Início / Vasto Mundo / Chile / O que fazer em Santiago em roteiro de 2 dias

O que fazer em Santiago em roteiro de 2 dias

Por Gabi Saraceni

Quem já foi para Santiago, no Chile, sabe dos encantos que a fazem imperdível. Uma mistura de arquitetura europeia, com modernos arranha-céus, largas avenidas e metrô para todos os lados.

E quando olhamos mais longe, ali está a belíssima Cordilheira dos Andes abraçando a cidade com seus picos nevados e imponentes. Estar ali é um deleite para todos os gostos.

Eu passei um bom tempo na cidade, e entre passeios e feriados, consegui compilar bons pontos turísticos para quem tem pouco tempo e quer o must do na palma da mão. Embarque nessa viagem com a gente!

 

Visto, passaporte e regras para viajar para o Chile

O que fazer em Santiago em 2 dias?

Em Santiago é fácil caminhar e conhecer os pontos turísticos a pé ou de metrô | Gabi Saraceni

DIA 1

Primeira Parada: Museo de la Memoria y Derechos Humanos

Pertinho da estação Quinta Normal do metrô (Linha 5) está o Museu da Memória e Direitos Humanos (grátis, fecha às segundas-feiras).

A exposição permanente documenta desde o golpe de Estado em 1973 até a retomada da democracia. São fotos, vídeos e documentos dispostos em uma linha do tempo que conta os difíceis detalhes dessa fase da história chilena. O museu é recente, bem instalado e conta com auto-guia em áudio.

Parada 2: Palácio de la Moneda (sede governamental)

Pegando o metrô de volta, desça na estação La Moneda e logo ali está o imponente palácio. É bem bonito e até hoje é usado como sede de governo.

Por isso está guardado pelos carabineiros (polícia), que fazem a tradicional ‘troca de guarda’ dia sim, dia não (a cada 48h) às 10:00 em dias de semana e às 11:00 no fim de semana.

Chegue mais cedo para conseguir um bom lugar. Além disso se pode visitar o museu de arte subterrâneo e tirar foto com a imensa bandeira do Chile na Av. Libertador Bernardo O’Higgins (face principal do palácio).

Parada 3: Plaza de Armas e Catedral Metropolitana

A poucos minutos caminhando está a principal praça da cidade, Plaza de Armas. Uma mistura de pessoas do mundo todo sempre está por ali, além dos artistas de rua e artesãos. E claro, é um dos marcos da cidade, rodeada pela imponente Catedral Metropolitana de Santiago, aberta ao público.

Parada 4: Museu Chileno de Arte Precolombino

Pertinho da Plaza de Armas está o Museu Chileno de Arte Precolombino (esquina da Rua Bandera com a Rua Compañía de Jesus, fecha às segundas-feiras), que também vale uma visita para conhecer melhor a história dos primeiros povos que habitaram nosso continente, principalmente os indígenas que fizeram parte do Chile, como os Incas, Quechua, Aymarás e os Mapuche.

Parada 5: La Chascona

Indo em direção ao Norte da cidade, em um bairro nos pés do morro, morou um dos mais ilustres poetas chilenos: Pablo Neruda. Seus versos estampam muros e monumentos, inclusive a casa que um dia foi sua e hoje é um belo museu chamado La Chascona (Fernando Márquez de la Plata, 0192, Bellavista).

A visita é auto-guiada e entretém os visitantes com histórias que aconteceram em cada cômodo. É como se sentir parte de um de seus convidados.

O mais legal fica na lojinha do final, em que dá para comprar objetos réplicas de Neruda, como o divertido par de saleiro e pimenteiro com as palavras “cocaína e morfina”.

Parada 6: Cerro San Cristóbal

Vista de Santiago do alto do Cerro San Cristóbal | Gabi Saraceni

Para um fim de tarde, suba a um dos mais icônicos morros de Santiago, no bairro Bellavista mesmo.

O Cerro San Cristóbal (que faz parte do centenário Parque Metropolitano) pode ser acessado via funicular ou caminhando (cerca de 30min por um caminho de terra nível fácil). A vista de toda a cidade é um deleite. E ali mesmo fica a imagem da Santa Imaculada Conceição, importante ícone católico local.

Parada 7: Patio Bellavista

Opções de restaurantes não faltam no Pátio Bellavista

Já chegando na noite, happy hour, vá para o complexo de restaurantes Patio Bellavista (entre R. Pio IX e Dardinac). São muitas opções de comidas, drinks, petiscos e fast food. Recomendo o colombiano-chileno La Casa en el Aire, tem boa comida e bom preço.

Se quiser algo mais leve, escolha o 100 Montaditos e fique louco com as opções de mini sanduíches. Tem tradicionais como salmão defumado e presunto cru, até mais incrementados como “choripan con pebre” (delícia!). O cardápio conta com sandubinhas vegetarianos e doces. Acompanham batata chips e vendem bebidas para acompanhar, como a Sangria (drink gigante e muito refrescante de vinho).

Outras dicas de restaurantes em Santiago

DIA 2

Primeira Parada: Centro Cultural Gabriela Mistral ou Cerro Santa Lucia

Começamos nosso segundo dia na avenida mais importante de Santiago, a Av. Libertador Bernardo O’Higgins, ou simplesmente ‘Alameda’, como chamam os chilenos.

Foi lá que ocorreram as principais lutas durante o golpe de Estado (até hoje é palco de manifestações populares) e está o frondoso Centro Cultural Gabriela Mistral, um misto de escola de arte e espaço de exposições. Conta com um delicioso café e loja de artigos de design.

Outra opção ao ar livre é o famoso Cerro Santa Lucía, um parque com castelos, fontes e esculturas.

DICA: Do outro lado da avenida tem uma feira de artesanato ótima para comprar lembrancinhas a bom preço.

Onde ficar em Santiago?  Dicas de hotéis bem localizados

Parada 2: Paseo Lastarria

Da avenida, caminhe em direção à rua José Victorino Lastarria, que dá nome ao bairro. Ali você vai encontrar cafés, lojas de arte, restaurantes, pequenos museus e uma feira de arte local. Vale a pena apreciar as construções.

Sorveteria artesanal com alguns dos melhores sorvetes do mundo | Gabi Saraceni

Continue caminhando pela rua Merced na mesma direção dos carros (Parque Florestal), e ali em uma pracinha charmosa está a sorveteria artesanal Empório de La Rosa, que já foi nomeada uma das 25 melhores sorveterias do mundo! Experimente quantos sabores quiser, especialmente o de ‘frutos del bosque’,com frutas vermelhas do país.

Parada 3: Parque Florestal

Pegue seu sorvete e vá caminhar pelo Parque Florestal, ali do lado. É um delicioso parque linear gigante, que margeia o rio Mapocho, sempre visitado por locais e turistas. Há trajetos para bicicletas, brinquedos para as crianças e bancos na sombra para um merecido descanso.

Parada 4: Bairro Itália

Continuando nosso trajeto, chegamos ao bairro Itália, pela avenida que leva seu nome. São charmosas e tranquilas ruas na cidade de Santiago, repletas de restaurantes e lojas interessantes. Vale uma caminhada também, ou aproveite o happy hour nos bares dali.

Parada 5: Costanera Center – Sky Costanera

Pegue o metrô e vá até a estação Tobalaba (linha 1). A poucos metros dali foi construído o maior prédio da América Latina!

O imponente Costanera Center chama a atenção por sua altura, claro, e sua arquitetura. Lá dentro fica também um dos mais famosos shoppings center da cidade, com mais de 5 andares de compras.

O mais legal ali é pegar o tour para subir até o topo do edifício — Sky Costanera, onde dá pra ter uma visão 360 graus de toda a cidade.

Resorts no Chile: hotéis de luxo para relaxar nos Andes

DICAS:

Vá para o pôr-do-sol e veja a cidade mudando de cor. Às quartas-feiras o ticket é mais barato que os demais dias.

Santiago à noite: bares e baladas na cidade

DICAS BÔNUS:

A maior parte dos museus fecha nas segundas-feiras, fique atento.

Aos domingos, a Av. Santa Maria (que percorre desde o centro até Providência) é fechada para carros e transformada em um delicioso calçadão. Vale alugar uma bike e sair pedalando, a cidade é bem plana e bike friendly!

Leia também o roteiro de 3 dias em Santiago, com outras dicas de passeios na capital chilena.

Muita Viagem

Blog com dicas e histórias de viagens.

É feito por Gustavo, jornalista, Danilo, comissário, e amigos, que vivem viajando pelo Brasil e no mundo.

Tire a sua dúvida, comente. Participe!

O e-mail não será publicado. Campos marcados são obrigatórios *

*