Início / Vasto Mundo / Equador / Onde ficar em Quito: Mariscal, a Gringolândia

Onde ficar em Quito: Mariscal, a Gringolândia

Gustavo Villas Boas – Mochilão pela América do Sul – Equador

Para explorar Quito, escolhi como base La Mariscal, o moderno bairro que concentra cafés charmosos, restaurantes locais e internacionais, agências de turismo e muitos, mas muitos mesmo, hotéis, pousadas baratas (no Equador, chamadas de hostals, com a letra a mesmo) e hostels de mochileiros, além de casas noturnas, boates e bares que agitam a noite quiteña.

A Plaza Foch é o coração de La Mariscal, cercada por bares, casas noturnas e restaurantes bem para turistas

A Plaza Foch é o coração de La Mariscal, cercada por bares, casas noturnas e restaurantes bem para turistas

– Encontre hotéis bons e baratos em Mariscal, Quito, Equador

– Encontre albergues e hostels em Quito

Marical é um dos melhores bairros para ficar em Quito, com muitas opções de hotéis econômicos e hostels para os mochileiros. Dá para encontrar quartos compartilhados bons e baratos por a partir de US$ 8.

Mariscal é conhecido como Gringolândia, por ser o bairro onde os viajantes e turistas mais se hospedam e circulam, mas nem por isso a região perdeu o charme equatoriano.

O centro nervoso do melhor bairro para ficar em Quito é a Plaza Foch, uma pracinha cercada de restaurantes, bares e karaokes (um super-sucesso no Equador) e sempre bem policiada.

– O que fazer em Quito – Dicas de turismo

– O TelefériQo de Quito e o vulcão Pichincha

– Mochilão pelo Equador – Otavalo

Dizem que Mariscal pode ser perigoso à noite, mas é uma das zonas turísticas com a maior presença de policiais que eu conheço –e não vi pessoas abordando viajantes, como é comum (e chato) em regiões super-turísticas do Brasil, entre outros países.

Mariscal é um bairro bem localizado, a apenas 20 minutos de caminhada do centro histórico de Quito, a Ciudad Vieja, um dos centros coloniais mais bem preservados das Américas, apontado em 1978 como Patrimônio Mundial da Unesco revitalizado em 2006.

Do aeroporto de Quito até a Plaza Foch e redondezas, demora um pouco mais de 1 hora de carro, e o táxi custa US$ 25 dólares.

La Mariscal tem várias linhas de transporte público por perto, inclusive o Metrobus que corta a cidade de norte a sul, indo aos terminais de ônibus, por exemplo.

Bem agitada aos finais de semana, a Plaza Foch foi palco da Marcha de Las Putas, a versão do Equador da Marcha das Vadias quanto estive lá em março de 2014

A Plaza Foch foi palco da Marcha de Las Putas, a versão do Equador da Marcha das Vadias em março de 2014

O país dolarizou a economia e a moeda do Equador é o dólar americano, mas esqueça as notas grandes: trocar US$ 20 é difícil, US$ 50 muito complicado e uma nota de US$ 100 dólares no Equador vai morrer no bolso se não for para pagar uma alta quantia.

Onde fiquei em Quito – Vibes Hostel

Escolhi um hostel bem mochileiro para ficar em Quito, o Vibes Hostel, que se orgulha de ser um party hostel, ou seja, é bem focado nas festas e diversão alcoólica.

Localizado a alguns metros da Plaza Foch, na rua Joaquin Pinto, o Vibes Hostel de Quito fica em um prédio tombado e tem quartos individuais, para quatro pessoas e até uns imensos, para oito ou mais pessoas.

onde ficar quito hostel bom barato vibesOs quartos são bons e limpos, no de quatro pessoas, onde me hospedei, o armário tinha tomada dentro, o que é muito útil para carregar os equipamentos sem ter que ficar de olho.

Os banheiros são fora dos quartos e apenas razoáveis. Um dos box de chuveiro alagava em 3 minutos de banho.

Gostei muito da minha estadia no Vibes Hostel, um verdadeiro centro mochileiro, com ótimas áreas sociais para interação: o albergue tem uma área de fumantes, uma sala de TV (gigantesca), bar com mesa de sinuca, uma sala com computadores para uso dos hóspedes…

A cozinha é grande e bem equipada, ótimo para quem quer cozinhar.

Conheci muita gente no hostel, devo ter visto mais de 50 pessoas diferentes na semana que passei lá –quase todos muito jovens, europeus, que estavam de passagem por Quito em longos mochilões pela América Latina, o que foi ótimo para burilar meu roteiro de viagem pela América do Sul, ter companhia para alguns programas em Quito, tomar cerveja e conversar.

Como é um party hostel em um prédio antigo, tem sempre gente andando com passos pesados para lá e para cá. O piso é de madeira, então não espere o lugar mais silencioso do mundo. Mas é divertido.

Eu paguei US$ 10 por dia para ficar hospedado no Vibes Hostel no quarto misto para quatro pessoas, sem café da manhã.

Na mesma rua do Vibes Hostel existem dois outros bons hostels para ficar em Quito: o Galapagos Natural Life Hostel e o Blue House Hostal.

O Blue House Hostal (nota 7,6 no site de reservas on-line Booking) foi muito bem recomendado por outros mochileiros (até mais que o Vibes), mas é um albergue disputado, eu tentei umas três vezes mudar para lá e não consegui. Você pode tentar fazer reserva no hostel em Quito pelo Booking.

Gustavo

Gustavo está em algum lugar da América do Sul, em um roteiro de mochilão que começou em março, no Equador.

3 Comentários

  1. Muito útil esse post, valeu as dicas!

  2. gostei muito do seu relato pelo Equador, anotei várias dicas, valeu!
    em breve irei pra lá e estou muito animada … só a Shaman experience q vou passar, rsrs
    abraços!

    • Oi Clarissa, se você estiver sozinha, procure a agência que eu fui, eu senti confiança, e se você for para a mesma comunidade, eles devem lembrar de mim lá. Pode ajudar a dar uma segurança, né?

      Abs

Pergunta aí! Queremos saber

O seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*