando há mais movimento de turistas e todas as lojas ficam abertas.

No calendário de festas tem destaque o carnaval de rua de Prados, as celebrações da Semana Santa e o festival de música em julho, no inverno.

Danilo

Antes de começar o Muita Viagem, fui Relações Públicas e Comissário de Voo. Vivi no Canadá, fiz longas viagens nos Estados Unidos e alguns roteiros na Europa.
Já estive em todas as capitais do Brasil, e em mais de 20 países pelo mundo. Quero conhecer o Oriente Médio, África e Ásia.

Tire a sua dúvida, comente. Participe!

O e-mail não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*