Início / Viajei (relatos) / Diário do Brasil / Olinda, Pernambuco: A história do Brasil em cores, igrejas e ladeiras
olinda que conhecer

Olinda, Pernambuco: A história do Brasil em cores, igrejas e ladeiras

Por Gustavo Villas Boas

Uma das mais antigas cidades brasileiras, Olinda guarda em suas ladeiras um dos mais bem preservados patrimônios da arquitetura colonial portuguesa no Brasil.

É em torno de casarões e igrejas centenárias que se concentram as principais atrações turísticas de Olinda, que oferece muita coisa para fazer e conhecer, mesmo em um passeio a pé e gratuito.

Não por acaso, o Centro Histórico de Olinda, palco de importantes episódios da história do Brasil (e da melhor festa de Carnaval do mundo), é um Patrimônio Mundial da Unesco no Brasil.

E é fácil chegar em Olinda. A cidade fica a apenas 10 km do Recife Antigo, o centro histórico de Recife, e a 18 km do Aeroporto Internacional de Recife, o aeroporto mais próximo para quem procura voos e passagens aéreas para Olinda.

Existem várias linhas de ônibus do Recife Antigo para Olinda e o táxi vai rapidinho e custa menos de R$ 30.

IGREJA DA SÉ: UMA VISTA DESLUMBRANTE

olinda que conhecer pernambuco

A caminhada até a Sé é dura, mas vale a pena fazer para ter uma vista do centro histórico e da moderna Recife

Entre as principais atrações da cidade, está a Igreja de São Salvador do Mundo, mais conhecida como Igreja da Sé.

Na imponente Igreja da Sé, em estilo colonial maneirista, repousa o túmulo de Dom Helder Camara, arcebispo emérito de Recife e Olinda. Dizem que todas as outras de Olinda tem a fachada voltada para Sé.

Em torno da Igreja da Sé, ficam várias opções de lojinhas e barraquinhas para compras de artesanato e lembranças.

Também vale a pena conferir as tapiocas feitas em fogões a carvão, deliciosas, entre outras comidas típicas e de Pernambuco.

Chegar na Sé não é tão fácil: a igreja e os arredores ficam na parte mais alta do centro histórico, e as ladeiras são desafiadoras, mas vale a pena.

A vista do alto da Sé de Olinda, na minha opinião, é uma das mais bonitas e emocionantes paisagens do Brasil, e mistura o cenário histórico de Olinda com modernos prédios de Recife no horizonte.

O Mercado da Ribeira, não muito distante da Sé, também vale a visita. Em torno do Mercado da Ribeira, o turista encontra boas opções de coisas para comprar, como lojinhas de artesanato e roupas.

O Fortim é uma das atrações de Olinda

O Fortim é uma das atrações de Olinda

Outro lugar que vale a pena conhecer é o Fortim de São Francisco de Olinda, ou Fortim do Queijo, que guarda a praia de São Francisco.

Olinda é pouco lembrada pelas praias porque não existem bons lugares de fácil acesso para banho.

PRAIAS PERTO DE OLINDA

Para quem está na região por uns dias, vale apostar em Boa Viagem, no Recife, ou até mesmo nas maravilhosas praias de Porto de Galinhas. Maracaípe, por exemplo, mistura ondas que atraem surfistas com piscinas naturais e um estuário de cavalos-marinhos.

Onde comer em Olinda

Para comer em Olinda e se divertir, recomendo a Bodega de Véio (Rua do Amparo, 212), uma mercearia charmosa e rústica, com ótimas opções de comidinhas e porções de frios ao gosto do freguês. As noites são animadas para uma cervejinha encostado no balcão observando as prateleiras. A Bodega de Véio é mais um cenário de Olinda que parece ter parado no tempo.

Entre os restaurantes, um dos mais tradicionais é o Beijupirá, especializado em frutos do mar (Rua Saldanha Marinho, ao lado da Igreja da Misericórdia).

A Oficina do Sabor (Rua do Amparo, 335), com pratos da cozinha brasileira contemporânea, é um restaurante no estilo bistrô acolhedor e com receitas criativas.

Quando ir para Olinda

Os bonecões colorem as ladeiras no Carnaval de Olinda, a melhor festa do Brasil

Os bonecões colorem as ladeiras no Carnaval de Olinda, a melhor festa do Brasil

A região de Recife e Olinda, no Pernambuco, é quente o ano inteiro. No inverno, as chuvas podem incomodar.

O Carnaval é a principal festa popular de Olinda. A folia na cidade é democrática, com centenas de blocos que percorrem as ladeiras principalmente nas manhãs e tardes.

A música, tocada por bandas com instrumentos de sopro e tambores, é ótima. Normalmente, ouve-se frevo e maracatu. Além da qualidade musical dos blocos, os bonecões e os foliões fantasiados enchem de cor e diversão a festa olindense.

As pousadas de Olinda costumam ficar cheias no Carnaval. Entre as opções para ficar estão as casas de moradores, que alugam as casas para a temporada durante a folia.

fotos – Divulgação/Prefeitura de Olinda

Gustavo

Gustavo está em algum lugar da América do Sul, em um roteiro de mochilão que começou em março, no Equador.

Pergunta aí! Queremos saber

O seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*