Início / Destinos / O que fazer em Assunção, Paraguai?

O que fazer em Assunção, Paraguai?

Assunção, a capital do Paraguai, é uma das mais antigas cidades da América do Sul e por ter sido base de muitas expedições jesuíticas no início do século XVI, é também chamada de “Mãe das Cidades”.

No roteiro de 1 dia em Assunção, exploramos os principais pontos turísticos da cidade. O centro de Assunção conserva diversos prédios antigos com a arquitetura colonial presente em praticamente todos os edifícios públicos.

Dicas e atrações em Assunção, no Paraguai

Assunção é uma das cidades mais antigas e históricas das Américas

O que fazer em Assunção em 2 dias?

Fazer um roteiro pelo centro de Assunção é bastante simples e exige apenas certos cuidados, pois não dá para dizer que segurança é o forte da cidade. Evite caminhar fora da área turística e ostentar objetos de valor.

O turismo em Assunção não tem a intensidade de Buenos Aires, tampouco ao agito de La Paz, mas possui uma rica história que a torna fascinante e pitoresca.

Veja abaixo o mapa de Assunção e planeje o seu roteiro:

Cabildo

Casa de Cultura de Assunção

Monumento a Juan de Salazar, fundador de Assunção, à frente Casa de Cultura

A Casa de Cultura funciona no antigo prédio da Prefeitura (Cabildo).

O acervo é simples e mal conservado, mas impactante. Retrata uma triste faceta da história do Paraguai.

Fique atento ao caminhar nos arredores, pois há barracos improvisados de uma comunidade carente vizinha à praça. Não é necessário evitar, apenas tome cuidado. As crianças, em especial, são divertidas e amigáveis.

As crianças em Assunção são uma atração à parte. São lindas e super simpáticas.

As simpáticas crianças em Assunção são uma atração à parte

Palácio do Governo

Palácio de los Lopez, o Palácio de Gobierno

Palacio de los Lopez, onde fica a sede do governo do Paraguai

Construído em estilo neoclássico no ano de 1857, o Palácio do Governo é um dos marcos da capital paraguaia e guarda importantes fatos sobre a história do país, como marcas da famigerada Guerra do Paraguai.

O prédio histórico tem um de seus lados para à Baía de Assunção. Da avenida La Costanera é possível enxergá-lo. Aliás, após as obras de revitalização, a avenida tornou-se um dos principais pontos turísticos de Assunção, um lugar bacana para caminhadas pela orla do Rio Paraguai.

Palácio Lopez visto de La Costanera, em Assunção

Palácio Lopez visto de La Costanera, em Assunção

A Avenida La Costanera, um lugar bonito para curtir o fim de tarde

A Avenida La Costanera, um lugar bonito para curtir o fim de tarde

Conhecida como a praia dos paraguaios, La Costanera é uma grande avenida às margens do Rio Paraguai.

A via é frequentada por turistas e moradores, que usam o espaço para a prática de esportes. No fim da tarde, o pôr-do-sol transforma a paisagem. É um lugar seguro, mas faltam atrativos, como quiosques.

Panteão Nacional dos Heróispanteon-assuncion-paraguay

No centrinho, as principais ruas são a Oliva, Estrella e a Palma, cortadas pelas vias Jejuí e Chile.

É ali nos arredores que você encontra onde comer, bancos e praças, como a Praça de la Democracia, onde fica o Panteão Nacional dos Heróis, monumento e templo católico.

Uma curiosidade da construção, iniciada em 1863, é que ficou parada por mais de 70 anos por conta da guerra, sendo finalizada somente em 1936.

Outro ponto de interesse é a Catedral de Nossa Senhora de Assunção, construída no século XVI.

Catedral de Nossa Senhora de Assunção

Catedral de Nossa Senhora de Assunção

Artesanatos

Em todas as pracinhas e ruas do centrinho é possível ver pessoas vendendo artesanatos. No Paseo Artesanal, na Calle Oliva com a Avenida Chile, há várias barraquinhas com artesanatos e souvenirs.

Artesanatos em feirinha no centro de Assunção, Paraguay

Artesanatos em feirinha no centro de Assunção, Paraguay

Vale a pena fazer viagens rápidas para conhecer povoados célebres por sua produção artesanal de cerâmica, colchas e roupas de lã.

Mochilão pela América do Sul: dicas de roteiros

Cidades turísticas como San Lorenzo, Capiatá, Itaugua, Yaguaron, Paraguarí, Caacupé e San Bernardino podem ser visitadas facilmente.

Leia dicas de viagens bate-volta e roteiros de viagens curtas nos arredores de Assunção no blog Esse Mundo É Nosso.

Passeio de trem

Uma atração histórica em Assunção é a estação de trem Jardim Botânico, uma das mais antigas das Américas.

De lá partem os passeios do Tren del Lago, movido a lenha, que realiza roteiro turístico até a cidade de Aregua e o Lago Ypacarai apenas algumas vezes por mês. O trem turístico conta com apresentações culturais durante a viagem.

É preciso confirmar os dias das viagens e comprar os bilhetes na Estação Central, na rua México, 145.

Onde comer em Assunção?

Bolsi

Restaurante Bolsi

É bem fácil encontrar um lugar barato e gostoso para comer no centro de Assunção. O meu favorito foi o Bolsi. O restaurante fica na esquina da Alberti com a Estrella, 399. Aberto 24 por dia, costuma estar sempre cheio.

Há um balcão na parte interna, agradável para ficar na hora do almoço por conta do ar condicionado. A parte de fora é bem legal, mas com no verão, o forte calor incomoda. O ideal é chegar após às 18:00 para o happy hour.

Outra dica é o Lido bar, na Calle Palma. Para jantar, escolhemos o restaurante Las Margaritas. Deixo como excelente dica para comer à noite e beber um bom vinho. Peça sugestão do garçom e será muito bem atendido.

Dica de hotel em Assunção

Ficamos no Hotel Excelsior. O hotel tem piscina, salão e bar luxuoso, ambientes bem agradáveis. Além disso, os quartos são grandes e confortáveis. A dica no check-in é pedir um quarto em andares mais altos.

Para quem viaja pensando em jogar, uma dica onde ficar em Assunção é o Hotel & Casino Guaraní. Localizado no centro da cidade, próximo da Plaza de la Democracia, o hotel tem arquitetura moderna e foi projetado com o objetivo de criar um cartão postal para a cidade.

Hostel para mochileiros

No mochilão, a Sheila viajou de ônibus de Puerto Iguazu, na Argentina, até Ciudad del Este, no Paraguai, e de lá para Assunção. Como a viagem era econômica, dormiu no hostel El Viajero.

Dicas e informações gerais:
Para chegar à Assunção é necessário comprar passagens aéreas a partir do Aeroporto de Guarulhos, de onde saem voos diretos da Latam e Gol. A Aerolineas Argentinas tem voos com conexão em Buenos Aires.

O clima subtropical torna Assunção uma cidade bastante quente e úmida, com muitas chuvas, especialmente entre outubro e fevereiro. Entre novembro e março é muito quente mesmo. Tenha sempre uma garrafinha com água à mão.

A moeda local é o Guarani, mas muitos estabelecimentos aceitam dólar ou outras moedas do continente, como o peso argentino, real brasileiro e o peso uruguaio. Veja cotação do Guarani aqui.

Como elencamos abaixo, para viajar à Assunção ou mesmo Ciudad del Este, a melhor escolha é levar dólares, já que muitas lojas trabalham com a moeda ou é possível trocá-los por Guaranis (G$, moeda local).

Compras no cartão de crédito sofrem acréscimo entre 10% e 15%.

Dicas para comprar dólar mais barato antes de viajar

Guarani também é o nome da língua indígena, falada por boa parte da população. Por isso, o Paraguai tem duas línguas oficias: o guarani e o espanhol.

Paraguai, além das compras!

As missões jesuíticas

Sim, há turismo no Paraguai! Infelizmente, muitas pessoas viajam para lá apenas com a intenção de fazer muitas compras e desconhecem que o país também oferece algumas opções para turistas e mochileiros de plantão. Confesso que não é um turismo muito confortável ou cheio de luxo, mas é barato e creio que vale a pena pra conhecer um pouco mais esse vizinho brasileiro.

Comprei passagens aéreas muito baratas para Foz do Iguaçu (PR), tinha quatro dias disponíveis, então aproveitei a chance para dar um pulinho no Paraguai. Desembarquei em Foz do Iguaçu e primeiro fui conhecer o lado argentino das cataratas. De Puerto Iguazu, na Argentina, peguei um ônibus para Ciudad del Este, no Paraguai. Como o objetivo principal não era “muambar”, segui viagem para a capital paraguaia, Assunção, onde dormi no hostel El Viajero.

Assunção é pequena, um dia é suficiente para conhecer toda a cidade, que é bem modesta e não tem cara de capital. Há muitos carros antigos na rua, muitos deles sem placa, e motoristas um tanto quanto apressados. Por isso, fica a dica: nunca atravesse a rua achando que os carros irão parar para você atravessar. Vi muitos ônibus (também antigos), porém não cheguei a utilizar o transporte público local porque conheci a cidade toda a pé.

Pontos turísticos de Assunção

Descendentes de Guaranis vendem seus artesanatos no centro de Assunção.

Para conhecer os principais pontos turísticos, que contam um pouco mais sobre a história da cidade ou do país, basta seguir o curso do Rio Paraguai.

Ali estão localizados o Palácio do Governo (visita agendada), o Centro Cultural e o Panteão Nacional dos Heróis (onde estão as cinzas do Marechal Solano López, herói da pátria paraguaia).

Outro lugar bastante interessante é a Casa de la Independencia (Rua 14 de Mayo, esquina com Presidente Franco), uma casa colonial do ano de 1722 onde eram realizados encontros do movimento de independência do Paraguai.

Compras em Assunção

Uma feira de artesanato bem legal está localizada na Rua Cerro Cora, entre as ruas Chile e Independência Nacional, porém os preços são altos, realmente “pra gringo ver”.

O comércio está concentrado nas ruas Palmas e Oliva, no centro de Assunção. Dizem que por lá os preços são um poucos mais altos do que em Ciudad del Este, mas eu deixei de comprar uma camisa da seleção paraguaia de futebol (em um outlet da Adidas) por US$ 39,00 em Assunção e acabei pagando US$ 50,00 em Ciudad del Este.

Todas as lojas aceitam cartões de crédito, porém, muitas vezes, o preço sofre acréscimo que pode variar entre 10 e 15%.

Para viajar no Paraguai, a melhor escolha é levar dólares, já que muitas lojas trabalham com a moeda ou é possível trocá-los por Guaranis (G$, moeda local). Eu confesso que achei mais fácil pensar em dólares, já que R$ 1,00 equivale a G$ 2.000,00 e a quantidade de zeros acaba atrapalhando os cálculos.

Guarani também é o nome da língua herdada dos indígenas e falada por grande parte da população. Por isso, o Paraguai tem duas línguas oficias: o guarani e o espanhol.

Onde comer bem e barato?

Nos restaurantes são servidos “menus del dia”, uma boa opção para comer bem por um preço justo. Estive no Lido Bar, na rua Palma, onde comi apetitosas bistecas de porco com batata por G$ 36.000,00. O restaurante também oferece muitos pratos típicos, como, por exemplo, a sopa paraguaia (que na verdade é uma torta de fubá) e as famosas chipas (semelhantes ao pão de queijo mineiro).

As Missões Jesuíticas no Paraguai

Ruínas Santíssima Trinidad – Missões Jesuíticas em Encarnação, no Paraguai

Para chegar até as ruínas das missões jesuíticas (para onde os índios guaranis eram levados para catequização na época da colonização espanhola) é preciso ir até a cidade de Encarnação.

O ônibus que faz o trajeto Assunção/Encarnação custa aproximadamente G$ 60.000,00 e a viagem dura aproximadamente sete horas, já que o ônibus vai parando em todos os pontos possíveis e imagináveis. Encarnação está na região sul do Paraguai e faz fronteira com Posadas, na Argentina.

O desembarque em Encarnação não é nada encantador: a cidade é feia e não tem nenhum atrativo turístico, sendo apenas uma parada para os viajantes que querem conhecer as missões.

Não há nenhum hostel ou bons hotéis na cidade, somente algumas pensões e hotéis bem econômicos. Mas, se o objetivo é chegar até as missões, os olhos devem se fechar diante todas as precariedades.

No terminal de ônibus, perdemos (eu e dois amigos) um tempo enorme perguntando qual seria o ônibus que nos deixaria nas ruínas jesuíticas. São ônibus e microônibus muito velhos, sem placas de itinerário, com preços variados, sem horários definidos e sem cobrador.

Enfim, depois de muito perguntar, entramos em um microônibus que custou G$ 10,00 e demoramos cerca de 40 minutos até o nosso destino. Durante a viagem, perguntamos para muitas pessoas onde deveríamos descer, até que uma senhora falou para que desembarcássemos junto com ela na entrada de Trinidad.

Do ponto em que descemos, andamos uns 10 minutos até a entrada das Reducciones Jesuiticas de la Santísima Trinidad del Parana. Saiba mais!

Para entrar nas ruínas é preciso comprar um bilhete que custa G$ 25.000,00 e dá acesso a mais duas missões: San Cosme y Damian e Jesus de Tavarangue. Santísima Trinidad, construída em 1706, é a maior e mais conservada ruína. De lá é possível ir a Jesus de Tavarangue (1685) pegando um “tuc tuc” (semelhante aos indianos) por um preço definido na hora pelo motorista. Ambas as ruínas foram reconhecidas como Patrimônio Universal da Humanidade pela Unesco, em 1993.

Os dois lugares são incríveis, mas gostei mais de Trinidad. Não fomos até San Cosme y Damian porque era muito distante. Ainda existem mais quatro ruínas jesuíticas no Paraguai: Santa Rosa de Lima, San Ignacio Guazú, Santa Maria de Fé e Santiago. No entanto, infelizmente, as informações turísticas sobre as ruínas são escassas e o acesso se torna difícil.

Finalmente, a muamba

Ciudad del Este é um “mar de gente” e a única atração ali é o comércio. Enquanto andamos na rua, uma infinidade de produtos é oferecida pelos comerciantes (variadas marcas, preços e qualidades).

Os preços realmente são mais baixos, inclusive em algumas lojas mais confiáveis do que os ambulantes. Se estiver em Foz do Iguaçu, vale a pena atravessar a Ponte da Amizade e dar uma conferida nos preços de Ciudad del Este.

Algumas lojas para compras no Paraguai que recomendamos são a Nave Shop (produtos eletrônicos e informática), Monalisa (perfumes e cosméticos) e o Shopping del Este (bebidas e acessórios).

Sobre Danilo Hadek

Antes de começar o Muita Viagem, fui Relações Públicas e Comissário de Voo. Vivi no Canadá, fiz longas viagens nos Estados Unidos e alguns roteiros na Europa. Já estive em todas as capitais do Brasil, e em mais de 20 países pelo mundo. Quero conhecer o Oriente Médio, África e Ásia.

Um comentário

  1. LILIAN Medeiros

    Eu e meu companheiro estivemos em Assunção do dia 16 a 19 de novembro/2018 (sexta, sábado, domingo e segunda-feira). Gostamos bastante do passeio, recomendamos!!!
    Seguem algumas observações para quem tem interesse em conhecer a cidade:
    – O táxi do aeroporto ao hotel custou 88.000 guaranis.
    – Ficamos hospedados no hotel Esplendor na avenida Aviadores del Chaco. Gostamos muito do hotel. Ele não fica no centro, então o gasto com táxi foi de 100.000 guaranis por dia com locomoção.
    – Gastamos em média 100.000 guaranis por dia com alimentação (para duas pessoas).
    – Fez muito calor (para mim a cidade é tão quente quanto Cuiabá). Recomendo levar roupas bem leves, protetor solar e boné/chapéu.
    – Choveu no domingo (muita chuva). Recomendo levar uma capa de chuva.
    – Trocamos o dinheiro em um banco em frente à Plaza Uruguaia. É necessária apresentação de RG ou passaporte.
    – Se você quiser usar o cartão de crédito nos estabelecimentos tem que apresentar RG ou passaporte.
    – É solicitada a apresentação do comprovante de vacinação contra febre amarela antes do embarque.
    – No domingo os museus ficam fechados e no sábado não abrem o dia todo, por isso, na minha opinião é interessante ter pelo menos dois dias da semana (dias úteis) para aproveitar a cidade.
    – Os museus e igrejas tem entrada gratuita (exceto museu Ferrocarril – cobram 10.000 guaranis).
    – Na plaza Uruguaia tem livrarias muito interessantes.
    – Recomendamos o Restaurante Bolsi: a comida é saborosa e o preço justo. Nos finais de semana ele fica lotado, por isso só conseguimos comer lá na sexta e na segunda-feira.
    – Não gostamos do restaurante Capitão (fica no paseo Carmelitas): a comida estava péssima e ainda por cima foi caro.
    – Acho interessante ver os horários de funcionamento dos museus/igrejas quando for planejar sua viagem. Este site pode ajudar: https://visitparaguay.travel/v1/actividad/3-descubre-la-cultura-y-la-historia
    Os lugares que visitamos:
    Estacion Central del Ferrocarril
    Catedral Metropolitana
    Museo Monsenor Sinforiano Bogarin (fica numa viela ao lado da Catedral)
    Centro Cultural de la Republica – Cabildo
    Arquivo Nacional
    Museo de las Memorias: ditadura y derechos humanos
    Casa de la Independencia
    Museu Histórico Nacional Bernardino Caballero (fica dentro do Parque Caballero). Igreja da Encarnação
    Centro Cultural Juan de Salazar
    Museo Nacional de Bellas Artes
    Museo del barro (fica pertinho do hotel Esplendor)
    Museo etnográfico Andrés Barbero
    Museo de arte Sacro
    Manzana de la Riviera
    Panteon de los Heroes
    Palacio de gobierno (López)

Deixe uma resposta

O e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *

*