Início / Destinos / New Orleans – O que fazer em Nola?
Nova Orleães é a cidade mais legal dos Estados Unidos

New Orleans – O que fazer em Nola?

Pense em uma cidade animada, um lugar onde o carnaval é uma das principais atrações turísticas, um destino onde a música é tão importante quanto qualquer outra atividade econômica…

Se você pensou em Salvador, Bahia, chegou perto, mas estamos falando de New Orleans, nos Estados Unidos.

New Orleans é uma cidade única. Tudo por conta dos mitos de cidade assombrada, berço do jazz norte-americano e influência francesa, africana e caribenha. Nola (apelido de New Orleans ou Nova Orleães), é vibrante nas ruas, bares, restaurantes, hotéis, praças. Em todos os cantos há música e alegria.

Casinhas coloridas no French Quarter

Casinhas coloridas no French Quarter

Quem vai à New Orleans, no estado de Louisiana, descobre na cidade uma mistura de ritmos, cores e sabores. É muito comum as pessoas de lá dizerem que são diferentes dos outros norte-americanos.

E realmente o são, muito por conta da colonização francesa e do espírito descolado da cidade.

É comum ver nas lojinhas de souvenir camisetas com a frase do dramaturgo norte-americano Tennessee Williams – “America has only three cities: New York, San Francisco, and New Orleans. Everywhere else is Cleveland.” Compramos uma.

Sim, a Big Easy (outro apelido de Nola), com a sua mistura de culturas, ritmos e alegria, é única e, sem dúvida, um dos melhores destinos dos EUA. E não apenas porque o Carnaval de New Orleans (Mardi Gras) é um dos maiores do mundo.

A cidade respira música e é totalmente descontraída. Para ficar mais fácil de entender, é como se você estivesse na Bahia e trocasse o Axé pelo Jazz, o capeta pelo hurricane e as fitinhas do Senhor do Bonfim pelos beads, um colar de bolinhas plasticas. Confira dicas de New Orleans a seguir.

New Orleans – dicas e roteiros em Nola

A Bourbon Street no French Quarter, em New Orleans

A Bourbon Street no French Quarter, em New Orleans

Há muitas coisas legais para se fazer em New Orleans, das quais destaco alguns bares e parques para ouvir as diferentes variedades e estilos de Jazz, restaurantes com frutos do mar, museus, festivais e festas populares.

Bourbon Street e o French Quarter

Um roteiro em Nola deve incluir um passeio pelo French Quarter.

O bairro é o mais movimentado da cidade e atrai turistas em busca dos inúmeros bares na Bourbon Street e arredores, casas antigas, prédios históricos e galerias de arte, tudo com muita cor e animação. Além é claro, performances de artistas de rua, que fazem a alegria dos transeuntes.

Jackson Square

aa

A Basílica de Saint Louis, o Rei da França, tem arquitetura renascentista

Comece o roteiro pelo French Quarter na Jackson Square, um dos principais pontos de interesse do bairro, e onde está localizada a famosa Catedral de Saint Louis. De lá, siga pela Chartres Street até a Ursulines Avenue observado os edifícios históricos e varandas floridas das casas.

Na região provavelmente você irá ouvir de alguns caras a exclamação “– I know where you got these shoes!”, tentando convencê-lo que sabe onde comprou seus sapatos. Mas, a menos que queira ter suas botinas lustradas e dar um trocado para os rapazes, não caia nessa. Se der conversa, ele vai começar a lustrá-los e finalizar com um “– You got these shoes in New Orleans”.

Edifícios históricos

No número 1113 da Chartres Street está localizada a antiga casa, construída em 1825, do poeta Francis Scott Keyes, onde hoje funciona um museu, com destaque para o jardim – Beauregard-Keyes, antro de silêncio e contemplação, ótimo para curtir um momento de paz em uma região tão agitada de Nola.

Já no número 500 da mesma rua, fica a Napoleon House. Construída em 1794, em 1814 foi ampliada para ser residência do conquistador após o exílio, porém o mesmo não chegou a se mudar para Nola. Morreu antes, em 1821.

Cornstalk Hotel

O

O hotel de luxo em New Orleans é também um ponto turístico no French Quarter

Vire à esquerda na Ursulines Avenue e continue a caminhada por mais uma quadra até chegar na Royal Street. No número 915 desta rua está localizado o bonito Cornstalk Hotel. Dada a boa localização e valor histórico as diárias são caras, mas vale a pena entrar para conhecer e tirar algumas fotos.

Saint Anthony’s Garden

Seguindo o roteiro pela Royal Street, caminhe até a esquina da Avenida Orleans, onde está o Saint Anthony’s Garden, um belíssimo jardim, atrás da Catedral de Sant Louis. Ali na frente costuma ter artistas expondo quadros e artesanatos.

Ao lado, a dica é entrar pela ruela Pirate’s Alley até o Cabildo, o antigo prédio do governo colonial de Louisiana onde hoje funciona um museu.

Contorne a alameda e volte à Saint Peter Street até chegar na Bourbon Street. Escolha um bar que lhe agrade e entre para experimentar um hurricane, espécie de “raspadinha” alcoólica feita com rum, famoso drink de New Orleans.

Jazz no French Quarter – New Orleans

Nesta região do bairro é comum ver bandas de Jazz tocando ao vivo por alguns trocados, além de bloquinhos de carnaval desfilando, a alegria de turistas.

A dica é sempre dar algumas moedas, especialmente se gosta de fazer fotos e videos, pois são estas pessoas que dão ainda mais vida ao French Quarter.

Musical Legends Park

O Musical Legends Park é um espaço agradável no meio do French Quarter, em New Orleans

Musical Legends Park, um espaço agradável no meio do French Quarter

No número 311 da Bourbon Street fica um dos principais pontos de interesse no French Quarter. Com estátuas de bronze em tamanho natural de lendas do Jazz, como Pete Fountain, Fats Domino e Allen Toussaint, a praça costuma ser ótima para relaxar e bater-papo ao som de jovens músicos locais.

Preservation Hall

O Preservation Hall foi criado para manter

O Preservation Hall foi criado para preservar a cultura jazzística

A casa mais antiga de Jazz da cidade é programa obrigatório em New Orleans, contudo é preciso chegar cedo e ficar de uma a duas horas na fila para ter a melhor experiência musical da sua vida.

Criado há mais de 50 anos para proteger, preservar e perpetuar o Jazz, a casa não possui banheiro, nem bar e a entrada, ao preço de US$ 20, é limitada.

Com 3 apresentações diárias (20h, 21h e 22h) é preciso chegar cedo para garantir um bom lugar e curtir o melhor da cultura jazzística.

Para quem gosta do estilo musical, vale a pena ler a coluna do jornalista Flávio de Mattos, que escreve sobre Jazz a cada 15 dias no Blog do Noblat.

Moon Walk

À beira do Rio Mississípi, a Moon Walk é um lugar para caminhar e relaxar

À beira do Rio Mississípi, a Moon Walk é um lugar para caminhar e relaxar

E diferente de outras cidades dos Estados Unidos, e até mesmo do próprio estado de Louisiana, as leis de New Orleans permitem beber em lugares públicos.

Por isso, não perca tempo após comprar o seu hurricane. Contorne à esquerda na Toulouse Street e termine o passeio de posse de seu cocktail até a Moon Walk, passarela às margens do Rio Mississípi.

Se você gosta de passeios de barco, é de lá que partem os cruzeiros. Claro que há música ao vivo nos navios!

Ainda há muitas outras atrações no French Quarter, porém com o roteiro a pé, descrito acima, já é possível conhecer bastante do bairro. Com mais tempo na cidade, não perca a seguir mais dicas de turismo em New Orleans.

French Market

French Market, em New Orleans, um passeio legal e gostoso

French Market é um passeio legal e gostoso em New Orleans

Outra atração do quarteirão francês que pode ser visitada em um roteiro mais longo no destino é o histórico French Market.

O mercado centenário teve início na colonização, quando os nativos usavam o espaço para a troca de mercadorias, ainda no século XVIII. É um passeio que dá água na boca, com uma riqueza de cores, cheiros e sabores.

Cafe Du Monde

Ao lado da Jackson Square, fica um dos mais famosos cafés de New Orleans. Localizado no número 800 da Decatur Street, a cafeteria, por conta do sucesso, dicas em todos os blogs e guias de viagens e preço justo, fica sempre cheio.

Por vezes pode ser um pouco irritante ir lá. Prefira os horários de menor movimento já que fica aberto 24 horas por dia. Fomos num dia de chuva, bem comum em Nola. Experimente os bolinhos de açúcar recheados.

Seja um local na Frenchmen Street

A Frenchmen Street é onde ficam os melhores bares de Nola

A Frenchmen Street é onde ficam os melhores bares de Nola

A Frenchmen Street é conhecida como o French Quarter fora dos limites deste mesmo bairro. É uma rua apenas, mas concentra alguns dos melhores bares.

Faremos um post sobre bares para ouvir música ao vivo em New Orleans, mas já adiantamos que boa parte deles ficam na Frenchmen Street e não na Bourbon Street, no French Quarter.

Por ser menos turística (já foi bem menos), não há muitos turistas fanfarrões e mais pessoas locais, o que deixa o lugar ainda mais bacana. Alguns dos bares mais legais da rua são o D.B.A, o Bamboulas e o Vaso. Pode acreditar em nós, fomos em todos possíveis!

Loja de discos na Frenchmen St

Loja de discos na Frenchmen Street

Uma atração imperdível na Frenchmen Street é o Louisiana Music Factory, uma loja que vende discos, camisetas e artigos relacionados à música. Costuma ter programação com shows ao vivo dentro da loja.

O roteiro pela Frenchmen Street ficará completo com uma visita ao The Art Garden, uma galeria de arte a céu aberto, que funciona somente às quintas-feiras, das 18h à meia-noite.

Shows gratuitos nos parques de Nola

Louis Armstrong Park

Estátua de Louis Arsmstrong no parque que leva o seu nome

Estátua de Louis Arsmstrong no parque que leva o seu nome

Se você pensa que o roteiro musical acabou, está enganado, babe! Esqueceu que estamos falando de New Orleans?!

Dica bacana para curtir música ao vivo da melhor qualidade e de graça é ir ao parque que leva o nome de um dos músicos mais populares de Nola – Louis Armstrong.

O projeto “Jazz in the Park” tem apresentações de importantes nomes da cena local toda quinta-feira à tarde (16h) durante o outono e a primavera.

Além dos shows, é possível conferir artistas – pintores e artesãos trabalhando em suas obras ali, na hora. É muita cultura junto. Um dos programas mais legais da cidade, sem dúvida alguma.

Lafayette Square

Quer mais música ao vivo? Estamos em New Orleans, lembra?

Às quartas-feiras à tarde (16h), nos meses de março, abril e maio, acontece o projeto “Wednesday at the Square”, com apresentações musicais na praça Lafayette.

O legal do projeto é que toda renda do evento é revertida para a Young Leadership Council, fundação que educa e transforma a vida de jovens carentes.

Os festivais em New Orleans

Após termos feito a viagem para Austin, no Texas, acreditávamos ser difícil encontrar outra cidade com tanta cena musical nos Estados Unidos.

Ainda não conhecíamos a Big Easy!! Nola tem trocentos festivais e incontáveis lugares com música ao vivo. É simplesmente a melhor cidade do mundo para quem curte shows.

Além do célebre Festival de Jazz, New Orleans ainda conta com um carnaval pra lá de animado; maratona regada ao som de rock’n’roll; entre outras festas que celebram ritmos africanos, hip hop, indie rock, etc.

New Orleans Jazz & Heritage Festival

O New Orleans Jazz Festival é um dos maiores eventos do gênero

O New Orleans Jazz Festival é um dos maiores eventos do gênero

Elencamos abaixo mais dicas e informações sobre o Festival de Jazz de New Orleans, que acontece entre abril e maio. Estivemos lá na edição de 2016. O evento é um dos maiores festivais de música do mundo.

SXSW, o mega festival midiático em Austin, no Texas – EUA

Apesar de termos visto shows memoráveis do Pearl Jam, Lauryn Hill, George Potter Jr, Tedeschi Trucks Band, Big Sam’s Funky Nation, entre outros, temos algumas críticas.

Esqueça o Festival de Jazz de New Orleans!

O New Orleans Heritage & Jazz Festival, o New Orleans Jazz – NO Jazz, é o maior evento de música deste gênero no mundo.

Na programação da última edição, em 2016, artistas como Stevie Wonder, Neil Young, Pearl Jam, Miss Lauryn Hill, Tedeschi Trucks Band, Big Funky Nation, Snoop Dogg, Paul Simon, entre muitos outros.

— O que fazer em New Orleans: dicas da cidade mais legal dos EUA.

nojazz-adviseO revés ficou por conta da chuva, que cancelou o penúltimo dia de festival, abortando o aguardado show do Stevie Wonder.

Foi chato, a Ticketmaster devolveu, enfim, metade do valor do ingresso um mês depois no cartão de crédito. O preço foi US$60/dia.

Dos 7 dias de shows, planejávamos ir em 5. O penúltimo dia do festival foi cancelado por conta da tempestade de relâmpagos, e no último dia desistimos de ir dadas as circunstâncias do dia anterior, além da chuva, a lama e a falta de informação da assessoria do festival.no jazz, literalmente

Em resumo, fomos apenas em 3 dos 5 dias planejados. Apesar de sempre contar com programação de alto nível e excelentes artistas, a chuva e o tempo instável de New Orleans podem colocar tudo a perder e estragar a festa.

De qualquer modo, se pretende ir ao festival, leve uma capa de chuva, guarda-chuva e botas. O clima em New Orleans é chuvoso. Bastante atenção nestes itens na hora de fazer as malas.

No mais, se o tempo colaborar, certamente terá um excelente festival. Há palcos com todas as vertentes da música black. Tenda de blues, jazz, gospel, ritmos africanos e caribenhos, além de apresentações indígenas e culturais.

Passaporte, vistos e documentos para viajar

O Festival de Jazz de New Orleans | Fotos: Muita Viagem

O Festival de Jazz de New Orleans | Fotos: Muita Viagem

As pessoas reservam espaços com cadeiras

As pessoas reservam espaços com cadeiras

As tendas e outros palcos menores são organizados com centenas de cadeiras enfileiradas. Ficar em pé não pode, apenas em área no fundo. Assim, fica fácil para todos acompanharem as apresentações, enxergando os artistas.

Fora a imprevisibilidade da natureza, a infraestrutura do evento é ótima. Há muitos banheiros, diversas praças de alimentação, com opções da culinária local (prove o gumbo – sopa de carnes e legumes, ou o Po-Boy – sanduíche, de camarão), cervejas e daiquiris.

Algumas pessoas no festival vendem chocolate com cogumelos (US$20,00) e vale fazer amizade com a galera que estiver fumando maconha. Ninguém vende, mas te deixam dar um dois. Você irá se divertir, se for este o seu desejo. Cole na galera da Califórnia, eles sempre têm.

Ritmos africanos e caribenhos em tenda no festival de jazz

Ritmos africanos e caribenhos em tenda no festival de jazz e cultura

Tenda de Blues, no festival de Jazz

Leroy Jones & New Orleans’ Finest na tenda de Blues

Em nossa opinião (somos sinceros em dizer), para quem está planejando viajar para New Orleans com o propósito de ir ao NO Jazz é – esqueça o festival! Isso mesmo, não vá aos shows!! Prefira ir nos bares da cidade.

George Clinton e Funkadelic em show after dark em New Orleans

Show do Funkadelic em New Orleans

O legal é o after dark, ou seja, deixe para sair na noite de New Orleans. As festas em bares e casas de show entre o French Quarter e a Frenchmen Street ficam animadíssimas durante os meses do festival.

Nós na viagem, por exemplo, curtimos muito mais o show do George Clinton & Parliament Funkadelic no bar perto do hostel do que a tentativa frustrada de ouvir a música do Buddy Guy na tenda de Blues do festival de jazz, que também teve o show cancelado por conta da chuva e relâmpagos.

— Melhores bares de New Orleans

Também foi difícil ver o show Red Hot Chili Peppers – RHCP. Estávamos longe do palco e acabamos indo ver o show do J. Cole. Por outro lado, no primeiro dia do festival, vimos de perto o Chad Smith (baterista do RHCP) tocar bateria ao lado do Pearl Jam. São as boas e más venturas de ir a grandes festivais.

É controverso, mas assim como o SXSW, em Austin, acreditamos que New Orleans pode ser até mais divertida fora da alta estação (abril e maio, quando ocorre o festival de jazz). Escolha ir em outubro, por exemplo.

Assista o vídeo de divulgação com a apresentação do line up de 2016:

 

Como comprar ingresso e datas do festival

Caso ainda queira ir no festival, compre o ingresso no site oficial http://www.nojazzfest.com/tickets/. Este ano o preço aumentou para US$65 (antecipado) ou US$75 (na porta). Crianças pagam US$5 (2-10 anos).

As datas do festival em 2017 serão nos dias 22, 23 e 24 de abril (1ª semana) e 28, 29, 30 de abril e 1º de maio (2.ª semana).

Existe um passaporte especial que dá acesso à áreas exclusivas, o Big Chief experience. É bem mais caro. São US$1.200 para os três dias da primeira semana e US$1.400 para os quatro últimos dias do festival.

Leia todos os relatos e dicas da viagem que fizemos para Austin e New Orleans no guia de turismo nos Estados Unidos.

Carnaval de New Orleans (Mardi Gras)

O carnaval de New Orleans tem a levada do Jazz

Em New Orleans o carnaval é na levada do Jazz

Ao lado do festival de Jazz, o carnaval são as melhores épocas para viajar para New Orleans. Na tradução, Mardi Gras significa “terça-feira gorda”. É o dia que antecede a quarta-feira de cinzas, quando supostamente os católicos iniciam o jejum da Quaresma.

Quem não vai à cidade durante o carnaval, pode conhecer e visitar o Mardi Gras World, espécie de “barracão” onde concentram-se as agremiações que desfilam durante a festa pagã. Há um transporte gratuito que leva os turistas da Canal Street até lá. Basta ligar e agendar. O telefone é o 504-475-2053.

O blog Colagem esteve lá em 2011. Neste post você consegue ver as fotos e o relato da Luciana Misura.

French Quarter Festival

Uma outra data bacana na agenda de festas típicas em New Orleans é no segundo final de semana de abril, quando rola o French Quarter Festival. As ruas do quarteirão fecham e vários palcos são montados, e os shows são grátis.

New Orleans Rock ‘n’ roll Maratona

Quem gosta de viajar para correr maratonas, o evento surpreende – uma corrida ritmada ao som de rock. Dá para imaginar? Estamos na Big Easy, lembra?

Todo dia é dia de festa em Nola

Todo dia é dia de festa em Nola

A meia maratona de New Orleans não poderia ser diferente, tinha que ter música ao vivo.

O percurso é cênico e passa pelas principais ruas turísticas da cidade com bandas locais tocando ao vivo a cada esquina.

Elencamos acima apenas alguns dos festivais em New Orleans.

Há muitos outros – Congo Square New World Rhythms (com música africana e caribenha); Feira literária Tennessee Williams; Festival do Tomate Crioulo; Louisiana Cajun-Zydeco Festival (nuances do Jazz); Essence Music Festival; Parada de St. Patrick’s Day, Voodoo Art & Music Experience, Halloween, Réveillon, etc. Isto é Nola, babe!

New Orleans: os melhores bares, clubes de jazz e pubs

Antes de viajar para New Orleans não consultamos nenhuma lista com bares ou pubs para ir. O nosso foco estava na programação do festival de música.

E, ainda que possa ser questionada a utilidade de uma lista de bares em New Orleans, com tantos lugares para ouvir música e beber, após voltarmos da viagem, achamos razoável elencar dicas de lugares para curtir noite adentro.

Guarde esta lista, mas no final das contas você irá perceber que, com tantos bares legais em New Orleans, não é preciso sair em busca de algum específico, eles (os bares) irão encontrar você!!

Bares em New Orleans

Confira a seguir bares em New Orleans, inspirados por nossa viagem no Texas e Louisiana (EUA), entre os dias 17 de abril e 05 de maio de 2016:

Bourbon Street, em New Orleans | Foto: Muita Viagem

Bourbon Street, em New Orleans

Há dois ótimos spots com bares em New Orleans. O mais turístico é a Bourbon Street, no French Quarter, que engloba também as ruas Royal, Chartres, Dumaine, St. Ann, Burgundy, Orleans, St Peter e travessas.

Já outro ponto de eferverscência musical em Nola é a Frenchmen, rua que concentra em poucos metros o “fino” das casas de jazz de New Orleans.

Como chegar nos melhores bares de New Orleans

Ruas do quarteirão francês, em New Orleans

Ruas do French Quarter

Parta do centro de New Orleans, próximo ao Saenger Theatre, onde há sempre uma boa programação (fomos no show do Smashing Pumpkins) e siga da Canal Street pela Bourbon.

Vários bares irão te atrair. Entre em algum, e quando menos perceber já vai estar com uma cerveja na mão, curtindo boa música. Deste bar, vá para algum outro, que achará ainda mais legal, e assim será sua noite, babe!

Você está em Nola! A lei é clara – pode beber na rua sem problema. Aliás, New Orleans é a única cidade nos Estados Unidos onde é permitido o consumo de bebida alcoólica em vias públicas.

A esquina da St Peter com a Bourbon | Fotos: Muita Viagem

A esquina da St Peter com a Bourbon | Fotos: Muita Viagem

Melhores bares em New Orleans

Preservation Hall — Não é bem um bar, não vende cerveja e não há banheiro lá dentro. O Preservation Hall foi fundado pelo banda de mesmo nome para manter, preservar e difundir as diferentes variantes do jazz norte-americano.

São 3 apresentações por dia (20h, 21h e 22h). É preciso chegar cedo para garantir um bom lugar e curtir 45 minutos do melhor da música de New Orleans. Os ingressos custam US$20.

Como não há bar dentro da casa, é permitido entrar com copos de cerveja. Quando fomos, compramos no Finnegan’s Easy, pub irlandês em frente ao Preservation Hall. Bebemos uma cerveja na fila e compramos uma para levar.

Endereço: 726 St. Peters St., New Orleans

Uma das melhores casas de New Orleans | Foto: Muita Viagem

Melhor banda, melhor bar de Nola

One Eye’s Jack — Foi a casa onde curtimos o melhor show da viagem. Amigos da Finlândia que estavam no hostel, já haviam indicado. Foi o último show da trip. Vimos Brian Jonestown Massacre & Tess Parks.

Também fomos no show da Thao & The Get Down Stay Down.

Com ótima programação, amplo espaço e dois bares, a casa é uma das melhores de Nola.

Pode ir. É  alegria na certa! Geralmente os ingressos custam US$20,00 (2016).

Compre antecipado, especialmente para shows de bandas conhecidas e dias com festivais ou festas em New Orleans, ou seja, é sempre bom antecipar-se.

Endereço: 615 Toulouse St, New Orleans

Mapple Leaf Bar — Localizado fora da zona mais turística, o pequeno bar é mais frequentado por moradores de New Orleans e mais chegados na cena jazzística de New Orleans. Para quem gosta de jazz, funk e soul, este é o lugar.

Por ser mais afastado, nem sempre está cheio. Para chegar no bar, com endereço na Oak Street, pegue o bondinho 12 na esquina da Canal e Carondelet.

Após 40 min., desça na S. Carrollton e caminhe até o pub. O bar fica após o Audubon Park, aliás dica de passeio – bar após o fim de tarde no parque.

Há um churrasco na porta se quiser comer antes de entrar, mas a casa também serve pratos regionais e típicos. O preço varia entre US$15 e US$20.

George Clinton e Funkadelic no bar em New Orleans

George Clinton no Republic Nola

Republic Nola — Também afastado do quarteirão francês, é outro bar muito legal em Nola.

Como vimos o show do Parliament Funkadelic, somos suspeitos em listá-lo entre os melhores bares de New Orleans.

Endereço: 828 S Peters St, New Orleans

Pub em New Orleans

Pub em New Orleans

Lafitte’s Blacksmith Shop  No limite entre o French Quarter e a Frenchmen Street, já no final da Bourbon, o bar é mais bacana para começar a beber antes de parar onde quer que seja no agito da Frenchmen.

A luz fraca e o estilo rústico nos levam ao século 18. Diz a lenda que o bar chegou a ser frequentado por piratas, sendo o boteco mais antigo dos EUA.

Endereço: 941 Bourbon St, New Orleans

Bares na Frenchmen – New Orleans

Loja de discos na Frenchmen St

Loja de discos na Frenchmen St

Como citamos no roteiro em New Orleans, a Frenchmen Street é considerada como o French Quarter fora do próprio bairro.

A Frenchmen é uma simples rua, mas concentra alguns dos melhores bares de Nola.

Alguns dos bares mais legais da Frenchmen ficam lado a lado – o D.b.a, Bamboulas, Vaso, Blue Nile e o Mason. Pode acreditar, fomos em muitos bares de Nola!

D.b.a Em zona menos turística, a Frenchmen tem bares mais autênticos e divertidos, e com menos turistas, sobra mais espaço para balançar o esqueleto.

Ao lado do bar há uma loja de discos (Music Factory), o que deixa o lugar ainda mais bacana. O pequeno bar não costuma cobrar couvert. Por isso, chegue cedo. É sempre lotado. A carta de cervejas é extensa. Peça uma IPA e vá dançar!

VASO — O bar também não costuma cobrar entrada. Em nossa opinião, é um dos melhores bares da Frenchmen Street para começar a noite ou ir além e ficar somente por lá!

Bamboulas  A animação do bar extravasa o ambiente interno, bom para os clientes, que bebem cerveja nas bancadas da calçada, do lado de fora. Quem anima, pode ir dançar pertinho dos músicos. A entrada é livre.

Blue Nile — Como a programação conta com grandes shows, o preço do ingresso costuma variar entre US$20 e U$25. Quando estávamos lá, teve show do Big Funk Nation. Não fomos, pois estava esgotado.

Na lista ainda poderíamos ter o Cornet, Saint Bar Lounge, Tropical Isle, Molly’s at the Market, Voodoo Lounge ou Black Penny. Como dissemos no início do post, em New Orleans, não importa onde você pense em ir, o bar certo irá te achar!

Turismo em New Orleans

O City Park, em New Orleans é ótimo para caminhadas tranquilas

O City Park, em New Orleans, é ótimo para caminhadas tranquilas

Para não dizer que Nola tem apenas atrações para quem gosta de música, a cidade ainda oferece outras atrações que também agradam famílias com crianças e fãs de passeios mais tranquilos.

Garden District

Embarque no Street Car para admirar a arquitetura de New Orleans

Embarque no Street Car para admirar a arquitetura de New Orleans

O Garden District é um bairro gostoso para fazer caminhadas em Nola.

Para fazer o passeio pelo bairro, pegue o Street Car verdinho na Magazine Street (Linha 12), que ele te leva até lá. O bondinho segue pelos trilhos da St. Charles Ave e tem várias paradas. Sugiro descer no cruzamento com a Washington Ave e ir até o cemitério Lafayette #1.

Audubon Park e Zoo

Seguindo o roteiro do Street Car descrito acima, pegue novamente o bonde e continue até Uptown. Desça na estação da Universidade Loyola e caminhe alguns quarteirões por lá. Há construções lindíssimas e casas bem antigas.

Atravessando a rua da universidade é possível acessar o Audubon Park, que fica do outra lado da rua. O parque é bem grande e muito bonito, perfeito para um passeio romântico e tranquilo em família.

O Zoológico de New Orleans completa o passeio pelos arredores, pois fica coladinho ao parque. Há várias atividades para as crianças e uma grande variedade de animais, além de ser muito bonito e com muito verde.

City Park

A estátua do general Robert E. Lee statue. Há discussões para que a obra seja retirada, pois para muitos representa o racismo, visto que o general

A estátua do Gen. Robert E. Lee, no City Park, um dos líderes da Guerra Civil, por isso há discussões para retirar a obra, que representa o racismo.

Outro parque bem bacana para relaxar em New Orleans é o City Park. O parque da cidade fica do lado oposto ao zoológico e também pode ser acessado com o Street Car vermelhinho (Linha 48) a partir da Canal Street.

Estes são alguns dos passeios turísticos possíveis em New Orleans. Quer mais?

A lista sobre o que fazer em New Orleans poderia seguir por páginas a fio – há ainda o aquário – Audubon Aquarium of the Americas, próximo ao French Quarter; tours de histórias de fantasmas e voodoo’s; andar de charrete; museu WW2; roteiros pelas antigas fazendas de cana-de-açúcar; e os pântanos com jacarés.

Deu fome?

Por fim, não deixe de aproveitar as delícias da culinária local – Jambalaya (uma espécie de paella), Gumbo (sopa com tipos de carne e legumes) e o Po-boy (sanduíche em pão de baguette e recheio caprichado).

Hostel St. Vincent’s

Hotel em New Orleans bem localizado

New Orleans é aquela típica cidade onde, por mais que o hotel seja excelente, você nem vai querer passar muito tempo no quarto.

Há tanto o que fazer em New Orleans, coisas para ver e lugares para conhecer, que boa parte da hospedagem você passará na rua mesmo. Por isso não se preocupe muito com hostels New Orleans, ou mesmo bed & breakfast e apartamentos pelo Airbnb.

vincent-guest-house-new-orleans

O hotel onde funcionava antigo orfanato | Fotos: Muita Viagem

De qualquer forma, é sempre bom ter dicas dos melhores hotéis e opções mais baratas em hostels ou apartamentos e casas para alugar. Quando estivemos na cidade, no início do ano, durante o Festival de Jazz de New Orleans, não foi tão simples encontrar um hotel bom e barato.

Durante as duas semanas do festival é complicado encontrar quartos vagos em hostels em New Orleans, ou em hotéis mais econômicos, especialmente nos melhores bairros, como o French Quarter ou Garden District.

Aliás, estas são as duas regiões que você deve considerar na hora de escolher o hostel ou hotel em New Orleans.

Os dois bairros concentram tudo o que você pode querer ver e fazer em Nola (apelido da cidade). Você encontra os melhores hotéis em New Orleans e consegue fazer a reserva pelo Booking, com fotos e avaliações. Abaixo, o nosso relato sobre o hostel onde ficamos em Nola:

New Orleans Hostels

A pequena vila hippie St. Vincent’s

Hostels são sempre boas opções para quem viaja sozinho, e em New Orleans, podemos fazer avaliações boas e ruins do hostel onde ficamos.

hostel new orleans

Jardim e piscina da pequena vila hippie

A boa localização do hotel, na Magazine Street, é indiscutível. A apenas 2,5 km do French Quarter, e cerca de 20 minutos de caminhada até a Canal Street, com opções de transporte público no entorno – ônibus e trolleys, 24h/dia.

O prédio que abrigava um antigo orfanato já dá um tom singular à viagem. Os quartos sofreram pequenas modificações, mas poucas reformas e está bem mal conservado. É uma pena, pois é um lugar incrível, que necessita de melhorias.

O legal mesmo é a atmosfera e o espírito de comunidade hippie que domina o ambiente. Os funcionários do hostel parecem ter saído de desenhos animados. Tem o rastafári, a mina do sovaco peludo, o maconheiro, enfim, uma mescla de excentricidades, próprio de um destino único – New Orleans.

Hostel em Nola

hotel em new orleans

Apesar de parecer suja, é possível nadar na piscina

Tivemos “a really good time” lá. Aliás, tudo pode acontecer em uma conversa no fim de noite no jardim do hotel, local onde muitos hóspedes batem papo ou fazem as refeições. Fizemos amigos, bebemos e fumamos muito, ouvimos boa música e temos boas estórias para contar. “It’s what it’s, babe”!

***

Para nós, a decepção do hostel é em relação à falta de armários e a limpeza nos banheiros, bem como uma cozinha suja, sem geladeira, utensílios, mesa, nem cadeira. O fogão e o micro-ondas são velhos e mal conservados, e todo mochileiro ou viajante espera do hostel, claro, que a cozinha tenha instalações apropriadas com lugar para fazer as refeições.

Ver fotos e faça a reserva nos melhores hostels pelo Booking

É sim, um lugar barato onde ficar em New Orleans, mas podia ser beem melhor. O wi-fi, por exemplo, é ruim e ainda cobrado à parte. Como o café em frente ao hostel tem wi-fi livre e grátis, é comum a galera ficar na sacada de entrada do hotel usando o wi-fi do MOJO, a cafeteria da Freret St.

Hostel em New Orleans – EUA

hostel new orleans

Hotel onde ficamos em New Orleans

Por fim, podemos dizer que recomendamos o hotel com ressalvas. Sinceramente não sei se ficaria no quarto coletivo novamente. Chegamos a conhecer uma parte “mais nobre” do edifício.

quartos maiores e suítes com corredores iluminados e perfumados, mas ainda assim é notável a falha na higiene.

A avaliação é a mesma do hotel onde ficamos em Denver, no Colorado. São hotéis com opções de quartos compartilhados ou privativos. E, mesmo que você esteja realmente sem muita grana, não recomendamos ficar em quartos com mais de 4 pessoas.

Vai fazer uma viagem de casal? Prefira ficar em hotéis melhores como o Courtyard by Marriot, o Best Western ou o Hotel Dauphine, todos estes no French Quarter, a parte mais turística de New Orleans.

Post atualizado em 25 de agosto de 2021.

Sobre Danilo Hadek

Antes de começar o Muita Viagem, fui Relações Públicas e Comissário de Voo. Vivi no Canadá, fiz longas viagens nos Estados Unidos e alguns roteiros na Europa. Já estive em todas as capitais do Brasil, e em mais de 20 países pelo mundo. Quero conhecer o Oriente Médio, África e Ásia.

Deixe uma resposta

O e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.