Início / Destinos / Londres, Inglaterra – Intercâmbio e dicas de turismo

Londres, Inglaterra – Intercâmbio e dicas de turismo

Após quase dois anos morando, trabalhando e estudando nos Estados Unidos, resolvei conhecer melhor a Europa. Escolhei Londres, na Inglaterra.

Atualmente moro em Praga, mas em Londres tive uma boa experiência e venho contar dicas para quem pretende viajar para fazer intercâmbio na Inglaterra.

Intercâmbio na Inglaterra

Após ser au pair nos EUA, lá fui eu morar em Londres…

A experiência de ser au pair me abriu as portas para o mundo e fez com que eu expandisse meus horizontes.

Depois de algum tempo, comecei à sentir que meus dias nos Estados Unidos estavam contados. Uma inquietação na alma, uma vontade de experimentar coisas novas, de conhecer culturas diferentes, de me aventurar mais, de seguir novos rumos. Me informei, pesquisei, criei polêmica e mergulhei de cabeça; lá fui eu, rumo à Inglaterra.

A Inglaterra é o berço do inglês, terra da rainha e do chá preto com leite – mistura estranha à princípio, mas viciante depois de alguns meses por lá! – e te espera com a pontualidade britânica de sempre. Uma ótima pedida para aqueles que querem uma especialização em sua área de estudo, unida a uma experiência completa.

Londres, algumas dicas para a primeira viagem

Londres é duas vezes capital, do Reino Unido* e da Inglaterra, não necessariamente nesta mesma ordem. Sim, Londres é de ferrar!

Uma das cidades mais caras do mundo, uma das cidades mais visitadas da Europa e certamente uma das maiores referência de metrópole do planeta.

A cidade figura também entre as mais populosas do Velho Mundo. 33 boroughs (bairros) compõem a cidade londrina, onde vivem aproximadamente 8 milhões de pessoas.

Vai pra lá pela primeira vez?

Leia a seguir nossa série Dicas de Londres, um guia prático de turismo em Londres, e descubra dicas para aproveitar o melhor da cidade me uma viagem econômica, você vai até querer morar em Londres.

Os londrinos e você também, morando lá ou apenas turistando, poderá chamá-la de Greater London. Quando for referir-se apenas à cidade, diga apenas the city ou square mile.

Londres sempre foi uma cidade cosmopolita, multi-cultural, vibrante e histórica. É uma das cidades que mais recebe turistas, viajantes e voos. A cidade faz páreo com Nova York, Madrid e Paris entre as mais visitadas do mundo.

*O Reino Unido é formado pela Inglaterra, País de Gales, Escócia, Irlanda do Norte e Ilhas do Canal.

Anote no moleskine de viagem!

Clima em Londres

A temperatura do clima londrino varia de temperado e precipitações leves e constantes durante o ano todo. Quero quiser que chove. Sim, como chove em Londres…

A temperatura média no inverno gira em torno de 5º C, com raros momentos de neve. Já o verão em Londres é animado, com a temperatura chegando a 32º C e claro, muita umidade.

Para quem não quer morar em Londres, apenas fazer uma viagem mochilão na Europa, a melhor época para viajar para a Inglaterra é de Maio, junho, Julho, Agosto e Setembro, meses em que o clima inglês fica agradável e os jardins, parques e praças de cores intensas e vivas.

A alta temporada em Londres vai de Julho a Agosto. A melhor época para quem quer baladas, shows, passeios ao ar livre, atrações turísticas, etc.

Já entre Novembro, Dezembro, Janeiro e Fevereiro, os dias são mais curtos e chuvosos e a vida na cidade não é tão legal assim…

Lugar para tirar uma foto em Londres

londres-rio-tamisia

nas margens do principal rio que banha Londres, o Rio Tâmisa | Foto: Wikipédia CC

Atrações em Londres: lugares mais visitados

– St. Paul’s Cathedral , com a Tower of London e a Tower Bridge bem ao lado da fronteira oficial que separa “the city” da Greater London;

– O Parlamento, o Palácio de Buckingham e a Abadia de Westminster

Além de muitos museus, como o British Museum, British Library, Tate Britain, National Gallery, London Zoo, o Museu de Cera Madame Tussaud´s e a Tate Modern.

Também valem a visita do turista que estiver em Londres, uma volta na gigante London Eye, as margens do rio Tâmisa, a casa do Primeiro Ministro na Downing Street e a Horse Guards Parade.

Para tirar uma onda vá até o Meridiano de Greenwich, no sul de Londres e conheça o Camden Town, mercado ao ar livre.

Camden-Lock-Market

Camden Lock Market, um dos mais famosos mercadões de rua de Londres | foto: rogersg

Fazer compras em Londres

Uma boa dica de loja para comprar roupas em Londres é a mega loja de departamento Harrods que fica em Knighstsbridge, um bairro de finos e endinheirados. Os preços são caros, mas vá lá ao entardecer, quando estiver anoitecendo. A iluminação da loja é algo fantástico. A loja fica em 87 – 135 Brompton Road.

Logo mais à frente, você caminha e encontra na Kings Road, o brechó mais chique de Londres, o Steinbeirg & Tolkien. Este brechó em Londres é bem legal.

Outros lojas boas para comprar roupas em Londres estão na Oxford Street, 458 e W1, a Marks & Spencer e a Selfridges, respectivamente. Ambas estão na vanguarda da moda londrina, sempre com muitas roupas e acessórios tendências e novidades.

A mobilidade urbana londrina

Andando em Londres: como utilizar o transporte público?

Londres conta com um dos maiores serviços de transporte público do mundo, mas mesmo o excelente sistema de transporte com ônibus, metro, e trens, torna-se pouco proporcionalmente a tantas pessoas que os utilizam.

O metrô londrino, popularmente chamado de “tube” é a base do transporte londrino e seus trens chegam a efetuar mais de 1 bilhão de jornadas por ano.

O mapa do metro de Londres é dos maiores da Europa, com 408 quilômetros e 275 estações. A cidade que é dividida em zonas, conta com linhas servem a área central e a maioria dos subúrbios ao Norte do Rio Tâmisa.

– Site do metro (tube) em Londres (site oficial em inglês)

Compre tíquetes – travelcards de um dia ou uma semana para as zonas 1 e 2, que concentram as principais atrações da cidade.

Os tradicionais ônibus de dois andares percorrem quase toda a cidade e oferecem uma ótima vista da cidade, apesar de o excesso de velocidade ser uma desvantagem.

Viagem econômica: conheça o “London Pass”

Para quem quer conhecer o máximo em pouco tempo, ou ainda economizar nos passeios, os passes londrinos são uma boa pedida!

O London Pass permite um, dois, três ou seis dias grátis nas entradas de mais de 50 atrações na cidade. Já o Great British Heritage Pass é outra opção exclusiva para estrangeiros que podem escolher entre 600 atrações inglesas.

London Walking Pass pode ser adquirido em qualquer estação de ônibus da cidade. Permite cinco caminhadas guiadas diferentes.

Aeroportos de Londres

Aeroporto Internacional de Heathrow é um dos principais aeroportos de Londres, porém a cidade conta com outros 4 grandes aeroportos – Gatwick, London City, Stansted e Luton).

O Aeroporto de London City é bem pequeno e atende apenas voos e viagens de negócios.

Já o Aeroporto de Stansted e o Aeroporto de Luton atendem a maioria dos voos promocionais de curtas distâncias na Inglaterra.

Vai para Paris? Leia a série Paris Além do Óbvio

É preciso solicitar o visto para morar na Inglaterra?

Para se chegar na Inglaterra, é preciso primeiramente decidir o que irá fazer, para que o visto certo possa ser solicitado.

A exemplo da maioria dos países europeus, não exige-se visto prévio para a entrada no país para visitas de turismo, entretanto é feita uma checagem no desembarque, muitas perguntas são feitas e a permissão de entrada é concedida no próprio balcão de chegada, pelo agente da imigração.

Caso deseje passar alguns meses por lá, recomendamos solicitar o visto ainda no Brasil – porque como já dizia o ditado, o seguro morreu de velho!

Usando o transporte publico em Londres

Londres possui o transporte público mais caro da Europa. O metrô (também chamado de Underground ou simplesmente Tube) cobra seguindo um sistema que divide a grande Londres em seis zonas, e quanto mais distante do centro, mais cara a passagem.

A maioria dos usuários utiliza o Oyster Card, um cartão permanente recarregável.

O site do metro de Londres ajuda a planejar sua viagem, e mantem informações atualizadas sobre a situação de todas as linhas. Aqui você encontra um mapa do metro de Londres, com suas estacoes e conexões.

Libra Esterlina – A moeda britânica está baseada no sistema decimal; cada libra esterlina tem cem pence.

Como é o tempo em Londres?

O tempo… Para muitos, a Inglaterra é um país molhado, cinza, sem cor, onde chove o tempo todo. Mas não é bem assim. Não chove o tempo todo, mas sim, chove muito e não importa a estação, o que torna o guarda-chuva um acessório indispensável!

Mas também existem lugares lindos para serem visitados, com chuva ou não! São dezenas de parques no meio da cidade, centenas de atrações gratuitas, assim como muitos mercados de rua que por si só já valem o passeio!

Como solicitar o visto para o Reino Unido

Antes de mais nada, é preciso saber se você realmente precisa solicitar o visto ou não.

A Agência de Fronteiras do Reino Unido, a Embaixada Britânica e os Consulados Gerais no Brasil trabalham em parceria com uma organização comercial exclusiva, a WorldBridge Service (localizada no Rio de Janeiro), onde você poderá descobrir se realmente necessita do visto e como iniciar o processo.

Vale lembrar que este é o parceiro oficial, porem nada tem a ver com o processo de decisão na obtenção do visto para a Inglaterra.

Desejo estudar na Inglaterra. Preciso de visto?

Para aqueles que desejam estudar na Inglaterra por um período inferior à 6 meses não é exigido solicitar o visto no Brasil, porém neste caso você fica proibido de exercer qualquer trabalho remunerado, mesmo que somente algumas horas na semana.

Caso você queira estudar por um período superior à 6 meses, é necessário um pré-visto, o que ainda lhe permitirá trabalhar legalmente por 20 horas semanais.
A solicitação do visto de estudante para a Inglaterra pode ser feita online, acessando o site oficial do Governo Britânico, Visto para entrar no Reino Unido.

Antes de iniciar o preenchimento, tenha em mãos passaporte, endereço onde ficará hospedado na Inglaterra, itinerário e seu endereço de e-mail.

Atenção com as informações! Seu application corre o risco de ser recusado e você proibido de entrar no país por 10 anos se os documentos usados forem falsos.

Documentos para conseguir visto de estudante

Dois pontos muito importantes para que seu visto de estudante não seja recusado são: ter um documento provando que você esta registrado e aprovado em um curso na Inglaterra (este documento você normalmente ira receber da escola onde pretende estudar, apos efetuar o pagamento do curso), e ter comprovação de renda, ou seja, dinheiro suficiente para se manter no pais sem precisar trabalhar para se sustentar. Aqui vale comprovação de renda dos seus pais, caso os mesmos estejam lhe ajudando.

Certos países são considerados “aplicantes de baixo risco”, ou seja, o Governo Britânico não exige muitas comprovações ou documentos, o que infelizmente não é o caso do Brasil.

Junto com os documentos, você precisara também fornecer duas fotos coloridas no tamanho 45mm x 35mm, de fundo branco ou creme, sem óculos, chapéu ou qualquer outro objeto que lhe cubra o rosto.

Como solicitar o visto de estudante? Guia passo a passo

  1. Você precisa solicitar o visto com no mínimo 3 meses de antecedência da data que pretende chegar ao Reino Unido. O Governo Britânico recomenda não comprar passagens antes de ter seu visto aprovado;
  2. Antes de dar entrada no visto, tenha todos os documentos exigidos, e pague a taxa de solicitação de visto. Recomendamos acessar o site da WorldBridge (somente em inglês) no Brasil para obter mais informações;
  3. Você ira precisar visitar uma das unidades da empresa em Brasília, São Paulo ou Rio de Janeiro para deixar suas informações biométricas, ou seja, impressões digitais e fotos de acordo com o padrão exigido.

Quanto custa o visto de estudante para a Inglaterra?

O valor é de cerca de £300 (valor em moeda britânica), e esta taxa não é reembolsável caso você mude de ideia e desista de solicitar o visto. A taxa de solicitação de visto pode ser paga online, com cartões de credito ou debito Visa e/ou Mastercard.

Vale ressaltar que todos os documentos devem ser enviados de uma vez, formando seu application, e que na maioria das vezes o visto é concedido (ou não), baseado nos documentos fornecidos, sem a necessidade de uma entrevista pessoal.

O tempo de espera entre a entrega dos documentos e a aprovação do visto varia de 3 a 12 semanas, mas segundo a WorldBridge, 90% dos aplicantes recebem uma notificação logo após 3 semanas. Para informações mais completas, por favor consulte o site oficial UK Visas e o próprio site da WorldBridge (ambos em inglês).

A vida na Europa. Como morar na Inglaterra?

Continuando os relatos de quem larga tudo no Brasil para se aventurar no mundo, abaixo mais algumas considerações e dicas para quem pretende ir morar na Europa.

No artigo a seguir, Sani relata um pouco mais sobre como é viver e estudar em Londres. Conheça como funciona o sistema de saúde, o que levar na mala e outras dicas.

Indo morar em Londres…

Vira e mexe alguém me pergunta sobre como é morar em Londres, e achei melhor escrever um artigo sobre meus primeiros dias em Londres.

Sai da República Tcheca para poder estudar Counselling (Pós Graduação em Psicologia) em Londres, e por lá fiquei por um ano, mas nem tudo foram apenas flores. Escrevi o seguinte em meu diário de viagem:

“Doze dias em Londres. Depois de passar os primeiros dias na casa de uma amiga que mora em uma república com outras três pessoas, me mudei. Sem passaporte Europeu para facilitar a vida, vou me virando como dá. Cuidar de criança novamente parece ser, se não a melhor opção, a mais fácil a curto prazo.

Charles Bridge

Na Charles Bridge, Londres

Tento focar em aprimorar o inglês, ao menos para me dar forças para continuar. Ainda não tenho TV no meu quarto e a Internet não funciona. Um tédio total. Me resta a leitura e a escrita, que eu adoro e não reclamo, mas até isso se torna entediante quando única opção. Não fiz muita coisa na semana que passou. O máximo que consegui fazer foi caminhar pelo centro de Haringey, onde estou.

Hoje acordei mais cedo do que gostaria. Por ser sábado, decidi enrolar um pouco mais na cama até que o despertador tocasse às 8:30, mas a dor incômoda no pescoço, aliada à minha mente hiperativa, não me permitiram concentrar. Abri a janela para um sábado que aparentemente prometia ser de tempo esquisito, e auto massageando o pescoço, me arrastei para debaixo do chuveiro.

Depois de três dias, finalmente me rendi aos apelos silenciosos do shampoo e condicionador – preguiça mata! – e por crédito do final de semana, decidi colocar um pouco de maquiagem. Por conta do tempo incerto, casaco e guarda-chuva foram comigo à tira-colo.

Decidi visitar Notting Hill e o mercado de rua na Portobello Road. Dividido por áreas, o mesmo começa com lojas e barracas oferecendo antiguidades e todo tipo de quinquilharia relacionada. Conforme fui descendo, barracas de roupas, frutas e comida foram aparecendo. Quase no fim, tendas de novos estilistas, com preços relativamente modestos para Londres – a cidade mais cara do mundo!

Andei, andei, andei… fucei, toquei, mas não comprei. Gastei pouco, apenas para almoçar, e melhor teria sido se tivesse optado por uma fruta, pois a carne de caranguejo frita na hora, tão apetitosa na mão dos outros, provou-se um veneno para o meu estômago, que reclamou dos maus tratos por horas à fio.

Quando cansei da feira, fui caminhar pelo Kensington Garden, localizado bem à frente. O sol não brilhava no céu, mas o parque era bonito do mesmo jeito. Sentei por alguns minutos para ler meu livro de frente para o lago, repleto de aves.

Do outro lado da rua, outro parque, o Hyde Park, muito maior, onde pessoas patinavam, casais caminhavam de mãos dadas, levavam o cachorro para passear ou simplesmente relaxavam no gramado na companhia de amigos ou de um livro. Me senti sozinha. Mais uma vez, como já se tornou costume para mim desde que cheguei. Senti uma saudade imensa de pessoas que deixei para trás. Tentei chorar, em vão…”

Você também pensa em morar em Londres? Prepare-se! Quer estudar no exterior, viver outras experiências e aperfeiçoar seu inglês mas não sabe por onde começar? Comece lendo as dicas para intercâmbio em Londres.

Como arrumar as malas para Londres

Confira as dicas essenciais sobre o que levar e o que deixar de fora na hora de arrumar as malas para Londres.

Leve na mala:

  • Roupas em tons de preto, cinza, marrom, cáqui e branco, tons fáceis de combinar;
  • Peças leves e coloridas para renovar o visual, como coletes, camisetas, lenços, cintos e gravatas;
  • Shampoo, cremes e perfumes em frascos pequenos;
  • Um par de sapatos confortável ou tênis para caminhadas; e
  • Leve uma calça preta, sapato preto e camisa social branca e preta de manga comprida e curta, caso consiga um emprego como garçom/garçonete logo de cara.

Deixe em casa:

  • Um segundo casaco. Por mais frio que esteja, você só conseguirá usar um de cada vez;
  • Um terceiro par de sapatos. Um par esportivo e um social, em cores básicas, são suficientes;
  • Roupas extravagantes. Esqueça as que só combinem com elas mesmas;
  • Livros e guias muito pesados. Leve só o que realmente for precisar.

Alguns itens indispensáveis:

  • Leve um guarda chuva ou compre um assim que chegar. Em Londres você deverá ter dois melhores amigos – o guarda chuva e um mapa da cidade (ou pelo menos um mapa do metrô);
  • Leve o que achar necessário de roupas, mas saiba que nenhuma roupa de frio do Brasil é suficiente para o inverno de Londres;
  • Leve um casaco para o desembarque, e talvez para o primeiro dia, mas saiba irá precisar comprar um casaco de inverno. Os preços são bem razoáveis, você consegue comprar casacos para aguentar o inverno de Londres a partir de £10;
  • O verão da Inglaterra pode ser tão quente quanto o do Brasil, mas de um jeito bem diferente – o clima é muito úmido e muda o tempo todo. Um dia está super quente e no dia seguinte está muito frio, por isso sempre tenha um agasalho à mão!
  • Você não precisa levar remédios, pois é muito fácil comprá-los por lá. Caso queira levar remédios do Brasil, os mesmos deverão estar acompanhados das devidas receitas médicas. Remédios para dor de cabeça, dor de estômago etc. não precisam de receita, mas evite levar em grandes quantidades;
  • Se você usa lentes de contato ou óculos, leve do Brasil, pois lá custa muito mais caro;
  • Leve roupas de cama e banho, mas chegando lá você provavelmente irá comprar um duvet, um edredon bem grosso;
  • A voltagem da Inglaterra é de 220 W e o plug da tomada é bem diferente, você pode comprar um adaptador no aeroporto ou esperar até chegar no seu destino e pagar bem mais barato em qualquer supermercado;
  • Não leve aparelhos eletrônicos que sejam apenas voltagem 110 W.

O que fazer em Londres

Para quem acha que Londres é a capital da Europa ou o centro do mundo, as atrações abaixo compõem uma breve lista de passeios e atrações para conhecer na cidade da rainha. É o mínimo para conhecer, visitar e fotografar esta magnífica cidade europeia.

Roteiro com atrações turísticas

Quantos dias ficar em Londres?  A dica do roteiro é ficar 7 dias na cidade. 

Acredito que Londres faz parte de um seleto grupo de cidades que precisam de uma semana para o viajante de mochilão na Europa conhecer bem.

Agora, independentemente de quantos dias fique na cidade, você terá sempre muita coisa para ver e fazer. A pergunta “o que fazer em Londres?” tem novas respostas o tempo todo, mas sempre existirão as clássicas construções e edifícios para visitar.

Como toda metrópole, Londres oferece uma infinidade de atrações para todas as idades, gostos e bolsos. 

Turismo em Londres

Conheça atrações imperdíveis para organizar o seu roteiro pela capital londrina.

British Airways London Eye

British Airways London Eye

A imensa roda gigante é boa para tirar fotos, namorar, ver pontos turísticos.. | Foto: gluemoon

O London Eye é um monumento com 135 metros de altura, e é o maior ponto de observação do mundo. Também conhecida como Millennium Wheel (Roda do Milênio), é um tipo de “roda-gigante de observação”. Foi inaugurada no ano de 1999 e é um dos pontos turísticos mais disputados da cidade. Atualmente recebe o título de segunda maior roda-gigante do mundo.

A dica é marcar um voo de meia hora para poder visualizar 40 quilômetros panorâmicos num dia de céu claro.

A melhor época é Julho e Agosto. A vista é espetacular e é possível avistar muitos pontos turísticos de Londres, como o Big Ben e o Palácio de Buckingham.

Outra dica é subir lá para ver o pôr-do-sol. É um dos lugares mais bonitos para ver o pôr-do-sol em Londres em um dia de verão.

st-paul-catedral

foto: xlibber

Catedral de Saint Paul

O charme e glamour da Catedral de Saint Paul — uma das principais em Londres, atrai visitantes durante o ano todo.

Um dos casamentos mais famosos da monarquia britânica, o da Princesa Diana com o Príncipe Charles ocorreu lá…

Tower Bridge

A magnífica Tower Bridge é a “ponte de Londres” — chega a ser levantada 900 vezes ao ano para deixar que embarcações mais altas atravessem o Rio Tâmisa.

Dentro da “ponte de Londres” há exposições que detalham a riqueza da arquitetura e do patrimônio cultural londrino.

Conhecida em português como Ponte da Torre, é uma ponte-báscula construída sobre o rio Tâmisa, na cidade de Londres. Foi inaugurada em 1894, e atualmente é um dos pontos turísticos mais visitados da cidade, além de ser conhecida como uma das pontes mais famosas do mundo.

London Tower

O impressionante monumento London Tower já foi fortaleza, prisão e palácio.

As principais atrações são The Bloody Tower, Traitors’ Gate, the Beefeaters, Chapel of St. John, the Crown Jewels, the Fusiler´s Museum e o restaurado Medieval Palace.

O Parlamento e o Big Ben

O Palácio de Westminster tem sido o lugar das casas do Parlamento desde 1265. Também conhecido como Casas do Parlamento (em inglês Houses of Parliament), é o palácio londrino onde estão instaladas as duas Câmaras do Parlamento do Reino Unido

A torre de relógio mais famosa do mundo está ali.

Ao contrário do que muitos pensam, não é o famoso relógio do Parlamento Inglês, nem tampouco sua torre. É o nome do sino, que pesa 13 toneladas que foi instalado no Palácio de Westminster durante a gestão de Sir Benjamin Hall, ministro de Obras Públicas da Inglaterra, em 1859.

Troca da guarda real em Londres

 O Palácio de Buckingham

Esta é a residência oficial da Monarquia Britânica em Londres, Inglaterra. Somado ao facto de ser a residência onde a Rainha Isabel II mora, o Palácio de Buckingham é o local de entretenimento real, base de todas as visitas oficiais de chefes de estado ao Reino Unido, e uma grande atração turística.

A casa da família real inglesa foi construída no início dos anos 1700 e reformada na década XVIII, quando se tornou o grande palácio real da Rainha Victoria.

É possível visitar a Queen Gallery e o The Royal Mews, onde estão expostas os carros e carruagens usados pela rainha.

A troca da guarda real acontece diariamente às 11h30 da manhã na frente do palácio. O melhor visual é garantido em frente ao Memorial Victoria.

 

O Castelo de Windsor

A outra residência oficial da Rainha Elizabeth II fica a menos de uma hora do centro londrino. É o castelo mais antigo dentre os ocupados pela monarquia britânica.

Como chegar no Castelo de Windsor? Para se chegar lá, há trens saindo de Londres para Waterloo e o castelo abre diariamente para visitas guiadas.

A Abadia de Westminster

Abadia-Westminster

foto: Trodel

Consagrado em 1065, a magnífica catedral gótica na Praça do Parlamento é palco de coroações e funerais de monarcas e membros da realeza, incluindo a coroação do Príncipe William e da Rainha Elizabeth II.

O local ficou ainda mais famoso após ser citado no livro O Código da Vinci.

British Museum

O museu tem o maior acervo de arte antiga, com obras egípcias, asiáticas, africanas, romanas e gregas.

British Library

Fã dos Beatles? Que tal observer algumas letras escritas à mão por Lennon e McCartney em guardanapos de papel e envelopes?

Há ainda os primeiros textos de Shakespeare… A entrada é franca. Portanto, aproveite!

tate-modern-museumMuseu Tate Modern

Aproveite o melhor da arte contemporânea nessa incrível galeria e sem pagar uma só libra!

O acervo permanente da Tate possui entrada gratuita. Somente as exposições temporárias são cobradas, e mesmo assim é sempre baratinho.

De qualquer forma, a boa dica é investir 2 libras para ter acesso a um fone individual que fornece explicações sobre as melhores obras.

Tente coincidir sua ida com a noite Late at Tate Britain (geralmente na primeira sexta-feira do mês). Há também espetáculos de música, dança e exibições especiais.

Galeria Nacional

A galeria reúne um dos maiores acervos da pintura mundial em sua coleção permanente. Há obras de Monet, da Vinci, Van Gogh, Michelangelo, Goya e muitos outros.

Destaque para a coleção de Rembrandt. O ano de 2006 marca os 400 anos da data de nascimento do pintor alemão e é possível conferir um especial somente com suas obras.

Museu de Cera Madame Tussaud´s

Perca-se entre as esculturas em cera de seus ídolos e muitas celebridades. É possível conferir um elenco de clássicos no Premiere Night, entre outras celebridades e outros “nem tão famosos assim”.

Este é o famoso museu de figuras de cera e possui a maior coleção de figuras de celebridades. A sede principal do museu está em Londres, mas também existem estabelecimentos em Paris, Nova York, Hong Kong, Las Vegas e Amsterdam

London Zoo

Um dos zoológicos com maior conservação de espécies do mundo.

Mercado de Rua Camden Lock

Camden-Lock-MarketVocê verá transeuntes das mais diversas nacionalidades e estilos. Há de tudo por ali. Reserve uma manhã e vá às compras e pechinchas em Londres! Entregue-se às ruas do mercado livre de Camden Lock.

Roupas de brechó, música, miniraves, barracas, lojinhas, dj´s….

Acontece na Buck Street NW1, Metrô Camden Town.

Passeio de barco pelo Rio Tâmisa

Cansou de andar a pé pela capital inglesa? Que tal um passeio de barco pelo Rio Tâmisa?

rio-tamisa-londres

Barcos atracados no rio Tamisa. | foto: Aires Almeida

Uma infinidade de passeios, atrações e tabelas de preços podem ser encontradas nas principais estações dos piers ao longo do rio.

Para quem está viajando a dois é um ótimo momento para namorar e falar sobre as descobertas da viagem saboreando o jantar a bordo. Já os amantes de fotografia ganham ângulos diferentes para registrar os principais pontos turísticos e atrações da cidade.

Parques em Londres

Uma das coisas de quem mora em Londres sabe é que caminhar e correr nos parques da cidade é quase que uma obrigação.

O tempo frio e chato deixa a gente sem ânimo de nada, e caminhar ou simplesmente ir ao parque para ler um livro, caminhar, correr, enfim dar uma volta em um parque, dos muitos que embelezam Londres.

Parques em Londres

  1. Regent´s Park
  2. Richmond Park
  3. Hyde Park
  4. Kensington Gardens
  5. Green Park
  6. Bushy Park
  7. St. James’s Park
  8. Greenwich Park

 7 bairros londrinos para conhecer

A cidade de Londres tem 33 bairros (boroughs). Você não precisa conhecer todos, mas há alguns que não podem escapar do seu roteiro em Londres.

Caminhar utilizando o metrô pode ser uma boa forma de conhecer os principais bairros de Londres em 1, 2 ou 3 dias. Neste post, elencamos os melhores bairros de Londres, além do centro londrino.

Bairros de Londres

O melhor de cada bairro de Londres

1 – Greenwich

Entenda como um momento histórico. Você estará literalmente no meridiano que divide o planeta. Portanto, no Meridiano de Greenwich não perca tempo e fique com um pé no Leste e outro no Oeste do globo.

Acerte seu relógio pela “bola do tempo” e confira as notícias de todas as partes do mundo divulgadas por um painel eletrônico.

Uma dica de passeio por ali é visitar o National Maritime Museum. Duas embarcações são imperdíveis – The Cutty Sark, utilizada para o transporte de chá datada do século XIX; e o Gipsy Moth, embarcação símbolo da herança marítima britânica.

O clima agradável do borough (bairro) é despojado. Quer caminhar? Este é um dos lugares mais incríveis em Londres para tal feito. Incansáveis se perdem meio a barracas de artesanato, antiguidades, discos, livros e roupas antigas.

Onde comer? É possível almoçar em algum dos diversos pub´s na beira do Rio Tâmisa. Fique lá até o entardecer e já aproveite a noite com shows de rock, blues ou jazz.

2 – Notting Hill

Especialmente após o filme com a Julia Roberts, o borough ganhou ares ainda mais cool. É um lugar nada comum, repleto de lugares para comer bem, lojas da moda e pubs para se divertir nas noites londrinas.

Reserve um sábado para conhecer o bairro. Neste dia, acontece a maior feira de antiguidades da Europa com centenas de comerciantes.

Se estiver na época do Carnaval, participe do Notting Hill Carnival, um festival multicultural que ganhou fama mundial e atrai milhares de visitantes. Trajes exóticos são recomendadíssimos!

3 – Wimbledon

Famoso por sediar o campeonato anual de tênis, o bairro é uma boa pedida para se visitar em qualquer época do ano. Por isso mesmo, uma parada obrigatória no bairro é no Wimbledon Lawn Tennis Museum. Fãs do esporte podem conhecer a história do torneio, ver os troféus e passar pelo legendário Centre Court, local onde acontecem as partidas.

Distante apenas 10 minutos do centro de Londres e no topo da colina de mesmo nome, mais parece uma vila cercada de muito verde. Por suas ruas é possível encontrar uma seleção de lojas, bares, restaurantes, cafés, boutiques e negócios de primeira classe.

4 – Richmond

O Rio Tâmisa, banha Londres e corta o distrito por 33 quilômetros, que vão do Hampton Court Palace, de Henrique VIII, ao centro de Londres.

O local tem belos parques, casas históricas e atrai visitantes de várias partes. O Estádio e o Museu de Twickenham, sede da equipe inglesa campeã de rugby, estão abertos para visita.

Como chegar? A melhor maneira de chegar a Richmond é pelos serviços de barco que funcionam no verão a partir do Westminster Pier.

– 17 dicas de turismo em Londres

5 – South Bank

Reserve um dia da sua viagem à Londres para caminhar incansavelmente por este belo e importante borough londrino. 

Localizado na Margem Sul do Rio Tâmisa, conta com diversas atrações londrinas incluindo a galeria Tate Modern e a roda-gigante London Eye.

A partir de Waterloo temos uma das partes mais vivas de Londres. Ali amantes da arte podem apreciar as obras de renomados como Dali, Moore, Picasso, Dali, Warhol ou conferir os mais controversos na galeria Saatchi, como Damien Hirst e Tracy Emin.

A dica para a viagem é caminhar pelas margens do Tâmisa e ir conhecendo grandes edifícios e atrações turísticas e históricas de Londres – National Theatre, Royal Festival Hall, Shakespeare´s Globe, Southwark Cathedral... Lugares não faltam!

6 – The West End

Este é o bairro para as mulheres e amantes da moda. Ali, estão a Oxford Street, a Regent Street e a Bond Street, as lojas de departamento importantes como Selfridges e Marks & Spencer, além do melhor da moda britânica com Stella McCartney e Burberry.

No coração do bairro está a Trafalgar Square e há alguns minutinhos dali já é Soho, o centro de entretenimento da cidade, com pubs, clubs e restaurantes.

Esta é uma praça no centro de Londres que celebra a Batalha de Trafalgar (1805), uma vitória da Marinha Real Britânica nas Guerras Napoleónicas. A praça tem em seu centro um monumento em cujo topo está colocada uma estátua do almirante Nelson, vencedor da batalha de Trafalgar

Os londrinos costumam relaxar nos espaços verdes do Hyde Park e de Kensington Gardens.

Neste último fica o Palácio de Kensington, uma residência real. A Família Real Britânica o utiliza desde o século XVII. Atualmente, é a residência oficial de Zara Philips, do Duque e da Duquesa de Gloucester, do Duque e da Duquesa de Kent; e do Príncipe e da Princesa Michael de Kent

Os hotéis renomados estão ao longo de Park Lane e a beira de Mayfair, os mais modestos estão em torno de Victoria, um dos principais terminais ferroviários da cidade. Em Victoria fica a residência da Rainha Elizabeth, o Palácio de Buckingham.

– Pesquise opções de hotéis em Londres e reserve pelo Booking

7 – Kew

Os jardins deste bucólico bairro são dominados pelo The Palm House. Uma bela estrutura de vidro e ferro que contém a recriação de uma floresta tropical.

Quando começar a cansar do agito da cidade, vá até lá e aprecie as belezas deste cantinho de Londres. Aproveite e tire fotos em frente aos palácios – Queen Charlottes´s Cottage e Kew Palace.

Compras e passeios nos mercados de rua de Londres

Fazer compras em Londres requer muita disposição. Há tantas opções de lojas de rua e mercados que o viajante desinformado pode acabar se perdendo e não aproveitar as inúmeras oportunidades que a cidade oferece.

Para ajudar, selecionamos 6 mercados em Londres perfeitos para passear, fazer turismo, comer bem e barato, além de achar ótimas roupas diferentes, artesanatos e artigos de decoração exclusivos.

Os melhores mercados de Londres

Não há nada como passar a manhã de domingo num mercado de rua em Londres à procura daquele objeto ou peça de roupa descolada. Há opções para todos os gostos, e um passeio completo por Londres sem gastar quase nada!

O legal dos mercados de rua de Londres é que todos oferecem inúmeras opções de artigos, de discos de vinil e livros usados, quinquilharias, antiguidades, roupas alternativas de novos estilistas, até brechós com “super achados” vintage.

Compras em Londres

Camden Lock Market (A) – lojas de rua

Camden-Lock-Market

Camden Lock Market, um dos mais famosos mercadões de rua de Londres | foto: rogersg

Este mercado de rua começou a funcionar em 1975, e hoje atrai cerca de 150 mil visitantes por semana.

O Camden Lock Market tem uma mistura de lojas em shoppings e ao ar livre e você encontra várias lojas de roupas, móveis, decoração, livros, discos de musica alternativa, incluindo centenas de produtos feitos à mão; alguns produtos são de segunda mão ou antiguidades do século 20. Se você está à procura de algo incomum, este é o lugar.

O mercado funciona principalmente aos finais de semana, mas muitas lojas estão abertas sete dias por semana, das 10:00 as 18:00.

O mercado fica em North-West London (zona 2) e os metros mais próximos são Camden Town e Chalk Farm. Também é possível chegar ao Camden Lock Market de ônibus (os ônibus 24, 27, 29, 31, 134, 135, 168, 214, 253, 274, e C2 passam por lá).

Covent Garden Market (B)

Covent-Garden-Market

É possível encontrar muitas frutas fresquinhas neste cantinho de Londres | foto: phrawr

Esta é uma área pitoresca de Londres, que inclui grande variedade de frutas e verduras. O local é repleto de lojas, e é também um centro de diversões com artistas atuando na rua. Além disso, é o portal de entrada para a Casa de Ópera Real (Royal Opera House).

Caminhar é definitivamente a melhor forma de conhecer a região. Para chegar ao mercado, a estação de metro mais próxima é a Covent Garden (linha Piccadilly), mas também é possível descer nas estações Leicester, Charing Cross ou Embankment, que ficam a uma rápida caminhada do local e são menos movimentadas. A linha RV1 de ônibus também passa pelo mercado.

Portobello Road Market (C) – melhor lugar

Portobello-Road-Market

Caminhar pelos arredores deste grande mercado de rua é sempre uma aventura | foto: garryknight

Este colorido e aparentemente interminável mercado ficou famoso no filme Notting Hill, e é hoje um dos mais famosos mercados de rua do mundo!

É um destino muito popular tanto para ingleses quanto para turistas, e oferece desde antiguidades genuínas a frutas e vegetais, roupas fantásticas, jóias e artigos para o lar.

O Portobello Road Market acontece aos sábados, mas durante a semana também há coisas interessantes acontecendo por ali.

As lojas de rua abrem seis dias por semana, enquanto é possível visitar o mercado somente aos sábados.

A rua Portobello (ou Portobello Road) fica ha 3Km da estação de metro Marble Arch para quem gosta de aproveitar para caminhar, mas também é possível chegar lá descendo nas estações Ladbroke Grove (linha Hammersmith & City) ou Notting Hill Gate (linhas Central, Central e District). Os ônibus 7,12, 23, 27, 28, 31, 52, 70, 94, 328 e 452 também passam por lá.

Greenwich Market (D) – muitas lojas

greenwich-market

Uma ótima ideia de passeio aos finais de semana em Londres | foto: garryknight

O mercado de Greenwich funciona desde 1700 e é um dos locais mais populares para visitar aos fins de semana.

O turista que passeia pelo Greenwich Market tem à sua disposição não um, mas três mercados cobertos para explorar: às quintas-feiras há antiguidades; às sextas, um pouco de tudo e muita roupa usada; e aos fins de semana, peças de arte e artesanato.

Greenwich é um subúrbio de Londres, e para chegar ao mercado é preciso pegar o trem, ou o DLR. Os stands funcionam de terça-feira a domingo, das 10:00 as 17:30.

Borough Market (E) – bom lugar

Borough-Market

lindo mercado de rua em Londres | foto: aguichard

Os chefs mais famosos dizem maravilhas do Borough Market, que oferece uma esplêndida seleção de alimentos incluindo frutas, legumes, carnes, peixes, cervejas, cidras e vinhos.

O mercado abre somente às sextas-feiras e aos sábados, mas se puder visitá-lo, não perca a chance. São muitas opções de barracas e restaurantes. A culinária oferecida é uma delícia! O mercado possui fácil acesso de metro, na estação London Bridge.

Spitalfield Market (F) – muitas lojas

Spitalfield-Market

Um dos meus mercados favoritos em Londres | foto: herry

No Spitafields vende-se de tudo, desde almofadas até jóias artesanais e outros produtos feitos à mão. É um dos meus favoritos! O mercado é coberto de spitalfields, no florido bairro de East End em Londres. O local está rodeado de restaurantes, cafés e lojas retrô.

O Spitafields Market às sextas-feiras dedica-se exclusivamente à moda, é uma oportunidade única para comprar roupas exclusivas e baratas diretamente dos designers mais jovens e criativos de Londres.

O mercado fica aberto de terça-feira a sexta-feira das 10:00 as 16:00, e aos domingos das 9:00 as 17:00.

Onde comer em Londres

Para quem acompanhou os últimos relatos e dicas de viagem à Londres, no Reino Unido, reservamos um espaço para falar também da culinária na Inglaterra.

O país não tem tradição em uma comida muito saudável – come-se muita gordura e poucas frutas, minerais e cereais. Mas como Londres é uma cidade cosmopolita, uma das maiores surpresas que lhe esperam no Reino Unido é a gastronomia.

Quando estiver viajando em Londres você deve experimentar o Full English Breakfast, um café da manhã completo com muito bacon e ovos, e queimar toda essa gordura tomando o chá das 5.

Restaurantes em Londres

A culinária britânica

tea-at-five-london

O “tea at five” é tradição para os londrinos e diversão para os turistas | Foto: biker_jun

Em Londres, há restaurantes servindo comida dos quatro cantos do mundo, excelentes pubs de todos os tipos, confortáveis com menus tradicionais, até templos sofisticados da nova cozinha.

A culinária britânica, embora muito criticada é, pelo menos, bastante interessante. Os ingleses nunca foram sinônimo de boa gastronomia, pelo menos até o boom da culinária britânica na TV. Chefs ingleses, como Jamie Oliver e Gordon Ramsay, superaram a má fama do país e viraram estrelas de diversos programas mundo afora.

O café da manhã inglês já é por si só uma refeição completa, e absolutamente pesado para muitos. O famoso Full English Breakfast é composto por bacon, linguiça, ovos, tomate e cogumelo fritos, feijão com molho de tomate e uma torrada crocante para acompanhar.

Em algumas regiões, é servido junto black pudding, que é uma mistura de sangue e gordura de porco frita! E para acompanhar tudo isso, chá com leite!!!!!

Este é um café da manhã típico, não é comido todos os dias e sim mais aos finais de semana, quando as famílias se reúnem e saem para o brunch, que é a refeição do café da manhã já quase na hora do almoço.

Pratos tradicionais

cornish-pastry-comer-em-londres

cornish pastry, a empanada que é uma delícia a qualquer hora! | Foto: Gareth Rogers

Entre os pratos tradicionais ingleses estão o famoso Fish & Chips (peixe e batata frita), uma iguaria pesada e gordurosa, mas maravilhosa e tentadora na hora daquela fome depois de um dia inteiro rodando pela cidade fazendo turismo.

Outros pratos mais conhecidos da cozinha inglesa são o rosbife, o cornish pastry (empanada de carne com cebola e batata), grilled chops (costeletas na grelha) e short breads (biscoito usado no chá das cinco).

Uma das especialidades favoritas são os deliciosos scones (pãezinhos doces) com geleia de morango e creme (esqueçam a palavra dieta!). Os scones fazem parte do bom e famoso cházinho da tarde que é uma tradição inglesa, mas que praticamente vale a qualquer hora.

Onde comer em Londres?

Conhecida por sua alta densidade demográfica e grande variedade de pessoas que ali vivem, a grande cidade de Londres, para a sorte dos habitantes locais, é também uma das mais conhecidas capitais gastronômicas do mundo.

Em Londres é possível comer bem e barato, mal e barato, bem e caro, mal e caro, até ficar sem comer! Há opções para todos os gostos e bolsos.

Restaurantes indianos, vegetarianos, comida chinesa, tailandesa, entre outras culinárias são encontrados em fartura pelas ruas e bairros de Londres.

bistro-i

Bistrô I | Foto: Ewan-M

Onde comer bem e barato?

O Bistrô I é um restaurante bom e barato, um verdadeiro “achado” na capital inglesa por preços.

Certamente um lugar onde comer bem e barato em Londres. O Bistrô I fica localizado na James Street 50, perto da estação de metrô Bond Street.

Há outras duas filiais na cidade, mas a da rua James é a mais charmosa, com mesinhas na calçada e próximo ao calçadão agitado da rua Christopher Place.

A especialidade é a cozinha mediterrânea. Com bebida e taxa de serviço você não gasta mais que 10 libras. Com certeza um dos melhores custo x benefício de Londres.

Brick Lane

Nesta rua você encontra os melhores restaurantes de comida indiana (foto). Para chegar pegue o metrô e vá até Aldgate East ou Shoredicht, as estações de metrô (tube) mais próximas.

Tooting

Ao sudoeste da cidade, economize em restaurantes indianos bons e baratos. Para chegar pegue a linha nordeste do metrô, zona 3 e desça na Tooting Bec, Tooting Broadway ou Balham.

Soho

O bairro reúne restaurantes de comida chinesa. Para chegar lá pegue o metrô e desça em algum das estações do bairro – Tottenham Court Road, Oxford Circus, Leicester Square e Picadilly Circus.

Brixton

Há opções de restaurantes com comida africana e caribenha. Para chegar lá basta ir até a Old Street ou Liverpool Street, as estações mais próximas. Ambas tem ligação com a linha do metrô.

Outros lugares com bons restaurantes estão localizados na Drummond Street, com opções de comida vegetariana; e a Kingsland Road (Shoreditch), com a culinária vietnamita.

Supermercados em Londres

Borough-Market

Lindo mercado de rua em Londres | foto: aguichard

Os supermercados Tesco costumam reservar uma prateleira com produtos prestes a perder a validade e que precisam ser consumidos no mesmo dia.

Sanduíches, tortas, bolos e outras iguarias ganham uma etiqueta amarela e têm o seu preço reduzido em até menos da metade. É só escolher o que vai querer, correr para um parque ou praça e preparar um piquenique bem ao estilo inglês.

Vale também dar uma conferida no Borough Market, no número 8 da Southwark St. SE1, perto da estação London Bridge. Um mercado de comidas onde é possível saborear deliciosos peixes, queijos e vinhos.

Post publicado em 2 de setembro de 2013. Atualizado em 31 de agosto de 2021 por Muita Viagem.

Sobre Sani

Mochileira e expatriada. Em 2004 deixou tudo para trás e aventurou-se no mundo atrás de respostas para suas tantas perguntas. Desde então, já morou em 4 países e roda o mundo com sua mochila suja, sem desgrudar da câmera fotográfica.

5 comentários

  1. Buscando no Google a resposta pra minha principal pergunta, cai aqui no seu blog.
    Gostaria de passar um período na Inglaterra levando junto 2 filhos pequenos e marido.
    Já moramos nos EUA e agora gostaríamos de ter uma experiência no velho mundo.
    O meu problema é que não estou encontrando nada que me ajude nessa empreitada. Não queremos trabalhar. Porém as crianças precisam ir pra escola, precisamos alugar casa e ter plano de saúde.
    Também não queremos estudar. Queremos apenas morar na Inglaterra com nossos filhos. Você saberia me dizer como eu poderia fazer isso? Obrigada.

  2. Não tenho ideia, mas se existir essa possibilidade, me conta que também quero. abs

  3. Sou engenheiro elétrico, tenho vontade de morar e trabalhar em Londres, ou cidades próximas . Alguém do blog pode me ajudar.
    Aguardo respostas.
    Grato.
    Claudemir.

  4. Bianca Nascimento

    Olá Vivian! Vendo seu comentário sei quem pode ajudar muito! É o Tiziano Borgonovo…ele é brasileiro mas tem uma agencia a Expand Languages justamente com sede na Inglaterra e está acostumado a levar famílias inteiras para morar em Londres ou Bournemouth, uma cidade mais econômica em UK! Com certeza ele vai poder ajudar em toda essa transição, as famílias que foram com ele amaram! O contato dele no Face é https://www.facebook.com/tiziano.borgonovo. E el atua com todos tipos de intercâmbio em Londres, e toda Europa!

  5. Vivian acho que voce esta depressiva. Sinceramente, procure ajuda, sorria, tente de alguma forma encontrar um sentido na sua estadia em Londres. Voce esta em outro pais, rodeada de pessoas de todo o mundo, aproveita querida!!! Joga essa bad pra la, ahaza, sou mais voce!!!

Deixe uma resposta

O e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.