Início / Destinos / Santiago, Chile – O que fazer e roteiro por cidades próximas

Santiago, Chile – O que fazer e roteiro por cidades próximas

Descubra tudo o que fazer no Chile, com roteiro na capital Santiago e cidades próximas para viagens bate e volta, além de destinos turísticos como o Atacama e o Valle Nevado.

Primeiramente, quem nunca foi para Santiago nem imagina dos encantos desse roteiro e tanta coisa que fazer no Chile, sendo uma cidade imperdível, com entorno a ser explorado. Assim, Santiago é uma mistura de arquitetura europeia, com modernos arranha-céus, largas avenidas e metrô para todos os lados.

E quando olhamos mais longe, ali está a belíssima Cordilheira dos Andes abraçando a cidade com seus picos nevados e imponentes. Estar ali é um deleite, contemplando a formação rochosa que emoldura partes da capital chilena. Sem dúvida, às vezes o que fazer em Santiago é isso, caminhar e curtir as áreas verdes da cidade.

Leia também: Hotéis em Santiago, Chile

O que fazer no Chile

Já estivémos algumas vezes em Santiago – Chile, e elencamos roteiro com alguns destaques dos principais pontos turísticos para quem tem pouco tempo e quer o must do na palma da mão. Embarque nessa viagem com a gente!

Roteiro em Santiago

A seguir tudo o que fazer no Chile, começando pelo centro de Santiago.

Para começar, nossa primeira parada é o Museo de la Memoria y Derechos Humanos. Pertinho da estação Quinta Normal do metrô (Linha 5) está o Museu da Memória e Direitos Humanos. Dica local: É grátis, fecha às segundas-feiras.

o que fazer no chile

Em Santiago é fácil caminhar e conhecer os pontos turísticos a pé ou de metrô | Gabi Saraceni

A exposição permanente documenta desde o golpe de Estado em 1973 até a retomada da democracia. São fotos, vídeos e documentos dispostos em uma linha do tempo que conta os difíceis detalhes dessa fase da história chilena. O museu é recente, bem instalado e conta com auto-guia em áudio.

Em seguida, a segunda parada foi no Palácio de la Moneda (sede governamental).  Pegando o metrô de volta, desça na estação La Moneda e logo ali está o imponente palácio. É bem bonito e até hoje é usado como sede de governo. Por isso está guardado pelos carabineiros (polícia), que fazem a tradicional ‘troca de guarda’ dia sim, dia não (a cada 48h) às 10:00 em dias de semana e às 11:00 no fim de semana.

Chegue mais cedo para conseguir um bom lugar. Além disso se pode visitar o museu de arte subterrâneo e tirar foto com a imensa bandeira do Chile na Av. Libertador Bernardo O’Higgins (face principal do palácio).

Plaza de Armas e Catedral Metropolitana

Andando mais um pouco, a terceira parada foi no Plaza de Armas e Catedral Metropolitana. A poucos minutos caminhando está a principal praça da cidade, Plaza de Armas. Uma mistura de pessoas do mundo todo sempre está por ali, além dos artistas de rua e artesãos. E claro, é um dos marcos da cidade, rodeada pela imponente Catedral Metropolitana de Santiago, aberta ao público.

Logo em seguida, a quarta parada, com o Museu Chileno de Arte Precolombino. Pertinho da Plaza de Armas está o Museu Chileno de Arte Precolombino (esquina da Rua Bandera com a Rua Compañía de Jesus, fecha às segundas-feiras).

Além disso, também vale uma visita para conhecer melhor a história dos primeiros povos que habitaram nosso continente, principalmente os indígenas que fizeram parte do Chile, como os Incas, Quechua, Aymarás e os Mapuche.

La Chascona – O que fazer no Chile

Finalmente a quinta parada foi na La Chascona. Indo em direção ao Norte da cidade, em um bairro nos pés do morro, morou um dos mais ilustres poetas chilenos: Pablo Neruda. Seus versos estampam muros e monumentos, inclusive a casa que um dia foi sua e hoje é um belo museu chamado La Chascona (Fernando Márquez de la Plata, 0192, Bellavista).

A visita é auto-guiada e entretém os visitantes com histórias que aconteceram em cada cômodo. É como se sentir parte de um de seus convidados. O mais legal fica na lojinha do final, em que dá para comprar objetos réplicas de Neruda, como o divertido par de saleiro e pimenteiro com as palavras “cocaína e morfina”.

Cerro San Cristóbal

Já a sexta parada foi o Cerro San Cristóbal, algo bem legal para fazer no Chile. Por isso, para um fim de tarde, suba a um dos mais icônicos morros de Santiago, no bairro Bellavista mesmo.

o que fazer em santiago

Vista de Santiago do alto do Cerro San Cristóbal | Gabi Saraceni

O Cerro San Cristóbal (que faz parte do centenário Parque Metropolitano) pode ser acessado via funicular ou caminhando (cerca de 30min por um caminho de terra nível fácil). A vista de toda a cidade é um deleite. E ali mesmo fica a imagem da Santa Imaculada Conceição, importante ícone católico local.

Patio Bellavista – O que fazer no Chile

Por fim, a última parada do dia, no Patio Bellavista. Dessa forma, já à noite no happy hour vá para o complexo de restaurantes Patio Bellavista (entre R. Pio IX e Dardinac). São muitas opções de comidas, drinks, petiscos e fast food. Recomendo o colombiano-chileno La Casa en el Aire, tem boa comida e bom preço.

o que fazer no chile

Opções de restaurantes não faltam no Pátio Bellavista – o que fazer no Chile

Se quiser algo mais leve, escolha o 100 Montaditos e fique louco com as opções de mini sanduíches. Desde os tradicionais de salmão defumado e presunto cru, ou “choripan con pebre” (delícia!). O cardápio conta com sandubinhas vegetarianos e doces. Acompanham batata chips e vendem bebidas para acompanhar, como a Sangria (drink gigante e muito refrescante de vinho).

Leia também: Resorts no Chile: hotéis de luxo para relaxar nos Andes

O que fazer em Santiago – Chile

No segundo dia, comece indo até o Centro Cultural Gabriela Mistral ou Cerro Santa Lucia. Assim, você irá caminhar pela avenida mais importante de Santiago, a Av. Libertador Bernardo O’Higgins, ou simplesmente ‘Alameda’, como chamam os chilenos.

Foi lá que ocorreram as principais lutas durante o golpe de Estado (até hoje é palco de manifestações populares) e está o frondoso Centro Cultural Gabriela Mistral, um misto de escola de arte e espaço de exposições. Conta com um delicioso café e loja de artigos de design.

Nesse sentido, uma outra opção ao ar livre para fazer em Santiago é o famoso Cerro Santa Lucía, um parque com castelos, fontes e esculturas.

Dica local: Do outro lado da avenida tem uma feira de artesanato ótima para comprar lembrancinhas a bom preço.

Parada 2: Paseo Lastarria

Da avenida, caminhe em direção à rua José Victorino Lastarria, que dá nome ao bairro. Ali você vai encontrar cafés, lojas de arte, restaurantes, pequenos museus e uma feira de arte local. Vale a pena apreciar as construções.

o que fazer em santiago - chile

Sorveteria artesanal com alguns dos melhores sorvetes do mundo | Gabi Saraceni

Continue caminhando pela rua Merced na mesma direção dos carros (Parque Florestal), e ali em uma pracinha charmosa está a sorveteria artesanal Empório de La Rosa, que já foi nomeada uma das 25 melhores sorveterias do mundo! Experimente quantos sabores quiser, especialmente o de ‘frutos del bosque’,com frutas vermelhas do país.

Parada 3: Parque Florestal

Pegue seu sorvete e vá caminhar pelo Parque Florestal, ali do lado. É um delicioso parque linear gigante, que margeia o rio Mapocho, sempre visitado por locais e turistas. Há trajetos para bicicletas, brinquedos para as crianças e bancos na sombra para um merecido descanso.

Parada 4: Bairro Itália

Continuando nosso trajeto, chegamos ao bairro Itália, pela avenida que leva seu nome. São charmosas e tranquilas ruas na cidade de Santiago, repletas de restaurantes e lojas interessantes. Vale uma caminhada também, ou aproveite o happy hour nos bares dali.

Parada 5: Costanera Center – Sky Costanera

Pegue o metrô e vá até a estação Tobalaba (linha 1). A poucos metros dali foi construído o maior prédio da América Latina!

O imponente Costanera Center chama a atenção por sua altura, claro, e sua arquitetura. Dentre tudo o que fazer no Chile, vale muito a pena. Nesse sentido, o mais legal ali é pegar o tour para subir até o topo do edifício — Sky Costanera, onde dá pra ter uma visão 360 graus de toda a cidade.

Aliás, lá dentro fica também um dos mais famosos shoppings center da cidade, com mais de 5 andares de compras.

Dica local: Vá para o pôr-do-sol e veja a cidade mudando de cor. Às quartas-feiras o ticket é mais barato que os demais dias.

DICAS BÔNUS:

A maior parte dos museus fecha nas segundas-feiras, fique atento. Aos domingos, a Av. Santa Maria (que percorre desde o centro até Providência) é fechada para carros e transformada em um delicioso calçadão. Vale alugar uma bike e sair pedalando, a cidade é bem plana e bike friendly!

Metrô em Santiago – o que fazer no Chile

É fácil fazer passeios a pé pela capital chilena, andando de metrô e a pé por alguns bairros da região central é sobre o que fazer em Santiago. Afinal, a cidade é plana e fácil para caminhadas. Dessa vez, estávamos hospedados no hotel Marina dos Condes da rede Best Western, localizado próximo da estação Manquehue.

Até o metrô são dois minutos de caminhada em direção à San Pablo, na linha 1 vermelha.

Dica local: Metrô mais barato em alguns horários

O metro de Santiago é bem eficiente para o viajante que precisa de transporte público. E se quiser economizar, você pode optar em utilizar o metro fora do horário de pico e pagar mais barato pelo bilhete. Assim, há três faixas de preços de acordo com o período da viagem.

 

Desse modo, o horário mais barato para andar de metrô pela manhã é entre 6:00 e 6:29 da manhã seguido pela próxima hora por um acréscimo. Já a partir das 7:00 até às 8:59 é o horário mais caro.

Após às 9:00 até 17:59 fica um pouco mais barato novamente, aumentando para o valor mais caro logo após às 18:00 até às 19:59. Após às 20:00 o preço baixa. Por isso, se quiser uma viagem ainda mais econômica, planeje-se e evite estar no metrô no horário de pico.

Mapa do metro de Santiago

metro santiago chile mapa

Dicas práticas para viagem no Chile

Dinheiro

A primeira dica é em relação ao dinheiro no Chile.

Leve pesos chilenos e algum dinheiro reserva em reais. O câmbio com o real na maioria lojas de câmbio variam entre R$1 = 240 a 250 pesos. Na Calle Agustina há as melhores casas de câmbio. O hotel também fez boa cotação para mim, então vale a pena consultar antes de trocar o dinheiro em qualquer lugar, especialmente no aeroporto.

Diferente de Buenos Aires, na Argentina, onde é possível fazer câmbio em bares, restaurantes e lojas, em Santiago os lugares aceitam apenas pesos chilenos. A melhor rua para fazer cotações entre o real, o dólar e o peso é a Calle Augustina. A variação cambial é bem singela.

Desse forma, acredito que a diferença seja muito pequena, porém considere levar para a viagem ao Chile apenas reais ou, no máximo, 30% do dinheiro em dólar. Troque lá os reais por pesos e terá uma viagem mais econômica.

Segurança

Em relação à segurança, saiba que andar em Santiago é extremamente seguro. Não vi nenhum pedinte, apenas alguns mendigos nas ruas do centro. A polícia é uma das mais confiáveis do mundo e o melhor é que estão por toda parte, sempre prontos a ajudar o turista e o cidadão com informações.

Transporte

Para andar por Santiago, a melhor opção é o transporte público, inclusive para ir do aeroporto até o hotel. Contudo, vale a pena pagar uma corrida de táxi que não é muito caro. Mas evite pegar táxis com o pessoal que aborda com plaquinhas no desembarque do Aeroporto Internacional de Santiago (SCL). Pesquise no site oficial.

Por fim, assim como fizemos, a dica em Santiago para uma viagem econômica é deixar a preguiça de lado e utilizar o transporte público. Para andar de ônibus e metrô a dica é comprar o cartão “BIP!” em qualquer estação de metrô. É um cartão magnético que funciona para ônibus e metrô, sendo possível recarregá-lo a qualquer momento.

Os motoristas dos ônibus em Santiago não aceitam transportar passageiros sem o cartão. Por isso, para ir além das ruas entorno das estações do metrô, compre o BIP! para andar de ônibus e fazer uma viagem econômica.

Vocabulário básico

hoje é hoy, bom dia é buenos días, obrigado é gracias, vinho é vino, taça de vinho é copa de vino, garrafa é botella, gorjeta é propina, cartão é tarjeta, molho é salsa, presente é regalo, lugar é sitio, batatas fritas são papas fritas, perto é cerca, longe é lejos, frango é pollo, rua é calle, bêbado é borracho, sobremesa é postre, leite é leche, vitamina é batido, chá é , café expresso é cortado.

Leia também: Livros para estudar espanhol

Restaurantes em Santiago

Onde comer em Santiago

A capital chilena oferece uma culinária ótima para quem gosta de frutos do mar. Sem dúvida é uma experiência que você pode incluir no roteiro com o que fazer no Chile, arriscar comer uma lagosta. No entanto, qualquer peixe acompanhado de legumes e um bom vinho branco garante uma ótima refeição.

Nesse sentido, é possível comer bem e barato em Santiago. Na Avenida Providência, perto da estação de metrô M. Montt há diversas opções de bares e restaurantes, além de pelo menos um supermercado (dica para comprar vinhos baratos). Uma amiga nos recomendou conhecer o bar e restaurante Linguria. Recomendamos!

Donde Augusto – Mercado Central de Santiago

Um lugar bastante procurado por brasileiros e turistas é o restaurante Donde Augusto, dentro do Mercado Central de Santiago. Passamos pelo restaurante pela manhã, e independente do horário, sugerimos pedir um café e experimentar uma das opções de empanadas.

restaurante chile santiago

O restaurante é um mais frequentados por turistas brasileiros. | Muita Viagem

Caso decida almoçar ou jantar por lá, uma boa opção para comer bem e barato é pedir um pescado. Ou ainda, um outro prato que dá água na boca é o Salmão com molho de frutos do mar. Já para quem não gosta de comer peixes e/ou frutos do mar, poderá experimentar a “Parrillada estilo Mercado”, sendo um prato que serve fácil até três pessoas.

Os preços são acessíveis, e você estará bebendo vinho no Chile. Então, casais, aproveitem!!

Como Água para Chocolate

Outra opção é o Como Água para Chocolate, na Calle Constitucion, 88. O lugar é bastante recomendado e fica perto do museu e Fundação Pablo Neruda. Sim, o restaurante é inspirado no filme do diretor Carlos Carrera de 1992.

A dica é para quem pretende estiver visitando a região da La Chascona, uma das casas de Pablo Neruda. Esta, em especial, o escritos chileno vivia com uma de suas amantes, a “descabelada”.

Leia também: Melhores filmes de viagem no Netflix

Bares em Santiago – O que fazer à noite

A seguir um guia com dicas para fazer em Santiago à noite, como conhecer os melhores bairros com bares e baladas na cidade.

Bar e Restaurante Linguria

O Linguria, indicação de uma amiga que tinha feito uma viagem para Santiago nas férias, é um bar bem animado e fica lá na Avenida Providência, 1373. Para chegar lá, desça na estação M. Montt.

bar chile santiago

O Linguria é um restaurante bom para comer no almoço ou beber à noite. | Foto: MV

Santiago é uma cidade que oferece ampla variedade de atrações para quem gosta de sair à noite. As ruas de vários bairros são vibráteis como em poucos lugares do mundo. Nesse sentido, todos os tipos de bares e baladas são encontrados na capital chilena. Conhecemos bem a cidade e certamente podemos dizer que há muito o que fazer em Santiago – Chile.

O que fazer à noite em Santiago – Chile

A seguir, os melhores bairros em Santiago e sugestões de bares e baladas para curtir a noite.

Para começar, o centro da cidade é um dos mais interessantes para sair à noite em Santiago. Com bares tradicionais, é uma boa pedida para quem quer economizar. É possível degustar a comida chilena, beber vinho e divertir-se sem gastar muito.

O centro de Santiago e seus bares tradicionais

Dois bares recomendados no centro da cidade são o El Huaso Enrique, simples e bem típico, localizado no bairro de  Yungay. O bar fica na rua Maipu, 462. Já na região de Carlos Valdovino, o Bar Victoria, é uma grande balada com espaço para dançar “cueca”, tradicional música chilena.

Bellavista, um bairro turístico e animado

Uma das áreas mais boemias e também um dos bairros mais bonitos de Santiago, a Bellavista concentra grande parte de bares e restaurantes.

O Patio Bellavista reúne diversos bares e restaurantes, que ficam abertos até às duas da manhã. Há várias opções – desde churrascarias, cafés e pubs. A dica é escolher algum que esteja mais para o seu gosto. É possível ver a programação com os eventos dos estabelecimentos.

Outro point bacana no bairro fica entre as ruas Constitución e Pío Nono. Há várias opções boas em todo o quarteirão. Um dos mais agradáveis e charmosos é o bar Doma (fechado), na Dardgnac, 64. A casa é especializada em “Gin”.

Ao final da Pío Nono, pertinho do Parque Metropolitano, você encontra uma casa de música latina e ritmos tropicais super animada chamada Salsoteca Maestra Vida. É um lugar divertido!

Santiago também tem balada gay. O público GLS pode curtir o bar Bunker. Aos sábados há shows e espetáculos com travestis. Amigos do babado indicam.

Lastarria, reduto boêmio de Santiago

É o bairro que mais gosto de sair à noite em Santiago. É lá que estão alguns dos meus bares preferidos na cidade – o Liguria e o Flannery´s.

O Liguria, além da decoração retrô bacana e do bom atendimento, está sempre lotado e é ótimo para ir com amigos. O bar e restaurante serve comida típica e vinhos chilenos. Há três endereços. Fomos na Av. Providencia, 1353.

Já o Flannery´s é um pub irlandês, que serve ótimos lanches. Durante o horário de happy hour, você compra uma cerveja e ganha outra. O bar fica na rua Encomenderos, 83, Las Condes.

Ainda, uma sugestão para casais em viagens românticas é o restaurante Bocanáriz, localizado na rua José Victorino Lastarria, 276. A adega do bar conta com centenas de rótulos de vinhos e tem ambiente sofisticado.

Ao lado da vinoteca, ficam outros botecos convidativos. Um deles, o Chipe Libre, é um bar especializado em “pisco”; o Bar Berri, na rua Rosal, 321; além do Cafe Escondido, com cerveja artesanal; e o descolado Bajo Llave.

Bar alternativo em Santiago no bairro Providência

Ainda não conhecemos, mas está na lista do que fazer em Santiago nas próximas viagens para o Chile. Isso porque o Moloko é um bar alternativo inspirado no filme “Laranja Mecânica” do Stanley Kubrick. Há dois endereços na cidade. Um deles na rua Tobalaba, 881; e outro na Avenida Vitacura, 8587.

As baladas da Vitacura

Para completar a lista de melhores lugares para curtir a noite em Santiago é preciso falar de Vitacura, onde estão localizadas as três maiores casas de shows da cidade – Club Amanda, Las Urracas e Club Eve.

Las Urracas balada em Santiago Chile

Las Urracas, a maior balada de Santiago

Dos três, conheço o Las Urracas. Achei legal. Quando fomos, deixamos para jantar em um dos vários restaurantes que há do outro lado da rua da balada.

A casa é grande e fica lotada. A música é pop, rock e ritmos latinos. O sistema de fichas para pegar bebidas no bar cansa. Há filas chatas para pagar e pegar a bebida. A dica é ficar atrás de alguém interessante e arranhar o “portuñol”.

Leia também: Visto, passaporte e documentos para viajar para o Chile

Cidades próximas de Santiago, no Chile

Praias, montanhas, neve e vinhos. É bem fácil conhecer diferentes paisagens e a cultura chilena sem precisar viajar para longe de Santiago.

Abaixo, algumas dicas de cidades perto de Santiago para viagem bate-volta (ou não). Listamos as melhores dicas e passeios que podem ser feitos em família, amigos e até sozinho ao redor de Santiago. Aproveite os roteiros e boa viagem!

Valparaíso – o que fazer no Chile

Para começar, é preciso citar os destinos na costa litorânea chilena. Assim, Valparaíso encanta por suas peculiaridades e passado histórico, não à toa lhe chamam carinhosamente de ‘Valpo’. Sem dúvida, você deve incluir no roteiro com o que fazer no Chile. A cidade é sensacional!

Aliás, decretada Patrimônio Histórico da Humanidade por suas casas centenárias e arquitetura primorosa, que hoje colorem a paisagem dos morros (‘cerros’) Alegre e Concepción, com fachadas pintadas por artistas grafiteiros ou de cores vibrantes.

cidades no chile

Ver as casas coloridas do alto dos morros de Valparaíso é legal para fazer no Chile| Gabi Saraceni

o que fazer perto de santiago

Porto de Valparaíso

Valparaíso fica a 1h30 (de carro) desde Santiago, distância perfeita para um bate-volta. Fácil de chegar de também de ônibus (desde o terminal da estação Pajaritos do metrô).

Assim, um bom passeio pela cidade passa pelo “Muelle Prat”, um deque portuário interessante com navios e containers gigantes bem pertinho da costa. Às vezes é possível avistar navios e outras grandes embarcações da marinha chilena.

No coração do porto também se encontra o monumento à Batalha de Iquique (parte da Guerra do Pacífico, durante as lutas territoriais com o Peru), na Praça Soto Mayor. É um dos símbolos de poder e resistência da cidade, onde também se encontra o prédio da sede da Armada Chilena.

Cerro Alegre e Cerro Concepción

Para continuar a visitar a cidade, não se pode escapar dos morros. Mas os funiculares (chamados de ‘ascensor’) estão nos pontos-chave da cidade, para lhe poupar o fôlego. Os centenários ascensores El Peral e Reina Victoria te permitem subir ao Cerro Alegre rapidamente e ainda dá para aproveitar a vista panorâmica.

Cerro Alegre e Cerro Concepción são os mais visitados e recomendados para um belo passeio. Casas coloniais, cafés, hotéis e restaurantes se acomodam entre as vielas e ladeiras. Aproveite os mirantes para um lindo pôr-do-sol.

Leia também: Melhores praias do Chile

La Sebastiana

Foi em Valparaíso que Pablo Neruda escolheu construir mais uma (das três) casas que possuiu. La Sebastiana (Ferrari, 692, Cerro Bellavista) hoje é um lindo museu bem ao alto do morro, com cara de navio, mas bem longe do mar.

valparaíso - chile

Casa de Pablo Neruda, em Valparaíso – Chile | Gabi Saraceni

Viña Del Mar – o que fazer no Chile

O charmoso balneário vizinho à Valparaíso, vale uma visita não só por seu famoso cassino e um relógio enfeitado com flores na entrada da cidade.

Viña Del Mar tem a sua orla bem planejada e pronta para abrigar turistas e veranistas. Apesar de ser banhada pelo geladíssimo Oceano Pacífico, suas areias são uma delícia para tomar banho de sol e relaxar. E ainda tem uma ótima estrutura de restaurantes, bares e cafés.

Cajón del Maipo

Para os que querem um pouco mais de natureza de montanha, a região de Cajón del Maipo com certeza é uma pedida. É uma das atrações imperdíveis próximas de Santiago para viagens bate-volta. A apenas 1h30 de Santiago, a região conta com muitos atrativos, como fazer rafting no rio Maipo e conhecer a famosa e linda represa Embalse el Yeso, nos pés de montanhas nevadas.

É possível chegar até lá com operadores de turismo ou em carro alugado. A partir da cidadezinha de San José de Maipo se chega nos principais pontos turísticos do vale.

Vinícolas Concha y Toro, Undurraga e Santa Rita

Concha y Toro – A vinícola mais conhecida dos brasileiros é talvez aquela que produz o renomado vinho Casillero del Diablo, a Concha y Toro. Conhecida por sua qualidade, a vinícola está bem pertinho dos limites de Santiago. É altamente recomendável fazer reserva dos tours guiados no próprio site.

Undurraga – A vinícola Undurraga data de 1885, sendo uma das mais antigas do Chile. Conhecê-la é dar uma volta ao passado e uma boa alternativa para quem busca autenticidade e história. Fica na região limítrofe de Santiago e se pode chegar em ônibus, carro ou operadores turísticos.

Santa Rita – Por fim, a vinícola Santa Rita também oferece tours guiados aos seus grandes tonéis e parreiras. É uma das preferidas dos santiaguiños e também está nos arredores de Santiago do Chile. Para visitar faça reserva no próprio site e siga as instruções de como chegar.

Ilhas, praias e arquipélagos

Em conclusão, para não errar na próxima viagem internacional, confira todo nosso conteúdo, com dicas de viagens, passeios, roteiros na América do Sul e hotéis. Assim, viaje com os relatos de quem realmente entende de turismo e esteve no local. Tire dúvidas, troque ideias e experiências.

A gente também está no Instagram, YouTube e no TikTok. Acompanhe!

Faça um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.