Início / Viajei (relatos) / Diário do Brasil / Na Rota do Cavalo-marinho, em Barra Grande-PI

Na Rota do Cavalo-marinho, em Barra Grande-PI

Por Gustavo Villas Boas – Nordeste 40

Barra Grande, no Piauí, é lembrada como uma praia que atrai os fãs de esportes radicais, com os kites que cortam o horizonte, e os bares, pousadas e restaurantes cheio de referências para os vejejadores que procuram este recanto nordestino.

-Barra Grande, no Piauí: tranquilidade e ecoturismo neste recanto nordestino

– Leia mais sobre a Rota das Emoções, roteiro de viagens pelo Nordeste

– Encontre pousadas baratas em Barra Grande

Mas a pequena e charmosa vila no Piauí, onde cheguei com apoio da Rastro Nordestino, também tem atrações para quem gosta de explorar lugares pouco tocados pelo homem. Um dos passeios mais legais para se fazer lá é até a ilha do cavalo marinho, oferecido pela BarraTur, uma associação formada por moradores da região.

O passeio pela Rota do Cavalo-Marinho começa em um braço do rio Caramupim

O passeio pela Rota do Cavalo-Marinho começa em um braço do rio Caramupim

Barra Grande é uma vila em Cajueiro da Praia, uma das quatro cidades do litoral piauiense e que faz parte da Rota das Emoções, que passa pelo Maranhão, pelo Piauí e pelo Ceará e que fiz com apoio da Rastro Nordestino, especializada neste que é um dos mais celebrados roteiros de viagem no Brasil.

De canoa até os cavalos-marinhos

O passeio depende do horário da maré –o rio Caramupim e o Camboa, braço do principal onde fica a Ilha do Cavalo-Marinho sofre grande influência do oceano.

Como a associação dos guias tem bom relacionamento com as pousadas, fica fácil marcar o melhor horário de onde você estiver hospedado.

Quando eu saí para o passeio, a maré estava como na primeira foto; quando voltei, estava assim...

Quando eu saí para o passeio, a maré estava como na primeira foto; quando voltei, estava assim…

O passeio vai pelo rio Camboa, um braço do rio Carumupim, com um barquinho movido a remo, cruzando os mangues cheio de garças brancas e azuis, entre outros pássaros e animais.

Os tipos de mangues e a variedade de caranguejos são bem curiosoas e os guias sabem explicar bem sobre as espécies. Quando a água está clara, dá para ver peixes em alguns pontos.  Dura cerca de meia-hora e dá para tomar banho nas águas salobras.

garca azul barra grande piaui

Um grupo das garças-azuis mexe em um banco de areia

O encontro com os cavalos-marinhos em Barra Grande

Mas a grande atração deste roteiro de ecoturismo é o cavalo-marinho. Os delicados, desajeitados e coloridos peixes vivem em torno de uma ilha com vegetação de mangue e, segundo o guia que levou, sempre é possível observar o animal.

O guia leva um aquário, onde os cavalos-marinhos são colocados para que os viajantes possam observar com calma. Depois o bichinho é devolvido para a natureza, são e salvo.

Os peixes no aquário

Os peixes no aquário

Eu olhando os bichinhos nadarem; que desajeitados!

Eu olhando os bichinhos nadarem; que desajeitados!

Na entrada para braço de rio há uma fazenda de ostras. Quem gosta, tem que aproveitar: as ostras frescas tem ótimo preço e dá para pedir uma quantidade para que os responsáveis levem na pousada para comer.

– Encontre pousadas baratas em Barra Grande

A criação de ostras no manguezal

A criação de ostras no manguezal

Outra dica é comprar artesanatos na sede da Barratur.

É um casa bem simples; eu gostei muito das camisetas pintadas à mão, um presente ideal para quem gosta de coisas únicas.

Eu fiquei três dias em Barra Grande. Acho que é o tempo ideal para quem não é velejador e está lá só pelo esporte. Mas um casal pode aproveitar mais tempo, já que o lugar é bastante tranquilo sem o agito de praias mais badaladas.

Gustavo

Gustavo está em algum lugar da América do Sul, em um roteiro de mochilão que começou em março, no Equador.

Pergunta aí! Queremos saber

O seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*