Início / Antes da Viagem / Viagem de mochilão: dicas para comprar mochila

Viagem de mochilão: dicas para comprar mochila

Gustavo Villas Boas

Depois de 5 meses viajando de mochila, acho que tenho boas dicas para comprar um mochilão para viagem. Abaixo, falo um pouco do que olhar na hora de comprar a melhor mochila para você viajar com tranquilidade.

– Roteiro de mochilão pela América do Sul: O que fazer na viagem

– Mochilão pelo Peru: Dicas de viagem

– Fórum Mochileiros

Mochilão para viagem – Dicas para comprar uma mochila

Vale a pena ter uma mochila cargueira de qualidade. Costumo dizer que, em uma viagem de mochilão, a mochila é sua casa.

Lar doce lar

Lar doce lar

Não é brincadeira: a mochila tem que ser confortável, encaixar bem no corpo, ser feita com materiais de qualidade e ser fácil para organizar as coisas. Pense nisso na hora de responder: Qual o melhor mochilão para viagem para comprar?

Por muito tempo, eu viajei com uma mochila Nautika de 45 litros com apenas entrada para a maior parte do volume. Era uma boa mochila, com faixas para prender no peito e na cintura (que devem ser usadas) e espaço suficiente para passar bastante tempo. Usei muito e emprestei muito e ela está lá, inteirinha.

Além desse mochilão, levava outra mochila comum para o dia a dia. Inevitavelmente, usava essa mochila de ataque para carregar alguma bagagem em trânsito, como o computador, cabos, adaptadores, livros e, muitas vezes, roupa.

Não é o fim do mundo carregar duas mochilas, usando às vezes uma no estilo canguru e a outra nas costas, mas é muito melhor usar um mochilão cargueiro como os Quantum, da Deuter, minha mochila atual.

Mochilão Deuter Quantum

O mochilão Deuter Quantum tem vários compartimentos e dá até para separar bem a roupa suja.

Ele vem com uma mochila de ataque para o dia a dia que pode ser presa à cargueiro e é muito útil para facilitar o deslocamento quando você estiver carregado.

Meu mochilão de viagem com a mochila de ataque presa

Meu mochilão de viagem com a mochila de ataque presa

Outra coisa boa do mochilão Quantum da Deuter é que ele tem uma capa de chuva que serve também como bolsa para despachar a mochila, deixando ela mais protegida e discreta.

A capa de chuva vira uma bolsa para despachar a mochila

A capa de chuva vira uma bolsa para despachar a mochila

A mochila ataque vai comigo no voo; o mochilão viaja protegido

A mochila ataque vai comigo no voo; o mochilão viaja protegido

Eu estou usando um Quantum de 70 litros mais 10 da mochila de ataque, uma mochila bem espaçosa e até meio grande para mim, que sou baixinho.

Minha mochila ficou bem cheia (já estou me despedindo de algumas roupas), mas, mesmo não tão cheio, o mochilão da Deuter tem um bom sistema de ajuste das alças e faixas para compactar a mochila, ela não fica sobrando e toda mole.

Com vários bolsos e compartimentos, também achei fácil de organizar a bagagem de viagem: sou desorganizado, mas acho importante colocar coisas de função parecida no mesmo compartimento. E, para isso, você precisa ter… compartimentos.

A mochila Deuter Quantum não é barata no Brasil. Trata-se de uma marca conceituada, talvez a mais famosa marca de mochilas do mundo. É uma marca alemã com mais de 100 anos (começou em 1898) de tradição que reflete-se na qualidade do material.

Existem várias outras marcas de mochilas de qualidade, leia os reviews das mochilas em sites como a Amazon e, se possível, mexa no mochilão pessoalmente.  Repito: se for comprar um mochilão de viagem, compre um bom.

Se eu não tivesse uma mochila de 45 litros, compraria a Deuter Quantum 55 + 10 L, porque encher uma mochila de 70 L, o que é uma tentação, é virar um burro de carga. A minha ficou com 15 quilos.  Existe uma versão desse mochilão para mulheres.

– Acompanhe o Muita Viagem no Facebook 

– Instagram do blog de viagens: Melhores fotos

Arrumando o mochilão

Nunca entupa a mochila – Se você, no conforto da casa, tem dificuldade para fechar o zíper da mochila, tire alguma ou algumas coisas.

Não vale a pena levar roupas para possíveis eventos especiais sociais. Levar sapato, camisa ou sei lá o que para caso apareça uma festa chique ou uma boate com dress code é ter peso inútil.

Ir preparado para um dia mais frio não é carregar algo para um evento social. Acho sempre importante ter uma calça e uma blusa na mochila, apesar de que, quando passei 40 dias mochilando no Nordeste, era uma tentação bem grande doar as peças.

E já fiz isso várias vezes: deixei uma camiseta aqui, outra meia ali. Aliás, quando fiz meu primeiro mochilão, para a Europa, levei algumas meias e cuecas muito velhas, além de camisetas que eu não queria ou precisava mais, e fui deixando pelo caminho, para poder colocar lembrancinhas (hoje dificilmente compro alguma coisa quando viajo).

Leve uma sacolinha ou uma cartucheira ou até uma pochete para carregar coisas pequenas no dia a dia, como a chave do armário no hostel, a câmera digital, a carteira e um mapa. Nem sempre é necessário levar a mochila de ataque, que pode ser bem desagradável à noite ou na praia.

Na viagem de mochilão

Muita gente deve ter torcido o nariz quando leu pochete (“não usaria jamais!”) e vou aproveitar para dar uma dica importante: Não siga regras de mochileiros, nada foi escrito em uma tábua de mármore enviada pelos deuses.

Já li que mochileiro nunca, de jeito nenhum pode usar transfer particular ou táxi, apenas transporte público, ou comer em fast food é proibido.

Isso é bobagem teórica. Transporte público é mais barato e faz você sentir melhor o dia a dia das pessoas do local e fast food é ruim em qualquer lugar, mas se você está viajando de mochilão, gosta de aventura e novidade e até essas regras podem ser quebradas.

Voltando ao que interessa.

Quando chego em um hostel ou pousada, pergunto logo onde é a área para lavar roupa, se tem cozinha para hóspede e geladeira.

Lavo sempre a roupa quando tenho tempo, não espero acumular (mentira!), porque nunca dá para saber quando será a próxima chance de lavar a roupa em uma viagem de mochilão (verdade…).

É bom sempre ter água e alguma coisa prática para comer na geladeira do hostel, como frutas, iogurte, tomate (adoro).

Uma das melhores formas de economizar em uma viagem de mochilão é cozinhando ou comprando comida no supermercado. Também é uma boa forma de interagir com outros mochileiros. Se você não sabe cozinhar nada, ainda dá tempo de aprender o básico, acredite.

Além disso, peço indicações no hostel, para outros mochileiros e para moradores do local de onde comer barato e bem, onde tem marmitex, prato feito etc.

Sempre que tiver oportunidade, carregue a câmera fotográfica e o celular. Sempre. E tenha um bom adaptador de tomadas, porque, nos hostels e pousadas, focinho de porco é tomada: você vai encontrar tomadas de todas as cores e sabores, até mesmo do (ridículo) padrão oficial e obrigatório brasileiro.

O smartphone ajuda muito durante a viagem.  Eu uso o meu para tirar fotos, carregar livros e guias (uso o software do Kindle), checar alguma informação na internet, ver facebook…

O melhor aplicativo para viagens é o Whats App, para comunicação com outros mochileiros, amigos e família.

Não confie no celular para tudo, como guardar endereço do hostel, número da passagem aérea ou uma informação importante de roteiro. Para isso, o melhor tablet é um caderninho, que serve como diário de bordo.

Uma dica para economizar na viagem é anotar tudo o que você gasta neste caderninho. Incrível como sabendo onde está indo o dinheiro, a gente acaba gastando menos.

Não deixe para arrumar malas na última hora e tenha responsabilidade sobre suas coisas. Acho muito chato quando alguém, conhecido ou não, pede para eu dar uma olhada no celular carregando que já volta e demora, ou diz que alguma coisa foi furtada e acaba por declinar o nome de um suspeito do último lugar que ficou. Não que eu não faça as duas coisas.

Já vi, mais de uma vez, alguém começar a reclamar que teve o carregador de celular furtado, apontar um suspeito e, depois de revirar a mala, encontrar o bicho.

Também já emprestei meu computador para um rapaz falastrão, do tipo la garantia soy yo, que só não guardou no armário, como tinhámos combinado, como passou a responsabilidade para outra pessoa que não guardou.

Viajando sozinho de mochilão

Eu deveria ter falado “não, não dá para usar o computador, estou saindo agora e você pode usar quando na volta.”

Aprender a falar não de forma clara, direta, é uma das coisas que eu aprendi viajando de mochila e recebendo gente do Couch Surfing em casa.

Nós, brasileiros, temos dificuldade em falar não e sim de forma clara e direta (não acho isso um problema, apenas uma característica) e às vezes nos sentimos ofendidos em ouvir não.

Mas em uma viagem sozinho, acho importante ser claro e direto, principalmente porque você está lidando com pessoas que não conhecem suas manhas. Quando alguém pergunta “vamos amanhã fazer tal caminhada” e você responde “acho que sim”, para muita gente isso não será uma resposta simpática que deixou tudo em aberto, mas a indicação de que você provavelmente vai acompanhá-lo.

Não tenha medo de falar não quero, não vou, não gosto.

O que fazer no mochilão

Hostels são um ótimo lugar para conhecer gente legal, outros mochileiros, possíveis companheiros de viagem.

Além disso, em um bom hostel, eles saberão indicar onde comer bem e barato, como andar de ônibus pela cidade, quais são os lugares legais para ir e quais são pega-turistas.

Também uso bastante o Couch Surfing, mesmo que não seja para pedir hospedagem, vale a pena fazer parte da comunidade.

No fórum de discussão de uma cidade, você sempre encontra alguém pedindo companhia para fazer algum programa de última hora ou procurando um grupo para uma viagem mais longa. Em muitas cidades há encontros de couchers.

É importante ler com atenção o perfil da pessoa, ver recomendações e ter todo o cuidado –o bom senso é uma boa régua. Pense nisso na hora de criar o seu perfil: preencha com sinceridade seus gostos e participe da comunidade para ganhar credibilidade. Quando vou ficar na casa de alguém do Couch –ou receber em casa–, peço o quanto achar necessário de referências, como o Facebook, o Whats App e etc.

Nas minhas viagens, já encontrei companhias e dicas tanto no Couch Surfing quanto no hostel.

Planejando o roteiro do mochilão

O Couch Surfing também é bom para pedir dicas práticas no dia a dia (que bairro ficar em Buenos Aires?, onde é legal para beber cerveja na terça à noite em Cartagena?, tem alguma cachoeira perto de Quito?), encontrar alguém para fazer intercâmbio de idioma de forma descontraída –um bate-papo em um bar– e até planejar o roteiro maior.

Na hora de planejar o roteiro, eu uso bastante blogs de viagens, o Lonely Planet e o Google Maps.

Já vi gente dizendo que um mochilão tem que ser planejado de ponta a ponta e o inverso: quanto mais flexibilidade, melhor.

Eu não gosto de planejar cada passo da viagem de mochilão, acho que cria ansiedade à toa e você transforma uma esticadinha em uma cidade que adorou ou uma mudança de caminho para viajar alguns dias com uma pessoa legal em algo maior do que é.

Tenho sempre uma sequência de cidades até o ponto final, mas posso tirar cidades dessa lista ou incluir lugares sem qualquer problema.

No meio do caminho, faço algumas marcas para não perder o prumo. Por exemplo, em 40 dias no Nordeste, entre 13 de novembro e 23 de dezembro, entre São Luís, no Maranhão, e Recife, em Pernambuco, marquei um passeio no dia 16 em Barreirinhas, no Lençóis Maranhenses, e de encontrar um amigo dia 10 de dezembro em Natal. Além dos voos, eram esses meus grandes compromissos que norteavam meu roteiro ao longo da viagem.

Eu gosto bastante de sair para balada, então no pré-roteiro, eu vejo quais são as melhores cidades para sair à noite e planejo chegar nelas nos melhores dias para sair –normalmente a partir de quinta.

Também não aperto minhas estadias, quase nunca calculo menos de duas noites na mesma cidade e deixo dias vagos, exatamente para deixar o roteiro de mochilão bem flexível sem nenhuma dor na consciência.

Por exemplo, se eu pegar meu planejamento do mochilão de 40 dias pelo Nordeste, o número de dias que reservei para cada vai ser menor do que o número de dias no calendário. A cada semana, ter um dia bem livre é uma boa medida.

Agora, estou fazendo um mochilão pela América do Sul. Volte aqui para saber mais dessa viagem…

Gustavo

Gustavo está em algum lugar da América do Sul, em um roteiro de mochilão que começou em março, no Equador.

25 Comentários

  1. Muito boa as dicas. Tive uma Deuter Quantum 55 + 10 L (que agora esta com minha noiva) e não tenho dúvidas que é a melhor opção pra mochilar por um ou dois meses. No entanto prefiro carregar a mochila de ataque na frente, onde fica as coisas de valor e normalmente coisas que você frequentemente precisa pegar, como impressões de hostel, transportes, etc.

  2. Tenho uma quantum 70 tbm, ela é ótima. FOi muito difícil achar quantum no BR…. Uma opção para quem está sem grana é a Nord TB 1235 (65 + 15), muito parecida com as quantum.

    Mochila Nord Outdoor 1235 65 + 15 (400 $)

  3. Olá!!! Fiz trip mês passado carregando mala, quase morria ao desembarcar e pegar metro, jurei nunca mais levar mala, agr só mochilao rsrs queria saber melhor marca, lugar pra comprar e vlr de mercado. Minha irmã ta indo pra Miami, consigo algo maneiro por lá e com bom preço? Obrigada!!!

  4. Fala pessoal, estou comecando agora no mochilao e gostaria de saber qual seria a melhor opcao pra quem esta comecando agora e prentende fazer uma viajem de 20 dias pelo sul dos EUA, tenho duas opcoes no mesmo valor uma The North Face Youth Terra 55 Pack ou uma Deuter Quantum 7010. Estou um pouco reseioso de comprar a de 70 litros e ser muito grande. valeuu

  5. Bom dia, Gustavo. Tudo bem? Espero que sim!

    Estou começando a planejar meu primeiro mochilão e escolhi o Uruguai – antes do Nordeste brasileiro. Enquanto pesquisava sobre mochilas ideais para este tipo de viagem, caí aqui no seu blog e confesso que achei extremamente completas e lúcidas suas informações.

    Como ainda estou em fase de escolha, pesquisas, planejamento etc e tal (leia-se: livre para mudar de destino a qualquer momento) gostaria de saber se você aconselha o Uruguai como primeiro destino e, se sim, se há dicas de albergues mistos para ficar (além do Caballo Loco, em Montevidéu, que já me convenceu! haha). Vamos eu e meu namorado.

    Agradeço desde já pelas informações!

    Um abraço e boa viagem :)

  6. Olá, Gustavo!

    Meus parabéns pelo site e a forma atenciosa em que você os seus leitores.

    Fazer um mochilão, ou mesmo uma viagem é uma missão daquela, pois existem diversas opções, caminhos, escolhas e quanto mais escolhas se tem, mais paralisado fica.

    Por isso, gostaria de uma idéia sua em relação a mochila cargueira:

    Vou sair de intercâmbio mês que vem, ficarei de Abril a Agosto na moradia de uma universidade da Alemanha, entretanto 20 dias antes e 20 dias depois eu irei mochilar, por isso gostaria de saber qual o tamanho ideal de mochila considerando que rodando mesmo ficarei somente 20 dias, e o restante estarei na moradia onde todas as minhas coisas estarão seguras. Inclusive, penso que ter uma mochila um pouco maior do que o necessário para 20 dias possa ser interessante para viagens futuras.

    Por mais, já agradeço a sua atenção. Outra coisa: trabalho com Marketing Digital também, esse artigo seu é muito bem rankeado para palavras chave relacionadas à mochilão, pode ser uma boa idéia você inserir links de afiliado direcionando para a compra das mochilas que você recomenda, assim você faz uma graninha também, enquanto ajuda as pessoas a comprar a mochila ideal para elas. ;)

    Grande abraço

    • E complementando a resposta anterior, Gustavo, eu gostaria de saber se é possível que a mochila de ataque tenha compartimento para Notebook também.

    • oi Humberto,

      Obrigado! E vamos pensar nessa sugestão para ganhar um dinheiro e ajudar a comprar a mochila né?

      Olha só: é verão na Europa, então acho que você não vai precisar de uma mochila muito grande para lotar de blusas. Além disso, você pode lavar roupas, então imagino que uma mochila de 50 litros dá conta.

      Porém eu sou apaixonado pela Deuter Quantum que eu usei no mochilão. Ela é bem flexível, apesar de caber 70 litros, com pouco volume dá para ajustar bem ao corpo e deixar compacta. Com o volume de uma viagem de 20 dias, dá para deixar ela bonitinha no corpo.

      A mochila também enfrentou 6 meses de viagem, chuvas finas, Carnaval em Olinda e até comentei com um amigo: tá com os zipers voando, não deixa entrar água.

      Ou seja, é uma super-mochila, bonita, resistente e flexível. Não fico temeroso de sugerir que você cogite comprar essa mochila –que é cara, infelizmente.

      Mas a Deuter é uma marca alemã, de repente você leva um saco de sanito e compra uma lá rs

      abraços
      Como

  7. Gustavo, primeiramente parabéns pelo seu blog. Com certeza tem dicas valiosas!!! Encontrei essa mochila Intruder 60l essa serve pra qualquer situação né? Sou pequena, acho que dá e sobra kkk A princípio vou utiliza-la numa viagem pela Argente e Uruguai por 10 dias. Depois quero aproveita-la para viagens mais longas. Será que é boa?
    Obrigada.

  8. Ola Gustavo, eu pretendo fazer meu primeiro mochilão de 20 a 30 dias pelo Uruguai, Argentina e dar uma passada no Paraguai na volta e estou na duvida de qual primeira mochila comprar, eu encontrei no site da americanas uma bem atraente na questão custo beneficio e a Mochila Cargueira Elbrus 60 Litros – Guepardo ela parece ser muito boa, queria saber se 60 litros e um bom tamanho para essa viagem, se janeiro ‘e uma época boa para visitar esses países e quais lugares não posso deixar de visitar em cada pais, pode me dar essas dicas? Fico no aguardo, Obrigado desde ja!

    • Oi Guilherme, 60 litros acho que é legal sim. Janeiro é uma época boa. Na Argentina, Buenos Aires e Mendoza são incríveis. No Paraguai, vale conhecer as Missiones. Uruguai tem um belo litoral, além de Montevideu. Abs

  9. Gostei das dicas, estava atrás de umas para essas mochilas, digamos, práticas para viagens.
    E comecei a tentar planejar viagens, tipo essas suas. Meus primos fizeram uma pela América do Sul e
    disseram que a experiência foi maravilhosa. Pretendo fazer o mesmo.

  10. Olá Gustavo, suas dicas são muito valiosas! Estou planejando meus primeiro mochilão. Vai ser em maio/junho, provavelmente pro leste europeu. Pretendo ficar uns 20 dias. Não tenho mochila, estou tendendo a comprar a Quantum 60+10 Sl. Sou baixinha, tenho 1,57. Será q é um tamanho bom pra mim?

    • oi Priscila, o ideal é você experimentar a mochila em uma loja. Lembre-se de considerar o clima na época, pois roupas de frio ocupam muito espaço. Mas a princípio acho que é um tamanho bom…

      abs

  11. Olá Gustavo.

    Cara passando mesmo só para te parabenizar.
    Vou fazer um mochilão na Europa agora em setembro 30 dias, já peguei várias dicas preciosas de qual cargueira comprar, companhias e sites.
    Obrigado mesmo
    E pra vc sempre … boa viagem rs

    abs

  12. Olá Gustavo,

    meu nome é Lucas e sou de Minas e estou indo pro Uruguai com uma amiga agora em novembro. Vamos de avião até Curitiba e descer o resto de carona. Pela sua experiência, vc teria alguma dica pra nos dar durante esse trajeto, a nossa viagem será de 20 dias, obrigado.

    • oi Lucas, não conheço o Uruguai…

      Mas entre as dicas: tenha sempre dinheiro em espécie do país que você estará, tente entrar em contato com pessoas do couch surf das cidades que vai visitar no mochilão e veja o fórum do site e pegue dicas de destinos nos hostels que se hospedar.

      abs

  13. Olá Gustavo, Tudo bem?
    pergunta, a Deuter tem ziper lateral? Eu peguei uma TETOn emprestado que tinha bolso lateral e foi paixão…rs! Prática demais! Agora vou comprar a minha e to em dúvida ainda.

Pergunta aí! Queremos saber

O seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*