Início / Viajei (relatos) / Cartão Postal / A vila de Conceição do Ibitipoca e as múltiplas facetas da Serra do Ibitipoca, em Minas Gerais

A vila de Conceição do Ibitipoca e as múltiplas facetas da Serra do Ibitipoca, em Minas Gerais

Localizado próxima à intersecção das divisas de três estados do Sudeste — SP, RJ e MG, o pequeno vilarejo de Conceição do Ibitipoca tem apenas 1,5 mil habitantes, mas recebe milhares de turistas todos os anos.

A principal atração da cidade é a Serra, que dá nome à vila. Aliás, muitos lugares por ali levam o sobrenome “Ibitipoca”. É Ibitipoca pra cá, Ibitipoca pra lá…

Contudo, existe uma Ibitipoca apenas — A Serra do Ibitipoca, que deixa gringos e brasileiros boquiabertos com as belezas naturais do Parque Estadual.

Dicas para viagens em cidades românticas em MG

Serra do Ibitipoca-MG

Mirante na trilha do Circuito das Águas, no Parque da Serra do Ibitipoca-MG

Além do ecoturismo, muitos também viajam para curtir os já tradicionais festivais de Forró, Blues e Jazz, entre julho e agosto, que agitam a noite desta charmosa cidadezinha do interior de MG.

Viaje para lá: Ouro Preto, a cidade histórica de MG

O que fazer em Conceição do Ibitipoca, MG

Ibitipoca MG

O vilarejo de Conceição do Ibitipoca, em Minas Gerais

Parque Estadual da Serra do Ibitipoca

O Parque Estadual da Serra do Ibitipoca é imenso e exige um roteiro de no mínimo 3 dias para completar os percursos e conhecer todos os pontos turísticos.

Ao contrário do Parque Estadual da Serra do Mar, em Cunha-SP, que tem a entrada gratuita, para acessar o Parque do Ibitipoca é necessário desembolsar R$ 20 (inteira) ou R$ 10 (estudante, crianças e terceira idade). O parque abre de terça a domingo. Nas férias de julho e janeiro abre todos os dias.

O estacionamento é pago (R$ 20) e limitado. Há placas de proibido estacionar em trechos da estrada que leva ao parque, mas há vagas em um dos lados da pista.

Deixamos o carro lá, mas aos finais de semana é preciso chegar cedo, de preferência antes das 09:00, para conseguir vagas próximas da entrada.

Foi o que fizemos. Aliás, um truque para quem pretende seguir até a Janela do Céu, pois o início desta trilha fica antes do estacionamento oficial. Quem estaciona o carro dentro do parque tem que andar mais.

 

Trilhas em Ibitipoca

Trilhas Parque do Ibitipoca

As trilhas do Parque da Serra do Ibitipoca-MG são bem sinalizadas

Existem 3 trilhas — a Janela do Céu, o Circuito das Águas e o Pico do Peão. Ou seja, para conhecer bem o parque e percorrer todas as trilhas será necessário gastar R$ 60 por 3 dias de passeios.

Nesta viagem reservamos apenas 2 dias ao parque por consideramos suficiente. Tiramos os outros dias para aproveitar o bucólico e charmoso vilarejo.

A Janela do Céu e o Circuito das Águas são os roteiros mais bonitos. Com trecho íngreme e 11 km de extensão, o Pico do Peão é uma trilha difícil, e pode ficar para uma segunda viagem à Ibitipoca-MG. Sim, você vai querer voltar!

Vale a pena colocar Ibitipoca na lista de destinos para conhecer no Brasil.

A Janela do Céu – Ibitipoca, MG

Janela do Céu - MG

Vista para a “Janela do Céu”, no Parque da Serra do Ibitipoca, MG

Fizemos, portanto, apenas estes 2 primeiros passeios. No primeiro dia seguimos 16 km pela trilha da Janela do Céu, em 6 horas de caminhada.

Há inúmeras atrações ao longo da trilha, porém com escassos pontos para beber água. Cachoeira só no final. Aí também a água salta da boca, você esquece da sede, com a paisagem de um dos lugares mais bonitos do país.

lugar bonito no Brasil

A Janela do Céu é um dos lugares mais bonitos do Brasil

Por isso, neste roteiro é fundamental levar água, algum alimento (barrinhas de cereais, frutas, lanches leves), protetor solar e chapéu.

Vimos algumas pessoas com bastão para caminhada, vendidos por R$ 60 na lojinha do parque, mas achamos totalmente dispensável.

cachoeirinha

Cachoeirinha, fica no final da trilha da Janela do Céu

cachoeira arco íris

Arco-Íris que se forma próximo ao lago da cachoeirinha

Após o ecstasy com a visão do ponto turístico e, talvez chocados, ao molhar a bunda na água gelada do Ibitipoca para tirar “aquela foto” massa, muitos aventureiros até esquecem de fazer o pequeno desvio na trilha para conferir de perto a Cachoeirinha ou Cachoeira do Arco-Íris.

Depois de curtir estas belezas naturais é hora de seguir a parte final do percurso até a portaria. Basta seguir as placas que indicam o camping. É possível acampar dentro do parque.

Para mais informações sobre o camping entre em contato neste e-mail peibitipoca@meioambiente.mg.gov.br. Não é a nossa praia, por isso indicamos algumas opções de pousadas no final do post.

Circuito das Águas

Com apenas 5 km e diversas cachoeiras e lagos, o Roteiro das Águas é ideal para fazer com crianças pequenas e pessoas mais idosas. É um circuito fechado, mas com rotas adjacentes, não sendo necessário fazê-lo por inteiro.

No entanto, uma vez na trilha, que começa na bela prainha, você vai querer passar por todos os pontos – o Lago Negro, o Paredão de Santo Antônio, a Ponte de Pedra e a Cachoeira dos Macacos.

Prainha Ibitipoca MG

A prainha fica logo no início do roteiro das águas

Cachoeira do Espelho MG

Cachoeira do Espelho, no roteiro das águas, em Ibitipoca-MG

Uma dica ao fazer o Roteiro das Águas é levar roupa de banho e toalha na mochila, especialmente nas férias de verão, entre dezembro e janeiro.

Apesar das águas geladas, é gostoso refrescar-se ao longo da caminhada. A água é potável, brota da serra.

Lago Negro MG

Lago Negro, no Parque do Ibitipoca-MG

Paredão Ibitipoca MG

Paredão de Santo Antônio, no Parque da Serra do Ibitipoca-MG

Roteiro de 2 dias em São Tomé das Letras, MG

Onde comer em Ibitipoca

Há um restaurante dentro do parque.

Fizemos uma refeição no dia que fomos na Janela do Céu. Pagamos R$ 25,00 (preço de 2017) por pessoa para comer à vontade no buffet com saladas, 2 tipos de carne (ou omelete), massas, batata frita, batata doce e arroz com feijão.

No segundo dia foi um suco de laranja e um bolinho de mandioca por R$ 12,00. Chegamos exaustos, era preciso repor as energias.

pão de canela

O pão de canela é tradição na região

Agora, para provar o melhor da culinária da serra, no entanto, é preciso ir nos restaurantes do centro da vila. O melhor é o Serafina, localizado perto do supermercado e da agência de viagens que aluga quadriciclos.

Outros lugares que recomendamos é o Nhoc Tipoca, bem na entrada da cidade tem deliciosas massas e preço bastante acessível. Além do Gula do Lobo Gastronomia, com pratos exóticos e ótimo atendimento. Para o jantar, a dica é levar a sua garrafa de vinho. O preço da rolha é barato.

Por fim, não deixe de provar o famoso pão de canela, iguaria típica da região. O melhor pão de canela de Ibitipoca é vendido no Restaurante Abacateiros. A chef Elaine capricha na receita. Cada unidade sai por R$ 5,00.

Festivais de música em Ibitipoca

O pequeno município realiza grande eventos, dentre eles o Festival de Forró, na primeira quinzena de julho; o Festival de Jazz, no final de julho; e o melhor de todos, o Festival de Blues, em agosto.

shopping ibitipoca

Portal da Serra , no centrinho de Conceição do Ibitipoca-MG

Estivemos na cidade durante o Festival de Forró, que aconteceu de sexta à domingo no Pub La Gruta, no subsolo do Shopping Portal da Serra, um pátio com diversas lojinhas, restaurantes e cervejaria. Pagamos R$ 40,00 com direito a aulas de dança antes dos shows. Foi bastante divertido.

Os moradores nos disseram que ainda mais animado é o Festival de Blues, que neste ano acontecerá entre os dias 25 e 26 de agosto de 2017.

Já o Festival de Jazz disseram ser um pouco mais elitizado, mas que vale a pena.

Réveillon e Carnaval

Ibitipoca costuma agradar quem escolhe a cidade para passar o final do ano.

A dica é somente evitar viajar na primeira quinzena de dezembro. É período de chuva. Vá após o Natal para curtir o Ano Novo e as férias de janeiro.

Ao que consta, o Carnaval também é um feriado bem maneiro para conhecer a alegre e simpática Conceição do Ibitipoca-MG.

Festas em Minas Gerais: lugares para viajar e se divertir

Como chegar em Conceição do Ibitipoca-MG

Conceição do Ibitipoca é pequena, e quase esquecida no mapa. Para chegar lá, é preciso ir até Lima Duarte-MG, 420 km de SP, 300 km de BH e 240 km do RJ.

De Juiz de Fora-MG são apenas 60 km até Lima Duarte. De Resende-RJ e Volta Redonda-RJ são aproximadamente 130 km, o que torna Ibitipoca-MG uma viagem curta para mineiros e cariocas destes municípios.

De Lima Duarte, a viagem segue por 25 km em estrada ora asfaltada ora com trechos de terra, ambas em condições satisfatórias.

Roteiros turísticos no Sul de Minas

Ibitipoca-MG

Igreja da Matriz, na pequena Ibitipoca-MG

Apesar da longa distância, é fácil chegar. Coloque no GPS como destino final a cidade de Lima Duarte. De lá, siga as placas que sinalizam a Serra do Ibitipoca. São cerca de 40 minutos.

De São Paulo, fomos pela Dutra. Levamos 7 horas e meia com 3 paradas. Voltamos pela Fernão Dias. Nesta última economiza-se nos pedágios, mas há mais caminhões e curvas. Com apenas 1 parada para abastecer em Lima Duarte, a volta foi mais rápida. Levamos pouco mais de 6 horas.

Atenção!

Aproveite o trevo de entrada em Lima Duarte para abastecer o carro. Em Ibitipoca você não irá rodar muito, mas é bom ter o tanque pela metade. Na vila não há posto de gasolina, nem qualquer caixa para sacar dinheiro.

E, apesar de alguns lugares em Ibitipoca-MG aceitarem cartão de crédito e débito, o sinal muitas vezes é fraquinho.

É preciso levar dinheiro em espécie ao menos para pagar a entrada no Parque Estadual da Serra do Ibitipoca, que não aceita cartão.

Onde ficar em Ibitipoca-MG

Ficamos hospedados no Hostel Casa Real.

Localizada a cerca de 1 km do centrinho de Ibitipoca, é uma pousada barata para quem viaja sozinho ou em grupos maiores.

Pagamos R$ 80,00 na diária do quarto coletivo com 12 camas. Por sorte não havia mais ninguém. Com a lotação máxima talvez não fique confortável, mas a casa também possui apartamentos para casais e famílias.

Pesquise mais opções de pousadas em Ibitipoca pelo Booking

Danilo

Antes de começar o Muita Viagem, fui Relações Públicas e Comissário de Voo. Vivi no Canadá, fiz longas viagens nos Estados Unidos e alguns roteiros na Europa.
Já estive em todas as capitais do Brasil, e em mais de 20 países pelo mundo. Quero conhecer o Oriente Médio, África e Ásia.

Um comentário

Tire a sua dúvida, comente. Participe!

O e-mail não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*