Início / Vasto Mundo / Bolívia / Copacabana, na Bolívia e Lago Titicaca, o berço da civilização inca
Na foto, a rua principal de Copacabana, o começo da minha viagem pela Bolívia
Na foto, a rua principal de Copacabana, o começo da minha viagem pela Bolívia

Copacabana, na Bolívia e Lago Titicaca, o berço da civilização inca

Gustavo Villas Boas – Mochilão pela Bolívia – Copacabana e o lago Titicaca

Depois de mais de três meses de viagem pela Améica do Sul, esperava ansiosamente para chegar em Copacabana da Bolívia. E não só porque a cidadezinha seria o ponto de partida do meu roteiro de mochilão pela Bolívia. Queria muito conhecer o lago Titicaca por causa da geografia, da história e das lendas que cercam o local.

 

Copacabana é o principal destino turístico no Titicaca

Copacabana é o principal destino turístico no Titicaca

Além de ser o primeiro destino boliviano para quem cruza a fronteira do Peru para a Bolívia por via terrestre, Copacabana é o principal ponto turístico às margens do Titicaca e oferece muito o que fazer para quem quer conhecer o lago e suas atrações. Está localizada a 155 km de La Paz, no sudoeste da Bolívia, e tem 6 mil habitantes.

– Viagem pelo Peru

– O que fazer na Bolívia 

– O que fazer no Chile

O Titicaca, o maior lago em volume de água da América do Sul, a 3.800 metros de altitude, é apontado como o mais alto lago navegável por grandes embarcações do mundo.

Ao seu redor, surgiram grandes culturas, inclusive a civilização inca. Diz uma das lendas do surgimento dos incas que das águas do Titicaca emergiu Manco Capac, o primeiro inca e fundador de Cusco, no Peru, localizada a 530 km de Copacabana, na Bolívia.

Mais abaixo, relato um pouco das minhas experiências de viagem nos lugares mais legais de Copacabana. Antes, conto foi como cruzar a fronteira entre Peru e Bolívia de mochila nas costas…

– Onde ficar em Copacabana – Hotéis, pousadas e lugares econômicos para ficar

A fronteira entre o Peru e a Bolívia

Como chegar em Copacabana

Fui de Copacabana a partir de Cusco, no Peru. A viagem inteira demorou cerca de 10 horas. De La Paz, capital da Bolívia, até Copacabana, são mais ou menos duas horas de viagem de ônibus.

Foi facinho cruzar a fronteira do Peru para a Bolívia, não tive problema nenhum

Foi facinho cruzar a fronteira do Peru para a Bolívia, não tive problema nenhum

Voltando ao meu roteiro. Peguei um ônibus noturno, às 10h00, de Cusco até Puno, ambos no Peru, por 40 soles. Para quem vai para a Bolívia por via rodoviária, Puno, no Peru, é uma parada quase obrigatório.

A princípio, iria ficar uns dias em Puno, a capital folclórica do Peru, mas no ônibus resolvi cruzar a fronteira com a Bolívia e seguir para Copacabana. Não precisei nem trocar de carro, só comprar a passagem de Puno a Copacabana por mais 10 soles (os preços variam ao gosto do balconista, vi turistas pagando o dobro na minha frente!).

O ônibus que saiu de Cusco às 22h chegou cerca de 5h em Puno, avisei o motorista que iria seguir para a Bolívia, comprei a passagem de ônibus e partimos às 7h30.

Meio sonâmbulo, fui acompanhando a margem do imenso lago Titicaca até a fronteira entre o Peru e Bolívia.

Fronteira Peru – Bolívia

No próprio ônibus, eles explicam o que precisa ser feito. Foi muito, muito tranquilo para cruzar a fronteira da Bolívia de manhã.

– O que fazer em Cusco, no Peru

Você tem que passar por dois escritórios do lado peruano para apresentar o passaporte e o papel que você pega ao entrar no Peru, que, espero, você tenha guardado com atenção! Quem passou mais dias do que os permitidos no Peru tem que pagar uma multa de US$ 1 por dia extra.

Cruzei a fronteira entre os dois países a pé e, já na Bolívia, passei rapidamente por um escritório para carimbar o passaporte, pegar o papel de entrada no país e pronto. Nem no Peru nem na Bolívia brasileiros precisam de visto. Nos dois países, é possível visitar em viagem apenas com o RG de documento, mas recomendo fortemente ter o passaporte com validade em mãos.

Enquanto todos os turistas fazíamos o procedimento, o ônibus cruzou a fronteira e embarcamos já na Bolívia de novo.

A fronteira entre o Peru e a Bolívia está localizada bem perto do centrinho de Copacabana. Ao entrar na cidade, é preciso pagar uma taxa de 1 boliviano, a moeda da Bolívia. Quando fui, o câmbio estava 1 real para 3 bolivianos.

Nos dois lados da fronteira tem casas de câmbio, troquei uma nota de 20 soles e até moedas picadas, tudo muito tranquilo.

copacabana viagem bolivia o que fazer 18

Copacabana é pequena, muito simples, mas tem muitas casas de câmbio, hotéis econômicos, pousadas baratas, e muitos lugares para comer, além de dois ou três bares que têm vida noturna, às vezes com música ao vivo. Mas não espere muito: é um povoado de 6 mil habitantes.

O que fazer em Copacabana

Isla del Sol e o primeiro templo inca

A Isla del Sol tem algumas das paisagens mais incríveis da América do Sul

A Isla del Sol tem algumas das paisagens mais incríveis da América do Sul

copacabana viagem bolivia o que fazer 1

A Isla del Sol é a maior ilha do Titicaca e é o destino turístico mais famoso partindo de Copacabana.

É uma ilha montanhosa (o ponto mais alto está a cerca de 4.100 metros, enquanto o lago está a 3.800), com vista para picos nevados nos Andes, muitos vestígios arqueológicos, como terraços de agricultura e, principalmente, um templo que, aqui e ali, é apontado como a morada de Manco Kapac, o mítico fundador da civilização inca. Mas… acredito mais na versão de que aquilo era um depósito de alimentos. Ironicamente, menos saborosa, mas meesmo assim impressionante.

Basicamente, a ilha se divide entre a parte sul e a parte norte. Entre uma ponta e outra há pouco mais de 8 km.

Cerca de mil famílias moram na Isla del Sol, que conta com algumas pousadas simples e restaurantes nos pequenos povoados.

Chegamos na ilha pelo sul...

Chegamos na ilha pelo sul…

Leve bastante dinheiro se for visitar a ilha. Uma água de 1 litro custou 10 bolivianos, por exemplo, e os restaurantes também são mais caras do que em Copacabana. Além disso, há vários ingressos e taxas para pagar por todo lado. Ainda assim, é um passeio barato, já que estamos falando de Pesos Bolivianos, moeda cujo câmbio nos favorece bastante.

Barcos de Copacabana para a Isla del Sol

Os barcos para a Isla del Sol saem as 8h30 da marina de Copacabana. O barco até a parte norte, onde ficam os principais tesouros arqueológicos da ilha demoram cerca de 2 horas para chegar e custam 25 bolivianos. Ida e volta no mesmo dia saía por 40 bolivianos.

Atravessei o Titicaca em um barco desse. Foi bem precário: a fumaça que saía do motor a viagem inteira fez uma galera passar mal. Uma eca!

Foram duas horas de fumaça...

Foram duas horas de fumaça na fuça…

Chegando na ilha, um monte de guia de turismo abordam os viajantes, que formam vários grupos.

Escolhi o grupo com mais mochileiros, paguei 10 bolivianos para entrar em um museu simples e na trilha que vai beirando o Tititcaca até a Mesa Cerimonial e no Chinkana, ou Labirinto, o templo do primeiro inca (ou o armazém de alimentos?!). Você pode ir sozinho ou com o guia, que cobra10 soles ao final da caminhada.

Segundo o guia, o Chinkana é o templo onde viveu o primeiro inca etc. etc. etc. Eu ouvi com atenção e respeito a lenda e as informações históricas do guia, mas, como em toda história inca e dos nativos sul-americanos em geral, nada é muito certo, há poucos fatos e informações certas até mesmo sobre Cusco ou, muito menos ainda, Machu Picchu.

copacabana viagem bolivia o que fazer 30

A mesa cerimonial no norte da ilha do sol

copacabana viagem bolivia o que fazer 11

O templo do fundador da civilização inca…

copacabana viagem bolivia o que fazer 10

…ou um depósito de alimentos? De qualquer forma, um tesouro arqueológico

Depois dessa trilha até o norte da ilha, tem uma das trilhas mais legais da América do Sul, de 8 km, do norte ao sul da Isla del Sol, que percorri em duas horas para dar tempo de voltar nos barcos da tarde. Tem gente que volta com o guia, é o mesmo caminho da vinda, e muito mais fácil.

Duas horas é bem rápido para percorrer a trilha da Isla del Sol. Eu já estava de mochilão há 3 meses e meio praticamente só na altitude, fazendo muitas trilhas, e a garota que estava comigo, também era acostumada com altitude e caminhadas. Nós aceleramos porque achamos que poderíamos perder o barco de volta. Chegamos ao porto com uma boa margem, deu até para almoçar. Mas ressalto: é uma trilha na altitude e cheia de subidas e descidas. Dá para sofrer.

O que fazer em Copacabana – As ilhas do lago Titicaca

Além da Isla del Sol, os turistas também visitam a Isla de La Luna, ou ilha da lua, outro pedaço de terra no localizado no lago Titicaca com bastante história. Era uma ilha onde, conta-se, eram levadas virgens incas, que aprendiam a tecer e preparar bebidas cerimoniais, entre outras atividades.

Também são comuns os passeios de barco até as Islas Flotantes (ilhas flutuantes), ilhas artificiais feitas de uma planta que cresce no lago Titicaca. As ilhas são construídas com técnicas milenares dos uros, uma comunidade nativa do Titicaca. Em algumas dessas ilhas feitas pelos homens, chegam a viver dezenas de famílias.

O turismo é uma das principais fontes de renda dessas famílias, assim como a produção de artesanato.

O que fazer em Copacabana – Pôr do sol no Titicaca

 

O pôr do sol no lago Tititcaca, a 3.800 metros de altura

O pôr do sol no lago Tititcaca, a 3.800 metros de altura

Cheguei da Isla del Sol a tempo de, mais uma vez, assistir ao pôr do sol no Titicaca. Em frente ao lago, há três ou quatro bares e restaurantes com cadeirinhas nas lajes para assistir ao astro baixando. Vale a experiência.

De cima da laje, com um drink na mão

De cima da laje, com um drink na mão

O que fazer em Copacabana – Horca del Inca

A Horca del Inca (em quéchua, Inti Watana, a principal língua falada pela civilização inca) é um observatório astronômico e cerimonial. Subi para o morro Kesani para ver a herança arqueológica e também poder observar a linda bahia de Copacabana do alto. Vale muito a pena ir.

 O que fazer em Copacabana – O Calvário

No morro oposto ao Kesani há um famoso caminho muito procurado por peregrinos bolivianos e de fora do país: o Calvário, que simula o calvário de Jesus até a cruz. Mas não são só os adeptos do turismo religioso que sobem o Calvário: o alto do morro oferece uma linda vista de Copacabana e do lago Titicaca.

O que fazer em Copacabana – Basílica de Copacabana

O turismo religioso em Copacabana também conta com a Basílica de Copacabana, uma das igrejas mais importantes da Bolívia. Uma das atrações da igreja é uma estátua de Virgem de Copacabana esculpida por um artista indígena em 1580. É uma das mais antigas representações da Virgem Maria das Américas.

Gustavo

Gustavo está em algum lugar da América do Sul, em um roteiro de mochilão que começou em março, no Equador.

22 Comentários

  1. Fernando Gustavo Schneider

    Dalhe mestre, chegou a ir para as ilhas Amantani ou Taquile, estou indo para lá e to pensando em dormir uma noite junto do locais. Chegou a fazer isso? grande a
    braço

  2. Não dormi, mas acredito que, se você gosta de ver mais de perto uma cultura muito diferente, vale a pena. Mas com certeza são lugares muito simples e com pouca coisa para fazer. abs

  3. Carlos Alberto Mendonça Neto

    E aí, Gustavo, blz? Cara, farei um mochilão pelo Peru e chegarei em Puno dia 13.06, vindo de Arequipa. Estou pensando em conhecer Copacabana/Isla del Sol durante os dias 14 e 15 e retornar para Puno, para, de lá, seguir para Cusco. Você acha que terei algum problema em relação à imigração, pois sairei do Peru no dia 13 e já retornarei no dia 15? Além disto, é fácil fazer câmbio em Copacabana? Abraço.

  4. Gustavo deixa eu te perguntar você foi para Tiahuanako e Puma Punku , tem algum roteiro por aqui ? Forte Abraço !

  5. Oi Gustavo, tô adorando seu blog.
    Já fui a Puno, La Paz, mas dei uma tremenda mancada de pular Copacabana por questões de tempo.
    Mas agora vou me redimir indo em julho. As trilhas são puxadas? Como são?
    Tirando o fator altitude, claro!

    • Oi Priscila,

      A trilha é difícil, mas nada exagerado: é fácil de andar, o calçamento é bom. A caminhada é puxada por causa da altitude, nas subidas fica difícil, mas quem está acostumado a andar não vai se complicar não. O ritmo é de cerca de 3 km ou 4 km por hora, uns 8 km de trilha.

      Tenho registrado justamente essa trilha no GPS, vou ver se acho e coloco aqui.

      Abs

  6. Cara que da hora! Estou indo para Copacabana em 1 mês realizar um trabalho voluntário com os habitantes e não fazia ideia das atividades turísticas que poderia fazer em meu tempo livre. Ajudou muito com as dicas, o texto está bem escrito e as imagens são de boa qualidade. Parabéns

  7. Muito bom os seus relatos!

    Você se lembra qual a empresa de ônibus você utilizou? Era leito, dava pra dormir tranquilo?

    A que horas o ônibus chegou em Copacabana? Dá pra fazer o passeio da Ilha do Sol no mesmo dia e já voltar para Copacabana? No outro dia de manhã eu já pretendo seguir para La Paz, acha que dá ou ta muito corrido?

    Até o momento viajarei apenas com o RG, você viu alguém tendo problemas para atravessar a fronteira?

    • Oi Caio,

      Não lembro a empresa, porque estava viajando há tanto tempo e sem programação que pegava o ônibus que dava, mas não, não dá para dormir tranquilo nos ônibus mais baratos, são beeeem apertados.

      Acho que é difícil chegar em Copacabana e fazer o passeio no mesmo dia.

      Não tive problema nenhum nas fronteiras, nadinha!

      Abs

  8. Olá!!!! Vou em 2 semanas para um tour como o seu, mas tenho algumas dúvidas!
    Dormirei na Ilha do Sol e, logo pela manhã, preciso ir rapidamente à La Paz!
    Há vários horários de barco saindo da Ilha para Copa?? E, em Copa, há vários horários de ônibus para La Paz??
    Obrigada!!

  9. Fala Gustavo, muito boas suas dicas cara, só fiquei com uma dúvida. Você fala que não precisa de passaporte, mas que recomenda fortemente, você soube de alguém sem passaporte que teve problema? Pq o meu ta vencido e não sei se dá tempo de tirar porque vou em janeiro. Abração.

  10. Olá,

    Eu e minha amiga vamos para Copacabana este ano.

    Uma dúvida, nós vamos chegar em Copacabana e dormir uma noite la e no dia seguinte ir para Isla del Sol. Mas nós queríamos fazer a trilha do Norte para o Sul da ilha e pernoitar no Sul e voltar para Copacabana só no dia seguinte.

    Mas não sabemos o que fazer com as malas. Como iremos chegar por um lado da ilha e dormir no outro, teríamos que ir carregando o peso das malas, coisa que queria evitar. Você saberia dizer se tem algum jeito, tipo deixar em algum lugar em Copacabana ou se é melhor não dormir na Isla del Sol e voltar para Copacabana no mesmo dia?

  11. gustavo tudo bem?

    qual hostel indica em copacabana vou ficar dois dias por lá, o que acha?

    um dia para ir ate a isla del sol e no outro para Horca del Inca e algo mais na cidade.

    Ah to com a mesma duvida que voce, sobre se paro em Puno ou se vou direto de cusco para copacabana.
    Puno parece ser chatinho né?

    • Oi Daniele,

      Eu iria direto para Copacabana e ficaria mais tempo lá ou em La Paz ou mesmo em Cusco.

      Um dia para conhecer a Horca del Inca e outro para a Isla del Sol parece bom. Você pode também dormir na Isla e conhecer as islas flotantes com mais um dia.

      Abs

      • Olá

        A entendi.. vou fazer isto então! Em cusco vou ficar uma semana vou fazer a salkantay .. Minha duvida era ir de cusco para puno ou direto para copa… :)
        Obrigada pelas dicas!!

  12. Olá Gustavo,

    Acha válido chegar ao final de um dia em Copacabana, dormir, ir para a Isla del Sol e neste mesmo dia ir a La Paz?

    No dia de ir a Isla del Sol também é possível conhecer as Ilhas flutuantes?

    Parabéns pelo blog!!

    • Desculpe a intromissão, Amanda e Gustavo.
      Em Jan/2011 estive em Copacabana com uma amiga, voltando do Peru e seguindo Bolívia para voltar ao Brasil. É um lugar com uma energia incrível, ainda que uma cidadezinha modesta. A Isla del Sol era mais incrível ainda. Chegando de manhã em Copacabana, eu e minha amiga procuramos por hostel, tinha vários próximos, acabamos por ficar em um de uma senhorinha com suas netas que administravam o mesmo. Barato, limpo, organizado e muito aconchegante na Bolívia, saiu a 35 bolivianos a diária sem café (R$10 na época). Aproveitamos o mesmo dia para conhecer a cidade, o mercado para comprar comida (já que não parávamos em restaurantes), fuçar as barracas de artesanato e fechamos em uma agência o passeio bate e volta de um dia (o dia seguinte) para Isla del Sol e também compramos no mesmo lugar passagens para La Paz para partir assim que voltássemos do passeio, por volta das 18h acredito (não me lembro direito, não fazia anotações na época kkk…). Por fim, fomos de manhã em um barco igual como falou o Gustavo e fizemos o mesmo trajeto, aportando na parte sul, indo com guia até a parte norte das ruínas e de lá fizemos a trilha até o porto na parte sul novamente para pegar o barco para voltar à Copacabana. Eu achei a trilha bem tranquila, mas já estava muitos dias na região dos Andes andinos. Pelo trajeto se tem um panorama do Titicaca e da Isla del Sol muito legais, vale muito a pena! Passamos por habitantes e chegamos à cidade onde tem hospedagens, etc. e a trilha termina numa escadaria frente ao porto. Nota: leve dinheiro: eles não falaram nada, mas tivemos que pagar ingresso em uma ou duas partes e tb tem o guia, etc. Tb nos foi falado que deveríamos chegar em certo horário. O mesmo apertou no meio d trilha e tivemos que acelerar, preocupados em não perder a embarcação. No fim, chegamos correndo, não aproveitamos melhor a trilha, tudo porque depois que chegamos, o barco partiu após quase uma hora ou mais do que haviam falado (!!!!)…Pegadinha para ninguém perder a hora, creio… As malas deixamos na agência mesmo, pegamos elas assim que chegamos, e logo já tomamos o bus para La Paz, chegando na cidade à noite. Algo não recomendado a não ser que tenha um lugar de hospedagem já certo. Nós não tínhamos e sorte a nossa que o Hotel Copacabana tinha lugar vago e fez um preço por dó da gente rsrs…
      Quanto as Islas de Los Uros, elas partem de Puno, cidade de fronteira com a Bolívia. A excursão durou algumas horas, pois o ônibus para Cuzco (para onde iríamos) saía à noite somente, e chegamos em Puno era volta de meio-dia. Logo dava tempo tranquilo para fazer a excursão. Contratamos o passeio na rodoviária de Puno, mas quando estávamos no sentido Bolívia – Peru. Já Copacabana, visitamos quando voltávamos do Peru para a Bolívia, seguindo para voltar para a casa, em um outro momento, após Cuzco.
      Precisa ver o trajeto que fará. Você pode ir antes a Copacabana e depois, já no Peru, ir a Los Uros. Em puno há passagens de ônibus para La Paz, assim você poderia voltar de Puno. Mas não sei te falar sobre os horários de ônibus e da excursão a Los Uros, não lembro das saídas, logo, não sei se será possível encaixar tudo em um bate e volta de mesmo dia.
      Espero ter ajudado. Boa viagem, aproveite muito essa região, eu quero voltar assim que possível! Abs!

Pergunta aí! Queremos saber

O seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*