Início / Vasto Mundo / Caribe / Saint Martin ou Sint Maarten ? No Caribe, tanto faz…
Em Simpson Bay há vários bares com música ao vivo | foto - alljengi
Em Simpson Bay há vários bares com música ao vivo | foto - alljengi

Saint Martin ou Sint Maarten ? No Caribe, tanto faz…

Roberto Mardem

Saint Martin e Sint Maarten. Vale a pena conhecer este idílico lugar no Caribe. É um arquipélago em que a principal ilha tem aproximadamente 90 km2, com cerca de 35 km de comprimento por 25 de largura. Está dividida em duas parte, uma de colonização francesa (a maior) e outra de colonização holandesa.

Sua população é de aproximadamente 85 mil de habitantes. São 50 mil no lado holandês, chamado de Sint Maarten, e 35 mil no francês, batizado Saint Martin).

É uma ilha montanhosa e, por isso, na paisagem, há sempre o contraste entre praias e montanhas, o que nos faz lembrar do relevo do litoral norte de São Paulo. Ou seja, é muito bonita.

Aruba, um país diferente no Caribe

As praias da ilha no Caribe tem areias brancas e águas transparentes | foto - Clavius66

As praias da ilha no Caribe tem areias brancas e águas transparentes | foto – Clavius66

As praias são de areia branca, que, como em Aruba, de modo geral, não queimam os pés, pois é composta de restos orgânicos que não esquentam mesmo sob o sol. Ainda bem, pois a temperatura média é de 30 graus. Mesmo ventando bastante, não é um vento fresco que arrefeça o calor. A sensação térmica, segundo os meteorologistas, é de 33 graus.

Melhores praias do mundo

O mar é de um verde esmeralda para um azul turques a maravilhoso, transparente, o que permite passeios para mergulhos, seja com equipamentos, seja apenas com snorkel. Há inúmeras variedades de passeios para mergulhos para fazer na ilha de Saint Martin.

As “cidades” são pequenas, a maioria de casas baixas, próximas das ruas, o que nos lembra as pequenas cidades do Nordeste. Você circula a maior parte do tempo por uma estrada estreita, curva, com subidas e descidas, muito próxima das casas, já estas que margeiam a estrada, que quase não tem calçadas. Estava sempre preocupado com atropelamentos ou acidentes com cães. Como a velocidade é baixa, diminui-se o perigo. O trânsito não chega a ser intenso, mas também não é tão tranquilo.

Marigot, a capital do lado francês, tem cerca de 5.000 habitantes

Marigot, a capital do lado francês, tem cerca de 5.000 habitantes | foto – Zerokarma

Não há fronteiras e você pode circular por ambos os países sem sequer perceber que mudou de lado (se ficar atento, verá uma placa indicando os limites). Apesar disso, há diferenças.

A começar pela língua: de um lado predomina o francês e do lado holandês, o inglês. Não que os franceses não falem também o inglês, mas sempre começam a conversa falando em francês. Só mudam quando percebem que você não fala a língua. Interessante é que, surpreendentemente (pelo menos para mim), poucos falam o espanhol (exceto nas lojas, claro), e muito menos o português (quando você o escuta, são brasileiros fazendo turismo).

O lado francês da ilha no Caribe – Saint Martin

No lado francês da ilha no Caribe estão as melhores praias, inclusive a mais praia famosa e frequentada pelos turistas, a Orient Bay ou Baie Orientale, bem como a praia de nudismo. Na verdade, esta é um pedaço da Orient Bay, separada apenas por umas pequenas pedras. A partir delas pode-se ficar nu, mas não há exigência que se tire a roupa. Ambos os lados ficam muito cheios.

Viagens legais para ilhas

Na parte “das roupas” vê-se muitas mulheres de diferentes idades de top-less. Já a porção “nudista” da praia é frequentada principalmente por casais maduros, muitos acima do 70 anos. Raros são os jovens. Nesta praia fica também um resort de nudismo, o Baie Orientale.

A paradisíaca praia de Orient Bay, bem ao estilo das praias do Caribe | foto - Clavius66

A paradisíaca praia de Orient Bay, bem ao estilo das praias do Caribe | foto – Clavius66

Como quase todas as 37 praias da ilha, Orient Bay tem areia branca, com coqueiros, mar verde, transparente. Ah, sim, tem vendedores de roupas e artesanatos nas praias…

Existem outras praias desse lado, e vale a pena conhecer (além da Oriente, é claro) as praias de Baie Rouge (de mar calmo, próxima a Marigot), Baie Nettlé (em Simpson Bay, mantida por um hotel, mas de uso público), Friar’s Bay (à noite, na alta temporada, têm as chamadas “Full Moon Parties”, tipo o nosso luau) e Anse Marcel (também mantida por hotéis, mas pública).

A capital de Saint Martin chama-se Marigot. Fica localizada entre a montanha e o mar.

É uma cidade pequena, de trânsito tranquilo (pelo menos na baixa temporada), bonita, com muitas lojas de roupas, bolsas, sapatos, joalherias e, como não poderia deixar de ser, vinhos e queijos importados da França.

Os preços são ótimos, em média, 60 a 70% dos preços no Brasil.

Na cidade tem poucos restaurantes, bares ou boates. Estes estão distribuídos por outras partes de Saint Martin, como Grand Case, apresentada como “the gastronomic capital of the Caribbean”, a capital gastronômica do Caribe. Tem variadas cozinhas (francesa, japonesa, chinesa, tailandesa, etc) a preços não muito camaradas (em média 50 dólares por pessoa, exceto as bebidas).

Há muitos cassinos funcionando 24 horas.

Hotéis e chalés em Saint Martin

Um dos chalés em Saint Martin | foto - Divulgação

Um dos chalés em Saint Martin | foto – Divulgação

A maior parte dos hotéis e resorts se situam desse lado. De modo geral, não são luxuosos (embora existam) e poucos são de 5 estrelas.

Ficamos em um que tem chalés, chamado La Plantation, em Orient Bay, a uns 500 metros da praia. É composto por chalés no meio de uma área verde muito bonita, com muitos flamboyants, floridos nessa época do ano, além de outras árvores e arbustos com muitas flores, fazendo um festival de cores.

Os chalés tem aproximadamente 60 m2, com uma sala-cozinha (com fogão elétrico e geladeira), TV de plasma e, no quarto, uma cama coberta com um “mosquiteiro” (o que fez parecer que teríamos muitas picadas, mas felizmente não aconteceu).

O lado holandês da ilha no Caribe – Sint Maarten

Deste lado está o Aeroporto Internacional Princesa Juliana, onde você descerá, portanto. O aeroporto Princess juliana é um dos aeroportos mais famosos do mundo por causa do pouso impressionante, quando o avião passa rasante à praia. O vídeo do pouso no Aerporto Internacional Princesa Juliana dá uma mostra.

Sua capital, Philipsburg, também pequena, recebe uma grande quantidade de turistas por ser uma zona franca, livre de impostos, o que a torna um paraíso para compras. São inúmeras lojas de perfumes, joalherias, roupas, calçados, eletrônicos, entre outros. Os preços são convidativos, aproximadamente 50% dos que se praticam no Brasil.

A língua mais falada é o inglês, embora alguns vendedores dominem o espanhol e alguns até arranham o português.

Têm vários bares e restaurantes típicos, pequenos, coloridos, com vários pratos “crioulos”, ou seja, com tempero local, diga-se, deliciosos e apimentados. Os preços são camaradas (em torno de 25 dólares por pessoa).

Desse lado tem menos praias, porém tem uma das praias mais animadas da ilha no Caribe: a de Maho Bay. Fica situada a poucos metros do aeroporto internacional Princesa Juliana e os aviões passam literalmente a poucos metros acima de sua cabeça.

Uma das principais diversão do pessoal é ficar próximo à cerca do aeroporto esperando a decolagem dos aviões. Neste momento o vento originado das turbinas empurram-nas para o mar e as fazem rolar na areia. A praia fica lotada, esperando por este momento.

Nesta praia fica também o bar, pelos menos neste mês de junho, mais animado da ilha. É o Sunset Beach. Nele há música ao vivo, principalmente reggae, tocado por um conjunto muito bom.

Há uma área onde as pessoas podem dançar e há sempre muita animação. Sua propaganda diz que as meninas que pedirem um drinque de top less, o leva de graça. Infelizmente não vi nenhuma fazer para confirmar a veracidade. Talvez na alta temporada.

Deste lado encontra-se também várias casas de shows para adultos (puteiros, em bom português). A prostituição do lado holandês (não sei se do francês também) é legalizada.

Outro lugar muito gostoso de se frequentar, com bares com música ao vivo, é Simpson Bay.

Em Simpson Bay há vários bares com música ao vivo | foto - alljengi

Em Simpson Bay há vários bares com música ao vivo | foto – alljengi

Dicas importantes ou curiosas

  • É importante, não essencial, falar um pouco de inglês para se virar melhor em ambos os lados.
  • Fundamental alugar um carro para aproveitar melhor a ilha. A carta brasileira vale lá.
  • Se o carro não vier com GPS, não se esqueça de alugar um na própria locadora de automóveis. É essencial para se deslocar tranquilo.
  • Eles recebem o dólar, o euro e a moeda corrente de cada lado. Pagar em dólar sai mais barato que pagar em euro. Do lado francês, na maioria dos lugares, ao comprar com cartão de crédito, o registro é em euro e não em dólares.
  • Em muitos bares (em todos talvez) eles incluem 15% de serviço.
  • Em tese eles pedem a vacina contra a febre amarela. Não me pediram e nem vi pedir a ninguém. Aconselho que tomem. Já pensou se resolverem pedir exatamente para você e a não tiver? Vale por 10 anos e tem que ser tomada com pelo menos 10 dias de antecedência.
  • A temporada de furacão vai de junho a novembro, intensificando-se a partir de agosto. Porém são raros em  Saint Martin.  O último foi em 2010, sem grandes estragos.
  • Como Sint Maarten é, embora autônoma, parte do reino dos Países Baixos, é provável que a maconha seja liberada… Não conferi.
Mapa da ilha no Caribe: muitas praias paradisíacas

Mapa da ilha no Caribe: muitas praias paradisíacas

Algumas comparações com Aruba

  • A comparação é válida por se tratar de duas ilhas do Caribe, ambas colonizadas por holandeses.
  • Aruba é mais desenvolvida, com menos diferenças de rendas entre as pessoas. Já em Saint Martin/Sint Maarten é visível a diferença entre as cidades, com lugares muito luxuosos e outros muito pobres.
  • O pessoal de Aruba me pareceu mais simpático e alegre, raramente alguém de mau humor. O tratamento ao turista é sempre cordial e solidário. Já não senti o mesmo em S. Martin/S. Maarten (não chega a ser um problema, porém tomar explicações, principalmente se você não fala inglês fluente se torna mais difícil, já que não há tão boa vontade).
  • As praias de Aruba são todas “dominadas” por hotéis (embora públicas), o que as tornam mais confortáveis, quase urbanas (com muitas cadeiras, bares dos hotéis, piscinas do lado das praias, etc). Já no outro país as praias são mais “selvagens”, lembrando mais as brasileiras.
  • Em Aruba não se vê top-less (e muito menos nudismo)…
  • Saint Martin/Sint Maarten, pelo contraste entre montanhas e mar, é mais bonita. Aruba tem paisagem mais monótona, uma planura só.
  • Os povos são parecidos: uma bela e grande mistura de raças: negros (maioria em ambos), holandeses, ingleses, indianos, etc. Em ambas há mais de 90 nacionalidades segundo as informações oficiais.
  • A noite em Saint Martin é mais animada, com muito mais opção de diversão (desde os clubes adultos aos bares com música ao vivos, passando por boates de vários tipos). Em Aruba a noite é mais “familiar”.
  • Em Aruba, por ser menor e mais concentrada, o deslocamento é mais fácil, não necessitando de alugar carro, diferentemente de de S. Maarten/Saint Martin

Muita Viagem

Muita Viagem - Dicas e histórias de viagens. É feito por Gustavo, jornalista, Danilo, comissário, e amigos, que vivem viajando pelo Brasil e no mundo.

Pergunta aí! Queremos saber

O seu email não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*