Início / Souvenir / Requisitos para trabalhar como comissário de bordo
O comissário de voo é responsável pela segurança e bem-estar de todos à bordo

Requisitos para trabalhar como comissário de bordo

Um dos primeiros passos na escolha em seguir na carreira de comissário de voo é determinar se você está qualificado para a profissão. Afinal o que é um comissário de voo e o que é preciso para ser comissário de bordo ou aeromoça.

Bom, cada companhia aérea — Azul, Gol, Latam, tem um conjunto de requisitos mínimos de contratação.

Nesta série sobre a profissão de comissário de voo, vamos abordar alguns dos requisitos mínimos para que você saiba quais suas chances em trabalhar como tripulante comercial.

Se você não tiver os requisitos mínimos de contratação, especialmente em relação a idade, altura, educação e idiomas, dificilmente você será contratado.

Quanto ganha uma aeromoça / comissário de voo?

O que é preciso para ser comissário?

Comissário de voo: requisitos de idade e altura

Idade

A tripulação comercial é responsável pela segurança, serviço de bordo, vendas e entretenimento à bordo

A idade é uma das exigências das empresas aéreas. A idade mínima permitida para ingressar na aviação é de 18 anos. Já em relação à idade máxima, as companhias aéreas não dispensam simplesmente por isso desde que a pessoa tenha outras qualificações/experiências e condições físicas saudáveis.

A idade considerada será após a formatura na escola ou aeroclube, ou seja, se você ainda não está na idade mínima no momento de sua matrícula no curso de comissário de voo, mas vai chegar a essa idade durante o treino, tudo bem!

Com o aumento da necessidade de contratação das companhias aéreas, as áreas de recursos humanos e recrutamento estão constantemente ampliando o intervalo entre idade mínima e idade máxima a fim de aumentar o número de potenciais candidatos.

Agora, se o seu sonho é trabalhar no setor aéreo mesmo que a empresa não lhe contrate para a posição de comissário de voo, você deve tentar uma vaga em outro setor da companhia aérea. Afinal, como funcionário suas chances de conseguir um emprego no futuro por meio de migração interna aumentam muito uma vez que as empresas preferem promover seus colaboradores ao invés de consultar o mercado.

Você também pode usar este tempo a seu favor para melhorar suas chances de se tornar um comissário de voo, fazendo cursos extra-curriculares, novos idiomas ou ampliar experiência em atendimento ao cliente.

Nunca pense que você está velho demais para se candidatar a uma vaga de tripulante. Cada vez mais as empresas contratam comissários de voo com idade acima de 40 anos. Tudo vem na hora certa!

Altura

Boa parte dos comissários de voo estão entre 1,57 e 1,75 de altura. Fora deste intervalo normal, algumas companhias aéreas têm requisitos de altura mínima e máxima, isto porque uma pessoa muito baixa pode ter dificuldade em atingir os compartimentos superiores de um determinado modelo de avião.

Uma das funções do comissário de voo é organizar as bagagens no bin

Agora, não desista se achar que é muito baixo ou muito alto. Algumas companhias aéreas não têm qualquer requisito de altura mínima, mas exigem que você passe um teste de alcance. O teste de alcance nada mais é do que uma demonstração de sua capacidade de atingir todos os componentes necessários dentro da cabine de um avião. Ou seja, é preciso ser capaz de alcançar uma altura entre 1,83 m e 1,85 m com pés e braços esticados.

Você pode realizar um teste de alcance na sua própria casa. Basta pegar uma fita métrica, medir a distância de 1,85 a partir do chão, e marcá-lo na parede. Se você conseguir alcançar a marca de pés descalços, você tem toda a chance em ser aprovado em testes semelhantes em qualquer companhia aérea.

Tripulantes da Gol Linhas Aéreas

Se você achar que não conseguirá cumprir a exigência de altura mínima para as companhias aéreas que têm em suas frotas aviões maiores, como o Airbus e o Boeing, não deixe isso desanimá-lo. Você pode tentar carreira em companhias que operam com aviões menores, como o Embraer, Fokker, ATR e outros aviões executivos. Aviões de transporte regional e executivo são bem menores.

Por outro lado, se você for alto demais, ou seja, ter uma altura acima de 1,85, tenha em mente que você estará trabalhando em galleys bem reduzidas e pode ter dificuldades para trabalhar em um ambiente tão apertado. Esteja preparado para responder perguntas relativas a sua altura nas seleções.

Lembrando que são apenas os requisitos mínimos.

A concorrência pelas vagas é grande, portanto é preciso destacar-se dos demais candidatos com diferenciais, aumentando suas chances de conseguir um emprego na aviação civil.

É necessário que você tenha algo mais a oferecer, como uma sólida experiência na área de atendimento ao cliente, curso superior ou cursos técnicos relacionados a área, excelente habilidade de comunicação, ou a capacidade de falar um segundo e até terceiro idioma.

Em geral, as companhias aéreas utilizam o bom senso para contratar seus funcionários, atribuindo-lhe uma pontuação baseada em seu nível de qualificação.

A dica é que mesmo que você ache ou até tenha certeza que não cumpre com os requisitos mínimos de contratação em uma determinada companhia aérea, não desista de concorrer a vaga e envie o seu currículo. Afinal, o máximo que pode acontecer é você ser desclassificado logo na primeira entrevista.

Rotina de tripulantes

Assista o vídeo “Bastidores do Voo”, produzido pela TAM Nas Nuvens. O vídeo mostra a rotina de um piloto e de uma comissária da TAM. Com ele é possível ter uma ideia sobre como é o dia de trabalho de um tripulante:

Sim, é possível ser comissária e mãe

Quem tinha dúvida se seria possível conciliar o casamento e a maternidade com a profissão de comissária de voo não tem mais.

A profissional tem algumas regrinhas. Por exemplo, quando uma aeromoça fica grávida, por lei, não pode voar durante toda a gestação. A aeromoça grávida deve ficar afastada e só volta ao trabalho após a licença maternidade, em um ritmo bem diferente.

“Tem a escala-mãe, que permite que a comissária faça voos curtos. Ela sai de casa pela manhã e volta no fim do dia, como um emprego normal”

A escala com horário fixo também pode ser negociada para os funcionários que fazem faculdade à noite. Se a comissária preferir, pode voltar à rotina de viagens mais longas quando o bebê estiver maior, que ajudam no complemento do salário por causa dos adicionais de voo e refeição.

Portanto há apenas esta pequena diferença entre um comissário de bordo e uma aeromoça.

De aeromoças a homens comissários de voo

A história da função de comissário de voo passou por uma evolução ao longo dos anos.

No início, somente mulheres, bonitas, podiam ser aeromoças. Frequentemente eram confundidas com “enfermeiras” ou “garçonetes”, mas jamais perdiam o glamour, que sempre andou junto à profissão.

Com o passar do tempo, os homens começaram a se interessar pela carreira e o nome precisou ser alterado para comissário de voo.

Muito mais do que responsáveis pelo serviço de bordo, os comissários são agentes de segurança. Precisam ficar atentos à possíveis irregularidades que possam acontecer durante a viagem e que podem prejudicar o voo, como orientar os passageiros de que é proibido fumar no banheiro, por exemplo.

Os tripulantes devem estar preparados para lidar com situações de engasgos, paradas respiratórias e até cardíaca e fazer os primeiros socorros à bordo até que o piloto pouse o avião com segurança.

Vocabulário e termos da Aviação Civil

Aeromoça

A1, A2, A3... – São siglas para as diferentes funções e responsabilidades de cada comissário de voo dentro do avião. O A2, por exemplo, é responsável pela galley e, consequentemente, pela entrada e saída de refeições e bebidas no avião;

Base – Local da apresentação do tripulante, ou seja, aeroporto em que se iniciam as jornadas de trabalho;

Briefing – É o momento pré-voo, onde o comandante do voo reforça alguns procedimentos de emergência, seu jeito de comandar o voo (exigências e recomendações), meteorologia, entre outras informações visando o bem-estar da tripulação e dos passageiros;

DO – Local de concentração da tripulação antes do voo. Em geral, são localizados nos aeroportos da base;

Escala – É o cronograma de voos que os tripulantes irão realizar ao longo do mês;

Folga – A alegria do tripulante!

Galley – É a cozinha do avião, onde prepara-se o serviço de bordo;

Inativo – Período de cerca de 24 horas em que o tripulante permanece em uma mesma cidade;

Jornada – Período em que o tripulante permanece fora de sua base com uma mesma tripulação;

Passe – Benefício concedido ao tripulante pela empresa aérea em que trabalha para deslocar-se gratuitamente entre sua cidade de residência e o aeroporto em que possui base;

PA – São os interfones pelos quais os tripulantes realizam os speeches e comunicam-se entre si;

Pernoite – Período de repouso do tripulante fora da base, ou seja, é o intervalo de tempo entre o momento em que chegamos no hotel após o voo e a apresentação para o próximo voo;

Reserva – Período de 6 horas onde o tripulante deverá ficar no aeroporto (base) pronto (uniformizado) para assumir um voo;

Speech – Texto falado para os passageiros em diversas situações dentro do avião;

Sobre aviso – Período de 9 horas onde o tripulante deve ficar à disposição da empresa. O tripulante pode estar em qualquer local desde que seja localizado facilmente via telefone e esteja preparado para assumir um voo nos próximos 90 minutos;

Sobre aviso curto – Período de 2 horas que o tripulante pode receber alteração de escala para voo, no mínimo 24h adiante.

Trolley – São aqueles “carrinhos” com que realizamos o serviço de bordo;

Tripulação Comercial – Comissários de Voo;

Tripulação Técnica – Comandante e Co-piloto

Ser comissário é…

morar no mundo e passar de vez em quando em casa

estar longe dos problemas da Terra

sonhar mais alto

conhecer novas culturas, lugares e pessoas

acordar no Sul e dormir no Nordeste

voar sempre mais alto! Sair dessa rotina!

ter estado ontem em Santiago, estar hoje em Buenos Aires, amanhã em São Paulo, depois de amanhã em casa e sentir saudade

daquelas poltronas lotadas de gente, daquelas turbulências onde tudo pára e os olhares arregalados só focam os seus movimentos

ter bom senso, confiança

ser equilibrado, sério e gentil ao mesmo tempo

ser médico, psicólogo, pai, neto, amigo, central de informações

saber separar a razão do coração na hora de uma emergência

sorrir quando se tem vontade de chorar

poder chegar ao final de um voo e receber de volta o sorriso de cada pessoa durante a despedida no desembarque

deixar do lado de fora do avião as nossas particularidades

fazer de tudo para agradar, ouvir que a sua empresa é uma merda e ainda assim ter pique pra sorrir enquanto seu rosto dói

ter amor ao que se faz

não saber se volta pra casa É lidar com o perigo

sorrir pro passageiro na pior das turbulências

é ter um eterno amante: o céu

© Conteúdo originalmente publicado no Meio Aéreo e agora parte do Muita Viagem.

Sobre Muita Viagem

Dicas e histórias de viagens. É feito por Gustavo, jornalista, Danilo, comissário de voo, e amigos, que vivem viajando pelo Brasil e no mundo.

4 comentários

  1. bem interessante teu site. As informações de comissaria de bordo bem relevantes.
    Parabens

  2. Sou comissário de bordo, resido em Brasília-DF e estou em busca de uma oportunidade de trabalho.

  3. Ótimo trabalho!
    Após perder muito tempo na internet encontrei esse blog
    que tinha o que tanto procurava.

    Parabéns, Gostei muito.
    Meu muito obrigado!!!

Deixe uma resposta

O e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.