Início / Antes da Viagem / Onde (não) ficar em Denver – Colorado, nos EUA
Hostel em Denver
O centro de Denver conta com boas opções de hotéis

Onde (não) ficar em Denver – Colorado, nos EUA

No início de nossa viagem para os Estados Unidos, quando faríamos roteiro entre o Texas, Colorado e Louisiana, estava tudo certo de que, em Denver, ficaríamos hospedados em um apartamento reservado pelo Airbnb.

Como imprevistos de viagem acontecem, quando estávamos no Aeroporto de Guarulhos, em SP, embarcando para Austin, no Texas, recebemos um e-mail com o cancelamento do nosso apartamento em Denver.

Apesar de termos 1 mês no Texas antes de seguir viagem para Denver, achamos melhor pesquisar, ali na hora, ainda no aeroporto, e escolher um lugar barato para ficar na capital do Colorado. Desta forma, recomendamos ler estas dicas na hora de reservar hospedagem com o AirbnB.

AAE 11th Avenue Hotel & Hostel em Denver

A boa localização e o preço são os pontos positivos deste mal conservado hostel

Localização e preço são os pontos positivos deste sujinho e mal conservado hostel

O AAE 11th Avenue Hotel & Hostel foi a hospedagem que escolhemos. Temos coisas boas e ruins para falar do hostel.

O primeiro ponto positivo é a sua localização. O apartamento reservado pelo AirbnB ficava em Aurora, um bairro mais afastado do centro de Denver.

Já o hostel fica na 11th Street com a Broadway, a poucas quadras da Colfax, uma das principais avenidas da cidade.

Outro ponto positivo é o preço. Este hostel em Denver é bem barato. As diárias em quarto dormitório custam menos de US$30, e cerca de US$50 para quartos individuais.

Por outro lado, o quarto que fiquei em dormitório com 6 camas não era muito bom. Na verdade, o quarto era conjugado com um segundo quarto com outras 6 camas e uma sala de TV entre ambos, o que fazia o dormitório ter, na teoria, um total de 12 pessoas.

Sala comum entre os dois dormitórios, cada um com 3 beliches

Sala comum entre os dois dormitórios, cada um com 3 beliches

A primeira noite foi a mais difícil para dormir – não pegava no sono de jeito nenhum, e não por causa de roncos, luminosidade ou barulho. O grande desafio foi vencer o cheiro fedido de chulé, que impregnava o quarto.

E o pior é que não escolhi a cama ao lado da janela, e o rapaz que estava nesta cama simplesmente não abria-a de jeito algum. Uma frestinha já iria ajudar…

A segunda noite também não foi fácil – um homem não parava de falar no telefone celular. Falou a madrugada inteira e não havia jeito de ficar quieto.

No meio da noite rolou até um stress. Um outro hóspede deu um berro dizendo para ele calar a boca e o imbecil simplesmente o ignorou e continuou falando, como se estivesse sozinho no quarto.

Por sorte, no dia seguinte este babaca saiu do quarto, mas para o meu azar, um porco suíno resolveu dormir na cama ao meu lado. Como roncava!!

No dia seguinte um senhor bem tranquilo, que ficou o tempo todo na parte de cima do beliche em que eu estava dormindo até comentou que o irmão dele roncava alto, mas nunca tinha visto algo parecido. Perguntou como eu havia conseguido dormir com todo aquele ronco. Foi difícil, mas dormi.

Para completar a avaliação, algo regular (nem tão bom, nem tão ruim) no hotel era a quantidade de banheiros.

Além de ter uma pia para lavar a mão e escovar os dentes no quarto, havia cerca de 5 toaletes em cada um dos 2 andares, o que de certa forma, foi suficiente para que nunca tivesse fila de espera para usá-los.

A limpeza dos quartos e dos banheiros era feita todos os dias. Não era aquela senhora limpeza, mas tornava fácil planejar usá-los para tomar banho quando eles estavam mais limpinhos, pela manhã.

O cômodo de uso comum, com cozinha e sala de TV é amplo, espaçoso e um ambiente razoavelmente limpo.

Cozinha e sala de TV do hostel, em Denver

Cozinha e sala de TV do hostel

Havia utensílios domésticos para uso dos hóspedes, bancada fazer as refeições, uma geladeira boa, microondas, forninho elétrico e aquecedor de água para fazer café. Além de um sofá velho e sujo, televisão, mesinha e estante com livros e revistas.

De uma forma geral, entre coisas boas e ruins, acredito que valha a pena ficar no hostel para economizar alguns dólares visto que a hospedagem é bem mais barata do que a maioria dos hotéis nos arredores.

Entretanto, recomendo pagar um pouco mais e escolher um quarto privativo. Não ficaria em dormitório neste hostel em Denver novamente.

Pesquise hotéis em Denver e faça a reserva pelo Booking

Hotel nas montanhas rochosas, no Colorado

Hotel Grand Junction

Vista do hotel em Grand Junction, nas montanhas rochosas. Descanso merecido.

Para ter uma ideia, na terceira noite eu estava tão embravecido que decidi alugar um carro e seguir para o Oeste do Estado – fiz a reserva no Hotel Grand Vista, em Grand Junction, nas montanhas rochosas. Por sua vez, este era um hotel bem bacana e foi minha válvula de escape para continuar a viagem.

Dicas de viagem em Denver e road trip pelas montanhas rochosas

Como já havia pago as diárias no hostel em Denver, não tentei reembolso, simplesmente peguei estrada e fui relaxar e respirar um pouco de ar puro. Foi uma das melhores coisas que fiz.

Quando voltei da viagem de carro, por sorte os novos roomates eram mais tranquilos e permaneci por lá por mais alguns dias.

Em resumo, economizar com hotel em viagem, ficando em dormitórios em hostels baratos, é sempre uma incógnita, pois depende muito dos outros turistas que irão dividir o quarto com você, da equipe de limpeza e da qualidade das roupas de cama e banho. Em Denver não tive muita sorte…

Danilo

Dan já foi Comissário de Voo e Relações Públicas. Hoje é um viajante. Já viveu no Canadá, fez road trip pela Califórnia e mochilão na Europa. Conhece 20 países e todas as capitais do Brasil. Quer conhecer 50 antes dos 50.

Pergunta aí! Queremos saber

O seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*