Início / Viajei (relatos) / Cartão Postal / O que fazer em Paraty, a mais bela cidade histórica do Brasil

O que fazer em Paraty, a mais bela cidade histórica do Brasil

Paraty desde a época da colonização tem destaque no litoral brasileiro. Era no porto da vila histórica o destino de boa parte das riquezas extraídas por essas terras.

 

Com praias, casarões coloniais e festas, Paraty é um apanhado do melhor que as cidades históricas da Rota Turística da Estrada Real oferecem ao turista.

No centro, é proibida a circulação de carros. Construções antigas, casarões e igrejas dão charme nos passeios a pé na cidade a 250 km do Rio de Janeiro e 270 km de São Paulo.

E como já dissemos no post com dicas de pousadas no centro de Paraty-RJ, a infraestrutura hoteleira da cidade é ótima, sendo fácil encontrar pousadas baratas, hotéis de luxo e áreas para acampar.

Além de sua importância histórica, a antiga vila colonial tornou-se uma das mais belas cidades turísticas e históricas do Brasil.

Réveillon na Praia: lugares onde viajar no Ano Novo

Igreja Paraty

Igreja Nossa Senhora dos Remédios, no centro histórico

Nos arredores de Paraty, praias paradisíacas rabiscadas pelos rios da região e em áreas protegidas, como a Vila de Trindade, a Praia do Sono, a Praia de São Gonçalo e a cidade rural de Cunha-SP, entre as serras do Mar, da Bocaina e da Mantiqueira, convidam os viajantes a aventurar-se por trilhas, cachoeiras, atrações históricas e muito contato com a natureza.

Paraty – os melhores passeios e roteiros

o que fazer em paraty

Paraty é uma das mais belas cidades turísticas do Brasil

Passeios de barco

Os passeios de barco estão entre as atrações mais procuradas de Paraty-RJ. Ao navegar pelos arredores do centro histórico vê-se uma outra faceta da belíssima cidade brasileira.

Os melhores meses para fazer passeios de barco em Paraty são de junho e julho até meados de setembro, época mais seca. Contudo, por ser inverno é possível enfrentar temperaturas mais baixas.

paraty passeios de barco

Passeios de barco são imperdíveis em Paraty-RJ

O melhor jeito de conseguir descontos nos pacotes é conversar com os barqueiros que ficam ali próximo à Praça da Bandeira e no Cais de Paraty.

Passagens aéreas em promoção: como encontrar voos baratos?

Melhores praias de Paraty

praias paraty rj

Praia de São Gonçalo, no litoral norte de Paraty sentido Angra dos Reis

As duas praias do centro histórico de Paraty dão para o gasto, mas se você tiver espírito aventureiro e, convenhamos, esteja calor, há boas opções de praias bonitas para conhecer na região.

Ou seja, no verão não pense duas vezes e além da Praia do Pontal e do Jabaquara, vá até a região de Patrimônio e vá passear na Vila de Trindade, com destaque para as Praias do Cachadaço, Praia do Meio e a Praia do Sono.

Para chegar neste última praia é necessário fazer uma trilha longa de uma hora e meia. Para ir até lá basta seguir as placas em Patrimônio, antes de chegar em Trindade. Dá para ir de carro e deixar em estacionamento. Leve dinheiro.

paraty praia pontal

Praia do Pontal, no centro de Paraty-RJ

No centro histórico de Paraty-RJ, a Praia do Pontal é a melhor opção para o banho de mar. Já a Praia do Jabaquara, é a mais tranquila para quem quer relaxar sem pegar o carro e ter que ir muito longe, afinal Trindade fica a 24 km, e a Praia de São Gonçalo a 30 km sentido Angra dos Reis.

Vale a pena hospedar-se ao menos por uma noite em Trindade. As pousadas são mais baratas e o lugar é simplesmente mágico. Trindade já foi uma vilinha hippie esquecida e quase deserta, mas ainda hoje é possível encontrar lugares sem muita muvuca na baixa estação.

Praias de Trindade RJ

Trilha para chegar na Praia do Meio, em Trindade/RJ

As pedras da Praia do Cepilho nos dão boas vindas quando chegamos em Trindade, e já nos deixam com saudades quando pegamos o morro do Deus-me-livre de volta à estrada.

Roteiro a pé no Rio de Janeiro: dica de passeio barato na Cidade Maravilhosa

Passeios culturais pelo centro de Paraty

passeios paraty

Paraty esbanja charme e beleza entre o litoral paulista e o carioca

Caminhar pelo centrinho da vila histórica é por si só uma gostosa aventura.

Como não é permitido a circulação de carros, pedestres caminham descontraídos e sempre postos a tirar uma foto dos casarões antigos ou fazer roteiros culturais, como conhecer o Museu de Arte Sacra (a dica é ir na terça, que tem entrada grátis. De quarta a domingo custa R$ 4), a Casa da Cultura (de terça a domingo sempre com entrada gratuita) ou assistir uma peça no Teatro Espaço Paraty, próximo ao Largo de Santa Rita, com apresentações do Grupo Contadores de História e teatro de bonecos às quartas-feiras e sábados sempre às 21 horas, com ingressos a R$ 55 (preços de 2017).

Feira Literária Internacional de Paraty

Às margens do rio Perequê-Açu, em um dos lugares mais bonitos da antiga vila colonial, é montada uma tenda especialmente para a tradicional festa do RJ.

Entre turistas, gringos e visitantes, a cidade recebe autores e celebridades, que se reúnem em conversas multidisciplinares que passeiam por temas como teatro, cinema e ciência. A Flip sempre acontece no mês de julho. Em 2017, a programação vai de 26 a 30 de julho.

Festival da Cachaça de Paraty

O Festival da Cachaça, Cultura e Sabores acontece no mês de agosto na cidade histórica. Durante uma semana, é possível provar da boa e velha cachaça produzida no município, a autêntica “Cachaça de Paraty”.

Em 2017, o festival da pinga acontecerá de 17 a 20 de agosto. É comum sair excursões de diversas cidades durante o final de semana do festival.

O aguardente, produto artesanal e tesouro dos engenhos da época, é facilmente encontrada nos bares e botequins do centro histórico e alegra o roteiro de gringos e turistas mais animados.

Calendário de festas e eventos no Rio de Janeiro

Mirante Pedra da Macela, em Cunha-SP

mirante pedra da macela

Angra dos Reis vista do alto da Pedra da Macela, na estrada Paraty-Cunha | Creative Commons

A Pedra da Macela está localizada em Cunha-SP, a 35 km do centro de Paraty-RJ na divisa com o Estado de SP. O pico da montanha fica a mais de 1800 metros do nível do mar. Para chegar lá é preciso seguir por uma trilha em asfalto, porém com inclinação quase negativa. É uma subida e tanto e exige bastante do corpo.

Leve água e algum lanche pois no local não há nada. É preciso sorte e um pouco de paciência para conseguir ver o mar. A região está sempre com grande neblina, especialmente nesta época pré inverno, entre maio e junho. Fora desta época, vale a pena arriscar. É um dos mirantes mais bonitos do interior de SP.

Danilo

Antes de começar o Muita Viagem, fui Relações Públicas e Comissário de Voo. Vivi no Canadá, fiz longas viagens nos Estados Unidos e alguns roteiros na Europa. Já estive em todas as capitais do Brasil, e em mais de 20 países pelo mundo. Quero conhecer o Oriente Médio, África e Ásia.

Comente! Queremos saber o que pensa.

O e-mail não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*