Início / Destinos / Chile / Ilha de Páscoa, uma viagem à terra dos Moai

Ilha de Páscoa, uma viagem à terra dos Moai

Para quem conhece o Chile, as primeiras coisas que aparecem na mente são Santiago e a Cordilheira de los Andes; o norte e o deserto; o sul e os gelos eternos. Mas também existe um paraíso mais tropical, bem longe do continente sulamericano.

A Isla de Pascua (Ilha de Páscoa aqui no Brasil) fica a 3500 kilometros de Santiago do Chile e é usada também para ir ao Tahiti. Nao é fácil chegar.

A Latam é a única aerolinha comercial que chega a Rapa Nui (como os habitantes originais dessa ilha no Pacífico a batizaram). Mas uma viagem à Ilha de Páscoa oferece muito aos turistas e visitantes.

Os Moais são uma das atrações do turismo na Ilha de Páscoa

Os Moais são uma das atrações do turismo na Ilha de Páscoa

A Ilha de Páscoa é pequena. Tem apenas 163 kilometros quadrados e muitas pessoas que ja foram sempre dizem a mesma coisa: você pode conhecer a ilha completa em um dia.

Mas para conhecer direito e não estar correndo por todos os lugares, o ideal é estar 4 ou 5 dias. Assim também você conhece um pouquinho da cultura pascuense.

Os habitantes desta ilha tem origem polinésica e a mistura com imigrantes europeus que chegaram a ilha desde o momento do descobrimento, em 1722, provoca alguns rasgos diferentes ao acostumado.

Onde ficar na Ilha de Páscoa

Hanga Roa é a capital e principal “pueblo” da ilha. Lá ficam os hotéis, restaurantes, supermercados e lojas para comprar alguma lembranças.

O porto de Hanga Roa, o principal pueblo da Ilha de Páscoa

O porto de Hanga Roa, o principal pueblo da Ilha de Páscoa

Muitos pascuenses transformaram suas casas em hotéis ou hospedagens residenciais, por isso a oferta é grande. Dá para procurar hospedagem em Páscoa depois de chegar a ilha.

Quando estivemos lá, em maio,  a diária para dois com café da manha fica em torno a  US$ 60, aproximadamente. Quem reserva antes normalmente é buscado no aeroporto.

O aeroporto da Ilha de Páscoa fica a uns 7 minutos caminhando do centro de Hanga Roa. Algo diferente que entrega a ilha.

Alugando um jipe na ilha

A melhor forma para conhecer a ilha é alugando um jipe. Na rua principal você acha duas lojas para alugar veículos: Oceanic e Insular. As duas tem basicamente o mesmo tipo veículos:  jipes todo terreno (off-road), motos tipo Vespa, motos de quatro rodas.

O melhor é um jipe por três dias. Com um bom desconto, fica em uns US$ 60 por dia. Na Isla de Pascua nada é barato. Mas vale a pena.

Os Moais da Ilha de Páscoa

Durante a viagem, você sempre verá os Moais, as grandes e misteriosas estátuas espalhadas pela ilha

Durante a viagem, você sempre verá os Moais, as grandes e misteriosas estátuas espalhadas pela ilha

Para complementar o dia 1 da viagem, caminhe pela rua principal e até a “costanera” que é a rua que está ao lado mar. Você vai ter o primeiro encontro com um Moai, aqueles gigantes de pedra que voce viu muitas vezes em revistas e na televisão.

Rapa Nui é o único lugar do mundo onde você os encontrará. Os Moais estão espalhados pela ilha inteira e você não vai cansar de vê-los.

Depois de ver e fotografar este Moai, que está ao lado do único campo de futebol da ilha (em 2009 o Colo Colo visitou a ilha e goleou a seleção local por 4×0 no ultimo jogo oficial), você chega a “caleta” de pescadores.

Lá ficam as embarcações locais. Tente ir bem cedo a caleta para ver pesca diária com peixes muito exóticos como o Mero da Ilha de Pascua.

Ali também é o local onde ficam as companhias de mergulho e alguns dos melhores restaurantes da Ilha de Páscoa.

Continuando pela “costanera” em direção ao norte, você encontrará uma piscina artificial rodeada de palmeiras e um dos mais conhecidos Moais da ilha, chamado Ahu Tahai.

Este é o único Moai com olhos originais. Nesta parte da ilha, você pode contemplar o amanhecer.

Mapa da Ilha de Páscoa com a localização dos Moais

mapa ilha pascoa moais

Ilha de Páscoa

Praias, parques e vulcão

A Ilha de Páscoa é uma das atrações do Chile no Oceano Pacífico.

A ilha é famosa pelos Moai, as carrancas que estão por todo o território, mas também oferece ao visitante parques nacionais, lindas praias e até um vulcão onde dá para fazer turismo.

Matias de Terán fez um roteiro para quatro dias na ilha e já deu dicas para turistas em seu primeiro dia em Páscoa. Agora, ele faz um relato das atrações do segundo dia do roteiro na Ilha de Páscoa, que tem até cratera de vulcão.

Melhores destinos em ilhas

Na Ilha de Páscoa, Moai por todos os lados

Com tantas coisas para ver na ilha, é bom se organizar e armar um bom itinerário para poder ver tudo.

Com o jipe alugado no primeiro dia, e com um bom mapa, uma bom roteiro é fazer a ruta oceanica na estrada que vai em direção ao norte da ilha, onde estão as praias.

No caminho até as melhores praias da ilha existem muitas atrações e, em geral, está tudo bem sinalizado.

Os Moai estão por todos os lados e, muitas vezes, você pode passar um sem saber, por isso é importante ter um bom mapa da Ilha de Páscoa para não perder nada.

Rano Raku: o vulcão e a fábrica dos Moai da Ilha de Páscoa

O Ahu Tongariki, uma série com 15 Moai na Ilha de Páscoa | foto - Arian Zwegers

O Ahu Tongariki, uma série com 15 Moai na Ilha de Páscoa | foto – Arian Zwegers

Entre outros sítios de interesse que você vai ver pelo caminho, o primeiro e um dos mais importantes é o Rano Raraku. Esse é um dos lugares que exigem pagar ingresso na ilha, dado que são Parques Nacionais. Logisticamente, isso é um problema, pois os ingressos não podem ser pagos no Rano Raraku, só no aeroporto ou no outro parque nacional, Orongo. Você pode entrar em ambos os parques com o mesmo ingresso, que tem um custo de US$ 60.

Rano Raraku é o lugar da ilha onde eram fabricados os Moai, e seguindo a trilha demarcada você verá alguns dos melhores e mais altos Moai da ilha. Além disso, também podemos ver Moai que nunca foram terminados no chão e em diferentes posições. Subindo a trilha, você vai ter uma panorâmica muito bonita deste lado da Ilha de Páscoa.

Não pise nos Moai, mostra a placa na fábrica das carrancas | montagem com fotos de Matias de Téran

Não pise nos Moai, mostra a placa na fábrica das carrancas | montagem com fotos de Matias de Téran

Logo na entrada do parque, existe outra trilha que te leva a cratera do vulcão Rano Raraku. Dentro da cratera, existe uma lagoa de água doce e muita vegetação. Esse vulcão não não  em atividade faz muito tempo, por isso não se preocupem que a lava não vai aparecer.

Continuando, voce vai chegar ao Ahu Tongariki, uma serie de 15 moai de pé, incluindo um com o pukao, o chapéu que eles usam. Este é o melhor lugar da ilha para ver o amanhecer. Muito recomendável.

Seguindo o caminho oceânico de asfalto, você vai chegar a uma das piores partes da ilha para andar de carro. É um caminho de terra, cheio de buracos e muito difícil de passar. Mas para chegar nas praias por esse lado da Ilha de Páscoa, esse é o caminho.

Melhores praias da Ilha de Páscoa

Depois de uma hora na rota e alguns desvios,  o destino é a praia de Ovahe, uma praia bem selvagem. A praia tem um pequeno pedaço de areia e recentemente houve um deslizamento de pedras que obstruiu um pouco a praia. Antes era um pouco maior; agora tem que passar por cima das pedras para chegar  à água.

A praia de Ovahe é selvagem; para chegar à água, é preciso passar por algumas pedras | foto - travelwayoflife

A praia de Ovahe é selvagem; para chegar à água, é preciso passar por algumas pedras | foto – travelwayoflife

Se preferir praias mais virgens, sem estrutura de serviços e nada mais além do mar, a areia e as montanhas, essa é sua praia. Quem prefere um lugar com mais estrutura, o melhor é ir a principal  praia da ilha: Anakena.

A praia de Anakena conta com banheiros limpos, algumas lojinhas artesanais e dois restaurantes. É uma praia boa para passar o tempo, com água morna. Se você der sorte, poderá ver uma ou outra tartaruga dando umas voltas por aí.   A praia é cheia de coqueiros e lembra um pouco as paisagens polinésicas. A praia de Anakena tem também uma série de cinco Moai, que, como quase sempre, estão olhando para dentro da ilha.

Imperdível é comer uma “empanada” de atum e queijo em algum dos restaurantes da praia. Uma delícia.

Um dos viajantes

Matias de Terán é engenheiro, mora no Chile e é um mochileiro de coração. Conhece 42 países e já pisou os 5 continentes, quase tudo nos últimos 6 anos de vida. Inquieto, escreve sobre suas aventuras e gosta de abrir os olhos das pessoas sobre o mundo que as rodeia

2 comentários

  1. Jaqueline Hoeltgebaum

    Olá, você sabe se consigo um tour por lá ou é melhor conseguir com alguma agência aqui no Brasil antes de viajar?

  2. O Matias fez tudo por lá, mas não sabemos dar a melhor sugestão, depende do seu perfil. Em geral, eu prefiro fazer os tours com as agências nos locais.

Deixe uma resposta

O e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *

*