Início / Viajei (relatos) / Cartão Postal / O que fazer em Colonia del Sacramento, Uruguai?

O que fazer em Colonia del Sacramento, Uruguai?

Colonia del Sacramento, no Uruguai, encanta até o turista mais carrancudo. A cidadezinha é tão graciosa que deve ser colocada no roteiro, seja a partir de Buenos Aires, ou de Montevidéu.

Colonia del Sacramento transborda romantismo em cada canto da cidade.

Localizada a 177 km de Montevidéu e uma volta de barco de Buenos Aires, Colonia del Sacramento, foi fundada por portugueses, em 1680.

A partir daí, foram quase 100 anos de conflitos e o domínio alternado entre Portugal e Espanha, porém em 1777 passou a ser controlada pela província de Buenos Aires, leal à coroa espanhola.

Toda esta história, bons hotéis e pousadas, restaurantes, cafeterias e, claro, o charme das casas antigas feitas de barro, e ruazinhas bucólicas, arborizadas e floridas, transformam Colonia del Sacramento em uma das cidades mais visitadas no Uruguai.

O clima ameno favorece o turismo em Colonia del Sacramento em qualquer época do ano. Vale mesmo pena!

Leia também: Lugares românticos e baratos na América do Sul

O que fazer em Colônia do Sacramento

Uma das esquinas mais fotografadas da pequena vila colonial

O centro histórico

Após desembarcar pelo porto, deixe as malas no guarda volume da rodoviária ou no hotel ou pousada onde estiver hospedado e siga em direção ao centro histórico de Colonia del Sacramento. O centro da vila é um dos mais importantes tesouros patrimoniais do Uruguai.

Em 1995, após um século de restaurações, a cidade finalmente foi considerada patrimônios histórico e cultural tombado pela Unesco.

Uma voltinha pelas ruas de paralelepípedo do bairro histórico, observando as ruínas de construções antigas, casas no reboco, com plantas e trepadeiras cobrindo a fachada de algumas, admirando e ouvindo o canto dos passarinhos e as construções rústicas nos fazem voltar ao século XVII.

Visite as ruínas do centrinho, caminhe até o Portal da Cidade – Puerta de la Ciudadela, o Convento de São Francisco e a Igreja Matriz, a primeira igreja católica construída no Uruguai e a Casa del Virrey.

Após caminhar, escolha um dos restaurantes ou cafés espalhados no entorno da praça central – Plaza Mayor, para fazer uma refeição. Dali, siga por uma das esquinas mais fotografadas da vila turística — a calle de los suspiros.

La Calle de los Suspiros

Calle d-los Suspiros, na cidade histórica de Colonia del Sacramento, Uruguai

Com um charme incomum, a pequena rua de pedras é pitoresca e chama a atenção por conta de sua simplicidade.

As casas eram feitas de barro e pedra, muitas delas são construções portuguesas e espanholas do século XVII.

Há duas lendas que rondam o imaginário popular sobre a origem do nome da rua.

O romântico conta que é o barulho que o vento fazia vindo do oceano. Ao passar pela rua estreita emite ruídos como que sussurros. Já o malicioso conta que a rua era uma antiga zona de prostituição, e das casas ecoavam gemidos e sussurros das prostitutas, que atendiam os soldados, a maior parte da clientela.

O que fazer em Buenos Aires: dicas para um roteiro romântico

Puerta de la Ciudadela

A pacata vila colonial é ideal para passeios românticos.

Cercada por lindas árvores, o portão da cidade é uma bela construção com data de 1745. Feito em pedras trabalhadas, o portal possui uma ponte levadiça, e era uma das entradas da cidade durante a dominação portuguesa.

O fosso da fortaleza hoje abriga um interessante centro histórico e arquitetônico com lojinhas de artesanatos que encantam os olhos de turistas e viajantes.

Farol de Colonia del Sacramento

Ruínas e farol de Colônia do Sacramento.

A localização estratégica de Colônia do Sacramento, no litoral do Rio da Prata, de frente para a cidade de Buenos Aires, na outra margem do rio, motivou muitas batalhas entre Portugal e Espanha pelo domínio da região.

A disputa se dava especialmente à noite, por isso a criação do farol — alertar e comunicar sobre ataques. O farol foi construído entre 1855 e 1857 já sob domínio da República do Uruguay.

É permitido subir no farol, que foi totalmente reconstruído em 1920. Hoje funciona lá o Museu Histórico Nacional.

A entrada custa cerca de R$5,00 (25 pesos). É baratinho. Você sobe por uma escada caracol estreita. Lá de cima você tem uma visão 360 da baía do Prata. O farol de Colonia del Sacramento fica na Calle San Francisco, perto da Plaza Mayor.

Colonia del Sacramento, Uruguai.

Bastion del Carmen

O local foi construído pela coroa portuguesa como forma de proteger a cidade colonial. A estrutura original remetia a uma diamante, com os canhões apontados para a Baía do Prata.

Hoje, além de algumas ruínas, ainda resta uma chaminés de uma antiga fábrica. Revitalizado, o lugar cedeu lugar ao teatro e centro cultural Bastión del Carmen.

Dica de hotel em Montevidéu

Porto e marina

Colonia del Sacramento fica às margens do Rio da Prata

O pequeno porto abriga pequenos iates e uma passarela florida com canteiros e bancos para descansar. Ao entardecer, é possível ver o sol desaparecer no meio da das águas do Rio da Prata. Passeio romântico com espetáculo bonito de se ver.

Museus

E como toda cidade histórica, o que não poderia deixar de faltar em Colonia del Sacramento são museus. Há dezenas deles.

Podem até passar despercebidos, mas nas ruas e travessas do centro histórico, timidamente escondidos em construções antigas, há diversos museus na cidade.

Em frente à Plaza Mayor, por exemplo, há o  Museu del Período Histórico Português. No paseo San Gabriel, o Museu del Azulejo, e o Museu Indígena, Casa Nacarelo e o Museu Municipal, na Calle del Comércio, entre outros mais afastados.

Leia também: Como ir de Montevidéu à Punta del Este.

Danilo

Antes de começar o Muita Viagem, fui Relações Públicas e Comissário de Voo. Vivi no Canadá, fiz longas viagens nos Estados Unidos e alguns roteiros na Europa. Já estive em todas as capitais do Brasil, e em mais de 20 países pelo mundo. Quero conhecer o Oriente Médio, África e Ásia.

Comente! Queremos saber o que pensa.

O e-mail não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*