Início / Destinos / Lençóis Maranhenses: com o pé na areia branca entre dunas e água
A Lagoa do Peixe ainda tinha água nos Lençóis Maranhenses em novembro

Lençóis Maranhenses: com o pé na areia branca entre dunas e água

Uma imensidão de dunas brancas brilha sob o sol muito forte. Lençóis Maranhenses é destino de grandes aventuras entre dunas e água, com pé na areia branca.

Ao nível do chão, dá para ver o tapete de areia se mexer graças ao vento que corta o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, o principal destino turístico do Maranhão e uma das viagens mais legais do Brasil.

Lençóis Maranhenses – MA

Como chegar em Lençóis Maranhenses

Os Lençóis Maranhenses são o ponto de partida para quem faz a Rota das Emoções do Maranhão ao Ceará.

O roteiro de viagens pelo Nordeste passa pelo Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, pelo Delta do Parnaíba, na divisa entre Maranhão e Piauí, e pelo Parque Nacional de Jericoacoara.

Percorri o roteiro com apoio da Rastro Nordestino, agência especializada na Rota das Emoções. Valeu a pena pela variedade de cenários, com dunas, rios, praias, mangues, e pela riqueza cultural desses estados nordestinos.

As dunas do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses

As dunas do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses

Quando ir para Lençóis do Maranhão

Fui em novembro conhecer as lagoas azuladas e esverdeadas, a vegetação de restinga e as dunas dos Lençóis Maranhenses.

Não é a melhor época do ano para quem se esbaldar nas lagoas que se formam entre as dunas, mas a paisagem é surpreendente e nada monótona: do tamanho e paredões de dunas até a palheta de azul do céu, tudo ajuda a formar um cenário instigante, difícil de se comparar com tudo que já vi.

Fui para os Grandes Lençóis a partir de Barreirinhas, cidade de 50 mil habitantes a 270 km de São Luís que é a principal porta de entrada do Parque Nacional.

A viagem até as dunas é tranquila e pode ser agendada na cidade.

Eu fui com apoio da Rastro Nordestino, agência especializada na Rota das Emoções, roteiro de turismo pelo Nordeste que passa pelos Lençóis, pelo Delta do Parnaíba e litoral piauiense e pelo Parque Nacional de Jericoacoara, no Ceará.

Rota das Emoções, um roteiro de viagens pelo Nordeste

Os veículos 4×4 que levam aos Lençóis pegam os turistas nas pousadas e hotéis de Barreirinhas e, depois de cruzar o rio Preguiças de balsa, passam por uma estrada de areia de cerca de 12 km até a entrada do parque.

O caminho até o parque já é uma aventura: o carro dança na pista de areia, em algums momentos é lambido pelos coqueiros, muricis e carnaúbas entre outras espécies que formam a vegetação da região.

Lençóis Maranhenses

Caminhando pelas dunas

Com os carros parados, é hora de andar!

Não é um passeio muito tranquilo: o sol queima forte (esqueci o protetor e fiquei roxo), o vento é muito forte e traz areia aos olhos, à boca, à máquina fotográfica. Enfrentar as dunas exige esforço –mas, mesmo assim, vi crianças curtindo o passeio.

Confira mais informações e notícias no Site da Rastro Nordestino.

Mesmo em novembro, que não é considerada a melhor época para ir aos Lençóis, as dunas ficam cheias

Mesmo em novembro, que não é considerada a melhor época para ir aos Lençóis, as dunas ficam cheias

Em novembro, a maior parte das lagoas já evaporou, mas ainda restam algumas (a melhor época para ir para os Lençóis Maranhenses é entre em junho e setembro para quem quer ver as lagoas).

A mais cheia que visitei, a lagoa do Peixe, tinha cerca de 1,2m de profundidade na parte mais profunda, deu até para mergulhar a cabeça e nadar.

Recomendo ir à tarde para ver o sol sumir entre as dunas

Recomendo ir à tarde para ver o sol sumir entre as dunas

Os passeios de Barreirinhas mais comuns para os Lençóis Maranhenses saem pela manhã ou pela tarde. Eu recomendo ir à tarde para ver o pôr-do-sol colorir as dunas.

Lençóis Maranhenses

Viagens entre junho e julho

Os Lençóis Maranhenses são uma boa dica de viagem para junho e julho para quem quer ver o cenário (após as chuvas), com as centenas (ou milhares) de lagoas entre as dunas.

Entretanto, em julho o lugar fica cheio, lotado, podendo incomodar o viajante que quer mais tranquilidade. Em junho, logo após a temporada de chuvas da região, mais forte entre janeiro a maio, pode ser uma boa viagem.

Eu acho que vale a pena ir fora da alta temporada brasileira, mas tem gente que prefere por causa das lagoas.

Os Lençóis Maranhenses não estão entre as viagens mais baratas do Brasil. Achei os preços dos passeios bons, os preços de hospedagem razoáveis e os preços da comida, em Barreirinhas, bem caros. Mas quero voltar.

O que fazer em Lençóis Maranhenses

As dunas dos Pequenos Lençóis Maranhenses em Vassouras

As dunas dos Pequenos Lençóis Maranhenses em Vassouras

Dicas de turismo nos Lençóis Maranhenses

O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses está entre aqueles destinos que povoam meus sonhos: as dunas, as lagoas, o sol rachando, o cenário dominado pela natureza, o Maranhão.

Quando programei o mochilão de 40 dias pelo Nordeste, tinha o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses como o principal destino. Valeu a pena.

Apesar de novembro, quando eu fui, não ser considerada a melhor época para conhecer os Lençóis, não me arrependo nada. Voltaria de janeiro a dezembro para aquele lugar.

Como chegar nos Lençóis Maranhenses – Barreirinhas

Para chegar aos Lençóis, desci no aeroporto de São Luís, cidade cujo centro histórico é patrimônio mundial da humandade pela Unesco e na qual eu me diverti por quatro dias antes de partir para Barreirinhas.

A cidade de 50 mil habitantes no interior do Maranhão é porta de entrada para o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses e as dunas dos Grandes Lençóis.

Da rodoviária de São Luís tem ônibus para chegar em Barreirinhas, mas, apesar de ser contra a regra dos mochileiros, vale a pena ir de transfer privador, que dá para agendar no hotel ou hostel.

Como eu não agendei, fui de ônibus, que para bastante. Saí de São Luís às 6h e cheguei em Barreirinhas às 10h30. O ônibus custou R$ 30. O transfer sai por R$ 40 e é direto.
Não tive problema para achar onde ficar em Barreirinhas, a cidade, banhada pelo rio Preguiças, gira em torno do turismo.

Barreirinhas

Onde ficar nos Lençóis Maranhenses

Fiquei na pousada Vitória do Lopes, que tinha o melhor preço para um lugar com internet (R$ 50). É uma pousada bem simples, com quarto é pequeno e meio… sujinho. O café da manhã é nota 6. A pousada fica bem perto do rio Preguiças e perto da praça da prefeitura de Barreirinhas. Eu não recomendo a pousada, mas minha avaliação é bem comprometida: só fiquei nela por causa da internet, que não funcionou.

Barreirinhas é a principal cidade para quem quer visitar os Lençóis e recebe turistas do mundo inteiro, com muitas opções de hotéis e até resorts, mas não tem hostel. As pousadas mais baratas nos Lençóis Maranhenses que encontrei foram por a partir de R$ 30.

Existem várias opções de hotel em Barreirinhas para quem quer sofisticação, como o Porto Preguiças Resort, que fica na beira do rio Preguiças, entre outras pousadas do tipo.

Onde comer em Barreirinhas

Existem muitas opções de restaurantes na beira do rio Preguiças, mas nenhum me animou muito para comer. Achei os pratos repetitivos, sem personalidade e caros, muito caros.

Eu comia sempre no Restaurante do Gaúcho, em uma esquina da praça da prefeitura. O prato feito saía por R$ 12 e era o lugar mais barato para comer em Barreirinhas que encontrei.

Não era comidinha caseira (o arroz era parbolizado, por exemplo), mas para quem estava começando o mochilão no Nordeste estava ótimo.

Lençóis Maranhenses e Barreirinhas

A atração mais famosa de Barreirinhas são as dunas dos Grandes Lençóis Maranhenses. É fácil agendar passeios pelos Lençóis a partir da cidade para quem ainda não fechou com uma agência.

Barreirinhas - Maranhão

Os 4×4 pegam os turistas em Barreirinhas

Os passeios pelos Lençóis Maranhenses a partir de Barreirinhas partem em dois horários, de manhã e à tarde. Os viajantes vão de carros 4×4 por uma sinuosa estrada de areia por 12 km mais ou menos até a entrada do parque e o passeio dura o período inteiro.

Tem que dar uma ralada a pé e andar pelas dunas é cansativo, mas vi famílias com crianças pequenas e pessoas com idade mais avançada caminhando. Recomendo fazer o passeio à tarde, para pegar o pôr-do-sol nos Lençóis Maranhenses.

Também vale a pena descer o rio Preguiças até Caburé, na foz do rio.

Esse passeio de barco passa por Vassouras, onde as dunas dos Pequenos Lençóis se deitam sobre o rio Preguiças, incrível, e pelo Farol do Mandacaru, que tem uma das vistas mais alucinantes que já experimentei.

Porto Seguro, na Bahia – uma das melhores praias do Brasil

lençóis maranhenses dunas - rio Vassouras

As dunas se encontram com o rio em Vassouras

A vista do Farol de Mandacaru

A vista do Farol de Mandacaru

Caburé é uma praia onde venta muito, na foz do rio, uma paisagem diferente e sempre mudando por causa dos ventos. Tem alguns poucos restaurantes (caros) e pousadinhas. Leve dinheiro em nota, apesar de os lugares aceitarem cartão, a rede pode ficar fora do ar.

De Caburé, o passeio de barco pode voltar para Barreirinhas ou seguir para Atins, um pequeno povoado à beira-mar que vale a pena conhecer e passar uma ou duas noites.

Descobrindo Atins, uma praia isolada e pouco conhecida

Uma experiência nos Lençóis que não faz parte do cardápio para turistas e que vale a pena é pegar o pau-de-arara de Barreirinhas para Paulino Neves, outra cidade do roteiro nos Lençóis Maranhenses. São 38 km de muitas paisagens diferentes e pequenas vilas no Maranhão. Leia nosso relato sobre esse roteiro pelo interior do Maranhão.

Além disso, existem caminhadas que cruzam os Lençóis Maranhenses e duram dias. Quero fazer a jornada em uma próxima vez.

Qual a melhor época para ir aos Lençóis Maranhenses

Para mim, vale a pena ir o ano inteiro. Eu fui em novembro, quando as famosas lagoas que se formam entre as dunas já estão secas –restavam poucas.

Lagoa do Peixe - Lençóis Maranhenses

A Lagoa do Peixe ainda tinha água nos Lençóis Maranhenses em novembro

Entre janeiro e maio é o chamado inverno, quando chove e as lagoas se formam.

A partir de junho, as centenas (ou milhares) de lagoas estão cheias. Julho o parque fica lotado de turistas brasileiros. Setembro e agosto é a temporada dos estrangeiros, principalmente europeus.

Se o inverno foi chuvoso, ainda restam boas lagoas em outubro. Em novembro e dezembro são poucas lagoas, mas dá para molhar o pé.

Sobre Gustavo Villas Boas

-- "Vamo? Vamo! (ou não)" Jornalista e editor do Muita Viagem Gosta de praias, baladas e comidas diferentes. A Amazônia é o destino que o emociona. Antes de embarcar no Muita Viagem, trabalhou no jornal Folha de São Paulo e no Estado de São Paulo na cobertura de tecnologia, cultura e cidades. Mas lia o caderno de turismo.

Um comentário

  1. OTIMAS DICAS,PARABENS COLEGA,sucesso em tuas viagens…

Deixe uma resposta

O e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.