Início / Brasil / Amazonas e Região Norte / Belém do Pará: passeio de barco e pontos turísticos da cidade velha
Catedral da Sé

Belém do Pará: passeio de barco e pontos turísticos da cidade velha

Belém do Pará reserva muitas surpresas para quem visita o centro antigo da cidade. Banhado pelos rios Maguari e Guamá, a região é repleta de contrastes, da cor amarela do tucupi ao roxo terra do açaí, muito calor e muita arquitetura do século XVIII e áreas revitalizadas e até hype!

A cidade velha de Belém abriga um complexo conjunto histórico e religioso, concentrando os principais pontos turísticos de Belém – Estação das Docas, Mercado Ver-o-Peso, Forte do Presépio, Catedral da Sé, Casa das Onze Janelas e o Museu de Arte Sacra.

Como parte do passeio pelos mercadões de Belém, peguei um táxi próximo ao Mercado da 25 de Setembro e fui até o Mercado Ver-o-Peso. Gastei R$17,00 para rodar os 7km de distância. Pedi para o taxista parar próximo às Docas para começar uma nova aventura!

Roteiro em Belém

À princípio, a ideia era visitar apenas a Estação das Docas e o Mercado Ver-o-Peso, mas como estava muito próximo de outros pontos turísticos, acabei estendendo a caminhada até o Mangal das Garças.

Veja como ficou o roteiro em Belém no mapa:


Estação das Docas

Estação das docas, em Belém – PA

Comecei a caminhada pela Estação das Docas. O local foi revitalizado e transformou-se em uma das mais importantes obras de Belém. Da Estação das Docas partem passeios de barco para a Ilha de Marajó, praia de Sirituba, Ilha dos Papagaios, furos, igarapés e outros.

Há diversos passeios de barco pelos rios Maguari, Guamá e outros.

Dei uma passada na loja da Valeverde Turismo para saber mais sobre os passeios. Vale conferir os roteiros fluviais oferecidos pela agência de viagens.

Também pesquisei o preço das cerâmicas vendidas na Lojinha de Marajó. O preço das cerâmicas variam entre R$12, R$21 e R$85. A atendente da loja até ofereceu desconto de 5% para pagamento em dinheiro, mas desisti da compra.

A qualidade dos artigos desta loja é muito boa, mas para quem está procurando artesanatos mais baratinhos, a dica é comprar no Mercado Ver o Peso.

Onde comer, onde beber?

Ainda na Estação das Docas, a dica para experimentar a culinária típica da região Amazônica e também variadas cervejas é na Cervejaria Amazon Beer. A cerveja de lá é 100% artesanal e o happy hour acontece de 2ª a 4ª feira das 18h30 às 21h a um preço fixo de R$35,00. Vale a pena!

No cardápio, o preço das cervejas variam entre R$4,80 a R$7,50. Experimentamos a Amazon Red Ale Priprioca no valor de R$5,90 e também a Amazon Stout Açaí por R$6,50 (300ml). Para “a viagem”, trouxemos duas long neck, uma Amazon I.P.A Cumaru por R$7,50 e uma Amazon Bacuri Beer por R$6,70.

Para comer bem e barato, a dica é aproveitar a feijoada que ocorre aos sábados ou o cozidão de domingo no horário entre 12h e 16h. O preço do almoço por pessoa aos finais de semana no restaurante é de R$48,00.

Outra dica legal para fazer no passeio às Docas é experimentar as dezenas de sabores dos sorvetes Cairu. Tem um quiosque da sorveteria logo no início do boulevard da gastronomia. O preço do sorvete com 1 bola é de R$5,00; 2 bolas R$9,70, além do picolé, mais baratinho, por apenas R$1,50.

sorvetes de frutas da região Amazônica

sorvetes de frutas da região Amazônica

O sorvete de cupuaçu com castanha do Pará é o melhor! Tapioca e Graviola também!

Catedral da Sé e o Forte do Presépio

Catedral da Sé

Catedral da Sé

Após sair da Estação das Docas, caminhei pelo Mercado Ver o Peso e segui até a Catedral da Sé, passando pela Praça do Relógio.

Na praça em frente à Catedral da Sé, há diversos carrinhos que vendem bebidas, guloseimas e cigarros. Para refrescar minha garganta do sol quente e apreciar com mais calma a Catedral da Sé, tomei uma água de coco verde geladinho.

Comprei a água de coco por R$2,50 no quiosque da “baixinha”, uma senhora muito simpática que até me deu uma bala e disse que não era para falar pra ninguém, pois a promoção era “compre três cocos, ganhe um chiclete”. Comentei que estava viajando desde São Paulo até Belém e depois iria para Manaus. Ela nunca andou de avião, mas disse que sempre pede proteção para os viajantes… Achei muito legal isso!

Logo ali do lado do Forte, é possível ver um casarão antigo, em estilo neoclássico português, construído em meados do século XVII, conhecido como a Casa das Onze Janelas. Além de uma vista exuberante para a Baía do Guajará, no encontro entre os rios Maguari e Guamá, o restaurante oferece variada, e impressionante culinária regional. O buffet é servido a partir do meio-dia.

Desta vez optei por um filé aperitivo ao molho 4 queijos gratinado com queijo parmesão, perfeito para tomar um chopp bem gelado e fazer minhas anotações de viagens! Para quem nunca provou, vale experimentar também o Tacacá, caldinho feito com tucupi (goma de mandioca), pimenta-de-cheiro, jambu (erva regional) e camarão seco, servido bem quente.

Para a família, peça o Tucunaré grelhado ou o Pato com Tucupi. Entre amigos, peça um chopp no Boteco das Onze, localizado no andar térreo.

Mangal das Garças

dica-restaurante-belem

restaurante Manjar das Garças, um dos melhores do Brasil

Fizemos nosso passeio até o Parque Ecológico Mangal das Garças já no final do dia, então não aproveitamos tudo que o parque oferece. Mas vale a dica de passeio com crianças. Programe-se para ficar uma manhã toda ou simplesmente o dia inteiro lá!

Este belo parque ecológico reúne um orquidário, viveiro de plantas, viveiro de pássaros e o maior borboletário do Brasil, ocupando uma área de 1,4km². O local também abriga o Museu Amazônico da Navegação e o Farol de Belém, com 47 metros de altura.

A entrada no parque é grátis, mas em algumas áreas fechadas, como  o museu, o borboletário e a torre 360°, é preciso pagar o valor do ingresso. Cada entrada custa R$ 4,00. Dá para pagar mais barato comprando o passaporte com direito a entrada a todos os espaços por R$12,00.

Outro espaço legal do Mangal das Garças é o Armazém do Tempo, um grande galpão com lojinhas e quiosques para os turistas e visitantes comprarem diversos tipos de artesanatos e produtos culturais paranaenses.

Nesta viagem não tivemos tempo para visitar o museu, nem o borboletário, apenas a torre 360° – de lá foi possível ver todo o centro antigo de Belém e o caminho que percorremos das Docas até o parque. Os outros ficarão para a próxima viagem!

O Mangal fecha às segundas-feiras. De terça a domingo o horário é das 9h às 18h.

Onde comer?

O parque também tem um dos melhores restaurantes de Belém – o Manjar das Garças. Inaugurado em 2005, o restaurante tem cozinha requintada e uma paisagem magnífica para o Rio Guamá.

O almoço é servido buffet no valor de R$54 por pessoa, já o jantar a la carte. Pela qualidade e variedade do buffet do almoço, vale a pena! O jantar é uma dica para quem está viajando a dois.

 Serviço

Valeverde Turismo
Av. Boulevard Castilho França, S/n – Terminal Fluvial – Loja 07
Tel.: +55 91 3212-3388

Amazon Beer
Armazém 1 no Boulevard das artes – Estação das Docas
Tel.: +55 91 32125401 / 3212-5400

Casa das Onze Janelas
Praça Frei Caetano Brandão, s/nº
Tel: +55 91 3224-8599

Manjar das Garças
Praça Carneiro Rocha, s/nº – Parque Ecológico Mangal das Garças
Tel.: +55 91 3242-1542

Sorvetes Cairu
Boulevard Castilhos França, 707 – Estação das Docas
Tel.: +55 91 3212-5525

Mercado Ver o Peso e Feira da 25 de Setembro

A cidade de Belém do Pará é quente, mas ainda mais quente quando estamos nas grandes feiras que acontecem todos os dias na cidade. Os dois principais mercadões de Belém são o Mercado do Ver-o-Peso e o Mercado da Vinte e Cinco de Setembro.

O Mercado do Ver-o-Peso é o mais conhecido. Localizado na cidade velha, ao lado de pontos turísticos importantes de Belém, faz parte do roteiro de quem está conhecendo o centro antigo de Belém. Fica entre a Estação das Docas e a Casa das Onze Janelas. Vale conhecer para vivenciar uma das maiores feiras a céu aberto do Brasil! Além de preço bom, o local vive lotado de turistas.

Mercado Ver o Peso – Belém

O Mercado Ver o Peso é, como geralmente são todos os grandes mercados centrais, um universo de cores, sabores e curiosidades. O que chama muito a atenção no ambiente do mercado é a cultura e o jeito de ser do povo paraense, traduzindo de uma forma bastante autêntica uma faceta do povo brasileiro.

Vale lembrar que o local é uma feira a céu aberto e, como todas as feiras, também tem uma grande mistura de cheiros (alguns não muito agradáveis) e, por vezes, sujeira no chão.

Em minha viagem à Belém, tinha que passar por lá.

Queria comprar castanha do Pará e guaraná. A castanha foi fácil achar. Na barraca do Belo, o preço do quilo da fruta seca estava a partir de R$15,00 até R$30,00 de acordo com a qualidade.

castanha-do-para-belem-brasil-ver-o-peso

Castanhas do Pará: boas para a saúde e preço bom para o bolso

É possível encontrar de tudo nas barracas e quiosques do mercado, desde o famoso açaí na tigela, farinha de tapioca, frutas e frutos da região, aves, peixes, ervas e misturas e fórmulas milagrosas contra queda de cabelo, impotência sexual, etc.

Algumas coisas interessantes para se comprar no Mercado Ver o Peso são frutas e grãos, especialmente a castanha do Pará, farinha de tapioca, pupunha e umbu.

Enquanto o quilo da pupunha estava R$9,00 na feira da 25, no Ver o Peso  encontrei por R$3,00. Curioso, pedi para experimentar o fruto. A pupunha tem um sabor leve, parecido com o palmito.

Outros preços de frutas baratas que pude conferir foi o mamão sendo vendido a R$2,00 (unidade); o abacate entre R$3,00 e R$4,00 (unidade) e a banana prata com preço variando entre R$3,00, R$4,00, R$5,00 e R$6,00 a dúzia.

mercado-ver-o-peso-frutas-belem-muitaviagem

frutas baratas no mercado do “ver o peso”

Guaraná em pau – direto da Amazônia

Após provar a pupunha e algumas andanças, finalmente encontrei o guaraná em pau. Já ouvi dizer que o pau de guaraná tem efeito estimulante muito mais potente do que o guaraná em pó que facilmente encontramos por aí.

Após algumas andanças e perguntar sobre onde encontrar o guaraná em pau, finalmente encontrei-o em uma barraquinha no final do mercado. O preço também é “quente” – R$ 60. Nada que uma pexinxa com a moça da barraca das ervas, não fizesse a mesma baixar o preço para R$50.

Uma pena que ela não tinha a língua do pirarucu, pois é costume e tradição, ralar o pau do guaraná na língua do peixe para extrair o pó do guaraná que pode ser adicionado no suco, vitamina ou café.

guarana-pau-belem-ver-o-peso-muitaviagem

Artesanatos: cerâmica indígena de Icoaraci

Também achei que valia a pena comprar alguns artesanatos. Encontrei nas barracas localizadas na parte superior da feira, diversos artesanatos feitos com palha, cipó, madeira e cerâmica.

Na barraca do Junior, por exemplo, um conjunto de cerâmicas feitas por índios de Icoaraci estavam uma graça e muito baratinhas. Estes artesanatos variavam entre R$5,00 e R$15,00 no máximo, bem mais barato do que a “lojinha Marajó, localizada na Estação das Docas.

Comprei um conjunto de três pratos de cerâmica indígena por apenas R$30,00; duas tigelas, uma pequena e uma grande e um vasinho também de cerâmica custando R$5,00, R$7,00 e R$10,00, respectivamente.

Qualquer uma dessas peças é um ótimo souvenir para dar de lembrança, e claro, enfeitar sua casa! Mas pense em como você vai levar no avião…

cerâmicas indígenas de Icoaraci

cerâmicas indígenas de Icoaraci

O Mercado da Vinte e Cinco de Setembro é outra dica para fazer compras de frutas e outros vegetais em Belém.

Feira da 25 de Setembro – Belém

Se o seu objetivo não for simplesmente turismo, indicamos o Mercado da 25 de Setembro, mais próximo ao aeroporto, ao lado do mercado Formoso. Além de ser mais limpo, a qualidade das frutas parece ser melhor do que o Mercado do Ver-o-Peso.

Para ir até o Mercado da 25 de Setembro segui por uma caminhada de cerca de 30 minutos pelo rua Rômulo Maiorana até chegar à avenida Vinte e Cinco de Setembro, onde está localizada a famosa “feira da 25”.

Lá é possível encontrar especialmente frutas, plantas e ervas, bem como comprar peixes, caranguejo e camarão desidratado. Aliás, este último é uma ótima dica de petisco para acompanhar uma cervejinha gelada.

Para quem gosta de comer açaí na tigela, uma dica é fazer uma parada na Barraca do Açaí, local onde você pode comprar a polpa da fruta, triturada na hora. O litro da polpa do açaí sai por R$18,00.

Além do açaí, o quiosque ainda vende polpa de frutas da região Amazônica – cupuaçu (R$9,00), cacau (R$6,00), araca (R$6,00), bacuri (R$20,00), graviola (R$11,00), entre outras.

A feira também é local ideal para descobrir novas plantas e ervas para adicionar novos temperos e sabores em sua comida! Há diversas barracas que vendem, por exemplo, o “tucupi”, um líquido amarelo muito utilizado nas receitas da cozinha nortista. Vale experimentar para temperar o frango! O preço médio do litro é R$4,00.

Você certamente irá ver muitos cachos de “pupunha” nas barracas do mercado. A “pupunha” é um fruto típico da região Amazônica, cozinho em água e sal, é muito consumido no Norte do Brasil. O preço do quilo da “pupunha” na barraca da Nazaré sai por R$9,00.

Outro produto que encontrei nesta barraca foi o óleo de andiroba. A andiroba é uma árvore e o óleo é extraído das sementes. Muito utilizado na produção de repelentes, o óleo também tem poder cicatrizante, anti-inflamatório e antissépticos, além de ser recomendável para massagens relaxantes.

No box 44 da Nazaré, havia dois tipos de óleo de andiroba – o frasco com óleo claro no valor de R$30,00 e o óleo preto, custando R$70,00. Para fazer massagem, segundo a vendedora, o óleo preto é muito melhor.

Ao lado deste quiosque, na Floricultura Nossa Senhora das Graças, fiquei impressionado com as mudas de pimenta de cheiro amarela. Todas carregadas! Tinham dois tipos de mudas, em cacho e simples. A mudinha da pimenta de cheiro amarela de cacho estava saindo por R$25,00.

Outra coisa que não é difícil encontrar são farinhas de diversos tipos, bem como coco ralado na hora! O saquinho de coco custa apenas R$1,00. É barato e muito bom!

Onde comer?

Uma dica é a barraca da Dona Elvira (box 14), localizada bem no centro da área de alimentação do mercado, perto dos banheiros.

Infelizmente o lugar é muito quente, mas a vantagem é que tanto água filtrada como suco natural de frutas da região são grátis. Além disso, o preço do prato é muito barato! Paguei apenas R$10,00 no filé de peixe com arroz, feijão, vinagrete e farinha + suco de cupuaçu.

Serviço

Barraca do Açaí
Box 47 – Mercado da 25 de Setembro
Tel.: +55 91 3228-0990

Barraca da Nazaré
Box 44 – Mercado da 25 de Setembro
Tel.: +55 91 3226-6872

Barraca da Dona Elvira
Box 14 – Mercado da 25 de Setembro

Passeios de barco em Belém

A capital do Pará tem muitas opções de lugares e viagens para conhecer praias de rios em passeios de barco em Belém.

Ilha de Marajó – Belém

Da Estação das Docas partem canoas, barcos e embarcações para muitas atrações deste imenso estado que abrange grande parte da região Amazônica, além é claro, do caribe da região Norte do Brasil, Alter do Chão, em Santarém.

1. Orla Matinal – passeio barato com crianças

As ilhas de Belém: Passeie curtindo as belezas da Bala do Guajara. com visão panorâmica das dezenas de ilhas que circundam Belém. O passeio de barco tem duração de 1h30. Somente aos domingos! Crianças até 10 anos acompanhadas de dois adultos pagantes viajam grátis.

2. Encanto das Águas – restaurante a beira-rio

Passeio com duração de 3 horas e meia pela orla Sul de Belém e parada para almoço (não incluso) em restaurante a beira-rio com peixes e comidas típicas. Saída aos domingos.

3. Ilhas e Trilhas – ecoturismo aventura

Um passeio ecológico com duração de 6 horas. Saídas aos sábados e domingos. O turismo de aventura é um passeie pelo exuberante mundo de águas e florestas da região Amazônica, com parada para almoço (incluso) na praia de Sirituba. (praia de rio)

4. Ilha dos Papagaios – veja muitos papagaios

O passeio para a bela Ilha dos Papagaios tem duração de 4 horas e sai sempre às terças, quintas e sábados. Sempre às 4h30 da manhã para ao nascer do dia, fazer este incrível passeio até a ilha onde vivem milhares de papagaios.

Assistir a revoada dos papagaios com o nascer do sol é um espetáculo raro e inesquecível. O traslado entre o centro de Belém está incluso. Consulte o hotel.

Foto de Jr. Amazon Tour

Foto de Jr. Amazon Tour | veja os relatos do Junior no blog

5. Ilha de Marajó – pororoca e búfalos

Passeio de 12 horas: Viagem de barco até a Ilha de Marajó é bem maneiro! A Ilha do Marajó é a maior ilha fluvio-marinha do mundo e palco da mais famosa pororoca.

A ilha é linda e rica culturalmente com danças de carimbó e lundu e a cerâmica marajoara. Com saídas todos os dias. No almoço, file Marajoara, bile acebolado, frito do vaqueiro, peixe frito e caranguejo Toe-Toe.

6. Ilha de Marajó e praia do pesqueiro

A viagem de barco começa às 6h30 até o porto da vila de Camará, no Ilha do Marajó. À tarde visita a uma fazenda tipicamente marajoara, onde se destaca a criação de búfalos e cavalos marajoaras, e ainda muitos pássaros como o guará.

Além do passeio à Ilha, o turista dorme uma noite no Hotel Ilha do Marajó, que tem quartos com ar condicionado e frigobar, restaurante, piscinas e outras áreas.

A viagem ainda proporciona visita à cidade de Soure e passeio às principais pontes da cidade e ao curtume (centro de artesanato de couro de búfalo), seguido de visita a praia do Pesqueiro, com tempo para banho de sol e nadar. Saídas de segunda à sábado.

Ilha de Marajó - pôr do sol

Ilha de Marajó – pôr do sol 

7. Furos e Igarapés

Um maneiro passeio de barco para conhecer os furos e igarapés, com uma caminhada na floresta. É dica de passeio bom e barato para entrar em contato com a exuberância da Amazônia. Saídas às segundas, quartas e sextas. A duração é de 3 horas e meia.

Não realizamos passeios.

Desde o final de 2015 já é possível ir de um jeito fácil para a Ilha de Marajó. A empresa de transporte hidroviário –Tapajós Expresso, faz a rota Belém – Soure – Ponta de Pedras.

É preciso ficar atento aos horários no site oficial. Há apenas um passeio por dia. O percurso leva cerca de 2 horas.

Os passeios até a Ilha partem da Estação das Docas, região central de Belém.

Post atualizado em 15 de setembro de 2021.

Sobre Muita Viagem

Dicas e histórias de viagens. É feito por Gustavo, jornalista, Danilo, comissário de voo, e amigos, que vivem viajando pelo Brasil e no mundo.

14 comentários

  1. Muito bommmmmmmm

  2. Olá Maria do Carmo!

    Realmente os passeios de barco em Belém do Pará são tudo de bom!! Eu recomendo passar um final de semana na Ilha de Marajó! Você já fez algum?

  3. estou chegando em Belém dia 17/11/2013

    achei interessante o pacote para ilha de Marajó

    qual o tel.da sua agência?

  4. ola danilo!! eu qro saber como eu faço para fazer esse passeio – Ilhas e Trilhas – ecoturismo aventura

  5. Gostaria do passeio ilas e trilhas para 4 pessoas. Por favor passe informacoes adicionais.

  6. É possível ter mais informações dos passeios de barco na própria estação das Docas. Há uma agência de turismo localizada lá! O telefone é (91) 3218-7333.

  7. BOm dia Danilo, qria sabe como entro em contato c vc, gostaria de fazer um passeio fluvial qndo chegar ai em belém.

  8. Oi.Estou planejando fazer uma viagem a Belem entre 27/ 03 e 3/04. Peço umas sugestão de passeios para esse dias.Somos um casal de 60 anos,mais ativos.Gostamos de passeios de barco,apreciar parte histórica,comer bem e trilhas leves.Poderia me enviar um roteiro,incluindo hoteis e preços dos passeios.Agradeço,Eliene

  9. olá , gostaria que entrasse em contato com meu e mail para saber sobre o passeio ilha de marajó e praia do pesqueiro. Irei a Belém em julho . As saídas são feitas a partir do hotel em Belém? O que tá incluso? São 2 pessoas . Onde se pernoita na ilha de marajó? Aguardo resposta.

  10. Renata Maia Pimenta Porto

    Gostaria de realizar o passeio à ilha de Marajó (o pacote 5 ou 6), do dia 16 para o dia 17/07, e preciso de mais detalhes. Estarei hospedada no Hotel Soft inn Batista Campos e gostaria de saber o que está incluso nos pacotes: se está incluso o transfer do hotel para o porto e do porto para o hotel na volta; as passagens de barco para a ilha de Marajó e todo o movimento dentro da ilha.

    Aguardo resposta,
    Renata

  11. Tenho interesse em fazer o passeio dormindo um dia em Marajó. Como devo proceder? Vocês poderiam me informar o telefone para que eu entre em contato?

    Obrigada.

    Dayane

  12. Boa tarde, Estarei eu e minha minha esposa em Belém no período de 13 a 18 de abril de 2016, e estamos interessados neste passeio de bate e volta de um dia até Marajó. Qual o custo e qual o procedimento? Obrigado.Luiz São Paulo

  13. É possível ter mais informações dos passeios de barco na própria estação das Docas. Há uma agência de turismo localizada lá! O telefone é (91) 3218-7333.

  14. Na estação das docas so fala sobre a vale verde e os valores sao muito maiores do que esses descritos nos pacotes. Aguardo um contato exclusivo de voces para fazer reservas. Att. Paulo

Deixe uma resposta

O e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.