Home / Vasto Mundo / Canadá / Canadá por 6 meses sem pagar hospedagem
  • Sofá #2

    "bad trip" - fiquei apenas uma noite

  • Sofá #3

    "the best couch ever" - fiquei uns dez dias, e depois ainda voltei a ficar com a família no sofá #5

  • Sofá #4

    antes da mudança, fiquei uma semana no sofá #4, na casa da vizinha e amiga Michelle

  • Sofá #5

    fiquei na casa nova dos meus amigos Chris e Heide por mais um mês!

  • Sofá #6

    meu primeiro "couch" em Montréal, após ficar uns dias no Hostel

  • Sofá #7

    lugar bem legal! A moça era albanesa, diretora de marketing e tinha amigos brasileiros

  • Sofá #8

    uma república de estudantes canadenses, amigas da Geneviéve

  • Sofá #10

    fiquei na casa de uma chinesa/americana.. começava a cansar dessa vida...

Canadá por 6 meses sem pagar hospedagem

Este é mais um post da série “Pedaços de viagem ao Canadá“. A razão do nome é por conta de lembrar apenas de algumas passagens da viagem, que fiz já há algum tempo.

Nesta parte do relato, contarei como consegui morar no Canadá por 6 meses sem praticamente pagar aluguel ou gastar dinheiro com diárias em hostels e hotéis.

Uma das coisas que viabilizaram a duração de 6 meses da minha viagem no Canadá foi o fato de conhecer a comunidade Couchsurfing. O site é uma rede social de pessoas que oferecem acomodação gratuita em troca de experiências culturais, e simplesmente pelo fato de querer ajudar um viajante, sentir a alteridade e nela, sua própria identidade cultural.

Antes da viajar para o Canadá, fiz uma viagem internacional para a Europa e lá tive a oportunidade de ficar alguns dias em uma república de estudantes, em Maastricht, na Holanda, cujas meninas conheci por meio do Couchsurfing.

A experiência me fez pensar na possibilidade de passar os 6 meses no Canadá surfando de sofá em sofá, economizando com isso dinheiro que possibilitaria estender minha viagem de intercâmbio de 3 meses para 6 meses e ter ainda mais contato com a cultura canadense. Tive meus perrengues, mas deu certo e vou contar!

O dinheiro que eu tinha, fruto da venda do meu Uno 96 e da minha rescisão de emprego de Assistente de Marketing, dava apenas para pagar a passagem aérea e o curso de inglês por 3 meses.

Durante o planejamento da viagem, comecei a enviar pedidos de hospedagens via Couchsurfing e muitos canadenses responderam. Decidi arriscar e pagar por um curso de francês em Montreal também.

Dessa forma minha viagem barata, fruto de muito networking, se daria em 6 meses, sendo 3 meses morando em Victória, na Ilha de Vancouver, em British Columbia, para estudar inglês, e 3 meses de estadia em Montreal, no Québec, lado dos francophonos, estudando francês.

cs-victoria-bc-casa1

Sofá #1 – Viajando na literatura de George Orwell no fantástico ano de 1984 (Nineteen Eight-Four).

Primeiro gostaria de dizer que o que fiz não é o intuito da comunidade, foi uma viagem de imprevistos e muita aventura. Um pouco amador, mas uma atitude que admiro. Para ter uma ideia, a viagem aconteceu em 2007, e o site do Couch Surfing apesar de ter assumido posto de melhor site do gênero frente ao Hospitality Club naquela época, ainda não era tão popular quanto hoje. Você, quando foi que ouviu falar de Couchsurfing?

Enfim, consegui ficar em 16 diferentes couch surfers em 6 meses viajando pelo Canadá. Não façam isso, crianças! Tive muita sorte e jamais repetiria a saga hoje em dia, mesmo que tenha sido muito bom para falar ainda mais o inglês e conhecer a cultura canadense enquanto colegas koreanos que estudavam na mesma escola que eu – Pacific Gateway, pagavam para ficar em home stay que falava filipino. Eu tive contato com famílias canadenses e fiz amigos de verdade.

Bom lembrar que isso é legal para quem está viajando sem compromisso, de férias, mochilão, não para quem está fazendo intercâmbio, pois durante a viagem sentia muita falta de ter o meu canto para estudar, sem ter que mudar de casa toda semana.

Mas hospedagem barata só com Couchsurfing?

Não! Além dos 16 couch surfers, cheguei a alugar um quarto em Montreal através do Craiglist. O grande problema foi que as duas garotas eram meio porcas e tinham dois cachorros imensos (não sou muito chegado em animais). E como eu não tinha nada, fiquei lá por apenas duas semanas, em um colchão no chão, sem lençóis. Foram dias bem difíceis!

Poxa, até aquele momento (já era o finalzinho da viagem) eu não tinha gasto um dólar canadense se quer para ficar hospedado e tinha sido muito legal, por quê agora, que eu estava pagando pela hospedagem, estava parecendo uma prisão? Pensei, pensei e não sabia como falar com as meninas que mal via. Certa manhã saí da casa com meu mochilão e deixei um pouco mais do que o referente as minhas duas semanas lá. 70 dólares canadenses.

Bom, não quero com esta história dizer que é melhor ou pior ficar em Couchsurfing, mas acho que para quem busca fazer intercâmbio a melhor opção é pagar um mês de home stay e depois que estiver morando lá, sai da casa de família para pagar um aluguel em um quarto, mas com uma galera legal que você pesquise e peça dicas para quem mora na cidade. Para isso é bom o Couchsurfing. E o Craiglist facilita achar opções boas e baratas!

7 casas em British Columbia, sendo 2 casas de temporada

victoria-bc

Prédio do Parlamento, na pacata cidade de Victória, em BC, Canadá | Foto: Muita Viagem

Nesta minha jornada tive mais sorte em Victória. Por ser uma cidade pequena foi muito mais fácil do que em Montreal. Tanto é que com a primeira família, onde fiquei duas semanas hospedado, ainda fui convidado para passar o Natal, viajando com eles para uma ilha em Vancouver.

E-mail que recebi do primeiro host em Victória, no Canadá

Hi, Tudo bem? You are welcome to stay at my house for a week. I was in Brazil last year for three months taking part in a Projeto Rondon. I was in Rio Grande do Sul. Are you in Brazil right now? Tambem eu falo portugues pelo eu preciso aprender mais. Eu entendo mais que posso falar/escrivir. I love caipirinha…e cerveja estupidamente gelado. Anyway, let me know when you are coming to Victoria. Voce ja es no Canada?

Agradeço muito ao Beaudin, um Canadense gente fina que até arriscava umas palavras em português como um “gaúcho viado”… Ele participou do Projeto Rondon, no Rio Grande do Sul, pra fazer trabalho voluntário. O cara tinha até uma filha com uma brasileira por conta das aventuras de viagens

Logo após estas duas semanas na casa da família Bennett, tive a única experiência ruim durante os 6 meses de Couchsurfing no Canadá – fiquei apenas uma noite na casa da Jéssica, uma alemã que morava em uma fazenda. Ela era encantadora de cavalos.

O Beaudin me levou até a casa da alemã com a caminhonete Ford dele. Ela me deixou no quarto e logo depois conversamos um pouco. Chegou uma amiga dela e fomos até o mercado. Como era Halloween tinha uma loja com artigos e fantasias onde fiquei vendo. Combinamos dela fazer as compras e nos encontrarmos no carro em 40 minutos. Acontece que quando voltei no estacionamento no horário combinado ela simplesmente havia ido embora. Procurei por alguns minutos e nada da alemã!

Furada!

Tive que perguntar e pegar um ônibus para voltar, e como era uma fazenda tive que dar uma boa caminhada até chegar à casa. Quando cheguei, abri a porta e disse (fui treinando o caminho todo) – você me esqueceu! Ela comentou que me procurou, não me achou e foi embora! Você acredita? Não tive dúvidas, só não fui embora na mesma noite porque não tinha para onde ir e no dia seguinte eu teria aula no meu curso de inglês no Canadá, dude!

amigos-victoria-canada

Amigos que fiz de verdade em Victória.

Dormi. Fui para a escola, e no intervalo, lá fui eu procurar outro couch. Eu tinha alguns contatos e um planejamento prévio de onde eu iria ficar no Canadá. Então, mandei um e-mail para conseguir algo. Não poderia ter recebido acolhimento melhor do que o do casal Heidi, uma norte-americana, triatleta, professora de matemática e muito gente fina, e seu fiancée Christofer, o Chris, um artista canadense, totalmente easygoing, onde fiquei hospedado por duas semanas, e logo depois mais duas semanas na casa da vizinha deles, a Mish.

Enquanto eu ficava na casa da Michelle, o Chris e a Heidi (foto) mudaram para uma casa maior e me convidaram para que eu ficasse até o Natal. Foi um dos dias mais legais da trip. Mudei com eles e lá fiquei até o fim da estada em Victória, mas antes ainda passei o Natal na casa de temporada de familiares do Beaudin, em uma ilhota no arquipélago de Vancouver.

grouse-mountainDurante minha estada na província de British Columbia, ainda cheguei a passar um final de semana em Vancouver para conhecer a cidade, fazer turismo e ir até Grouse Montauin, onde vi neve pela primeira vez!

Fiquei na casa de um canadense que naquele momento estava pegando um avião do Brasil para a Korea dar aula de inglês. (Os americanos e canadenses fazem muito isso – passam um, dois e até mais anos morando e dando aulas de inglês na Ásia. Paga-se bem!)

Esse contato não foi Couchsurfing e sim amigos no Brasil.

Tenho uma amiga que já havia feito intercâmbio no Canadá no esquema tradicional home stay, porém o filho da senhora, Andrew, foi para o Brasil e ficou na casa dessa minha amiga. Foi como um favor entre amigos! O final de semana foi bem legal porque eu estava aprendendo a falar inglês e a mãe do Andrew era bastante falante e acostumada a falar com jovens estrangeiros. Aliás, uma dica para quem pretende fazer intercâmbio no Canadá e ficar em famílias canadenses e não na casa de emigrantes.

tofino-muitaviagem

Outra casa de temporada onde fiquei um final de semana foi em Tofino, uma praia bem legal na costa oeste da ilha de Vancouver. A praia atrai muitos surfistas. Consegui a casa por causa da Michelle (vizinha do Chris e da Heidi), que emprestou para eu viajar com uma amiga brasileira da escola de inglês. Viajamos de Victoria a Tofino de ônibus e foi bem massa!

Ano Novo em Montreal, entre aconchegos e tempestades

Conforme comentei, encontrar lugares para ficar em British Columbia (BC), no lado oeste do Canadá, foi bem mais fácil do que em Montreal, Québec, lado “mais francês” e muito mais frio do Canadá! Frio no clima e temperatura, mas um estilo de população mais latina. Aliás, o Québec é tão mais moderninho que os clubes noturnos ficam abertos até às 3:00. Em BC, as baladas fecham às 2:00 da manhã. Aguenta?

Em Montreal fiquei duas semanas em hostel – exatamente porque era réveillon, e queria curtir a new year´s eve (virada do ano novo) de boa. Além do mais, essa minha amiga brasileira, amiga do Andrew, o canadense, cuja casa fiquei em Vancouver, havia combinado com amigos canadenses de passar o réveillon em Montreal. Portanto, ao chegar em Montreal fui para o Hostelling Montréal e encontrei com ela!

Reserve no HI de Montréal pelo Booking e ajude o blog!

Após duas semanas, quando começaram as aulas do curso de francês em Montréal, na A.L.I, eu já estava hospedado em um couch.

quebecoise-montreal

amigos em Montréal

Minha sorte em Montréal foi conhecer emigrantes, ou seja, pessoas de outros países que foram morar no Quebéc. E também os québécoise, canadenses francophones locais. Em Montréal fiquei duas semanas na casa de uma albanesa, 2 semanas na casa de seu amigo paraguaio, uma semana na casa de uma Chinesa naturalizada americana, e depois 1 semana na casa de uma mulher québécoise que morava ao lado do estádio olímpico de Montréal e que faria uma viagem cruzando o Canadá de ponta a ponta pela fronteiro com os Estados Unidos.

Confira viagem do pessoal do Jeguiando, cruzando o Canadá de trem

Ainda fiquei na casa de uma grande amiga que fiz no Canadá, a Gene. Fiquei um final de semana na casa dela e depois mais uma semana na casa de uma amiga dela. Porém, logo após este longo período pulando de casa em casa, sempre com meu mochilão e muita neve no chão, tive que ir atrás de um novo lugar.

Como algumas pessoas demoraram para responder pedidos de hospedagem, e também por estar cansado da vida nômade, decidi que iria alugar um quarto. E como vocês já sabem, a experiência não foi muito legal. Com a ideia louca desta viagem barata via Couchsurfing, decidi continuar procurando couch´s. Acabei conhecendo um québécoise gente fina que me deixou ficar um mês em seu apartamento.

Bom, este é um resumo de como me virei para viver no Canadá por 6 meses sem gastar dinheiro com hospedagem! Estou relatando os trechos da viagem em ordem não cronológica e por temas. Por isso a etiqueta “pedaços de viagem“. Em breve, novas passagens da minha viagem de intercâmbio no Canadá.

Dan

Dan já foi Comissário de Voo e Relações Públicas. Hoje é um viajante. Conhece 20 países e todas as capitais do Brasil. Já viveu no Canadá, fez road trip pela Califórnia e mochilão na Europa. Quer dar a volta ao mundo!

19 Comentários

  1. Achei o post muito bacana. Tenho intenções de fazer o intercambio pro canada. Queria tirar uma duvida. Quando você fez o intercambio sabia ingles e foi so aprimorar? Ou nao sabia de nada? Como era o seu ingles? Pois o meu é basico. Tenho a inteçao justamente por isso. Estudar ingles.

  2. Olá,

    É fácil conseguir alugar um quarto em Montreal? É seguro?

    • Olá Bianca! Acho bastante seguro. Veja algumas opções de quartos pelo Craiglist, marque um café com o(a) colega de quarto e veja o que acha, além de ir conhecer a casa e ver o que acha do quarto e quanto vai pagar. Faça contato com alguém do Couch Surfing, pergunte sobre o bairro e confira a proximidade da casa com as estações de metrô, durante o inverno é importante!

  3. olá, gostaria de um contato seu, para poder tirar algumas duvidas, se possivel me enviar um email. obg

    • Olá Renata! Não respondemos perguntas por e-mail. A sua dúvida pode ajudar outras pessoas, então pedimos a gentileza que use este espaço. ;)

  4. Izabel Salmen

    Oi, DAN! Td bem? O q vc acha de uma pessoa da “melhor idade” (como falam aqui no Brasil…hahaha…coisa que eu não acho nada engraçada) ficar no Canadá ou EUA? Tenho 61 anos e, com os filhos criados e bem empregados, queria realizar meu sonho de adquirir fluência em inglês e, se der, aprender um teco de francês, mas meu forte é o inglês: sou professora aposentada com formação superior. Não quero me aventurar mas será que consigo fluência em inglês, ao menos?
    Grande abraço e sucesso a você! Aproveite a mocidade!
    Izabel

    • Olá Izabel! Acredito que sim. O Canadá é um país incrível. Vá para Montréal, uma cidade linda, onde o custo de vida é razoável e é possível praticar tanto o inglês quanto o francês.

  5. Cara, teu blog foi o mais interessante blog de viagem que já li! Demais tuas aventuras!
    Mas conta aí, tu já sabias alguma coisa de francês? Aprendeu fácil em três meses?!

    • Oi Scoth,

      Obrigado pelo elogio! Meu francês era zero. Não sabia “rien” (nada). Viver no Canadá foi muito bom. Montreal é demais!! Estou planejando nova viagem para lá em Julho de 2016, a melhor época por conta do verão.

  6. Olá

    Cara gostaria de saber se tem chance de fazer um mochiilão e conbseguir um emprego no Canada ?
    Obgg

  7. Oi Dan, pode me dizer quanto gastou mais ou menos com tudo, só pra EU yer uma noção de quanto vou precisar.
    Obrigado

  8. Olá Dan,
    Como posso do Brasil contactar um College e pagar por um curso?
    Tem receio de levar um calote! (coisa de brasileiro, sabe?)
    Grato,
    Alexandre.

  9. que legal

    estou querendo fazer um intercambio e não tenho dinheiro para tudo
    estava exatamente pensando nessa possibilidade de ir p o Canadá ou europa e usar o couchsurfing, mas com medo de não dar certo ;-)
    valeu por compartilhar
    q aventura haha adorei ;-D

    • Oi Tha! Foi mais do que uma grande aventura, foi uma rica experiência. Agora, considere também alugar um quarto pelo Craiglist. É bom ter um lugar pra chamar de seu, e não ficar mudando de casa em casa. Dá um trabalho, viu!!

  10. Oi Dan, boa tarde !! Preciso muito do endereço de um escritório em Victoria, sera que você consegue me ajudar?

Comentar

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios *

*